crosscheckdeposited

Sintomas de Estresse em Concluintes do Curso de Psicologia de Uma Faculdade Privada do Norte do País

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v21n1p23-28

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MUD/index 

downloadpdf

Cleber L. de Assis1, Ana P. F. Silva2, Mariana de S. Lopes3, Pâmela da C. B. Silva (In memorian)4 & Thayssa de O. Santini5

 

Resumo: Discute-se o estresse na vida acadêmica de estudantes concluintes de um curso de Psicologia da Região Norte do País. Metodologicamente, é uma pesquisa exploratória, de abordagem quantitativa, procedimento de campo e transversal, com amostra composta por 25 acadêmicos do décimo período do curso de psicologia de uma faculdade privada. O instrumento utilizado foi o Inventário de Sintomas de Estresse de Lipp (ISSL). Os resultados foram analisados de forma quantitativa por meio da frequência simples e percentual, apontando que 72% dos acadêmicos entrevistados apresentam sintomas de estresse em um ou mais níveis (alerta, resistência e exaustão), enquanto o restante (28%) não apresentou sintomas de estresse em nenhum nível. Foi feito ainda recorte de gênero: o sexo feminino apareceu com maiores níveis de estresse. Em relação à faixa etária, os sujeitos com idades entre 36 a 42 anos mostraram-se os mais prejudicados. Faz-se recomendação de acompanhamento psicológico dos referidos acadêmicos.

Palavras-chave: estresse, estresse em acadêmicos, formação em psicologia

 

Abstract: This paper discusses the presence of stress in the academic life of students finishing a Psychology course in the North of Brazil. Methodologically, this cross-sectional study made use of an exploratory, quantitative approach, with field research. The sample was composed of 25 students of the tenth semester of a Psychology course of a private college. The study made use of the Lipp’s Inventory of Stress Symptoms (LISS). The results were quantitatively analyzed through simple frequency and percentage, indicating that 72% of the surveyed students display symptoms of stress in one or more levels (alarm, resistance and exhaustion), while the rest (28%) showed no stress symptoms at any level. As to gender, females appeared with higher levels of stress, and subjects aged 36-42 years were the most affected. It is recommended that the said students seek counseling.

Key words: stress, stress students, psychological training

 

1 Psicólogo, Mestre em Psicologia/PUCMG, Doutorando em Psicologia pela USAL-AR. Professor das Faculdades Integradas de Cacoal-RO. Email: kebelassis@yahoo.com.br
2 Graduada em Psicologia pelas Faculdades Integradas de Cacoal-RO. Email: anasilvapsico@hotmail.com
3 Graduada em Psicologia pelas Faculdades Integradas de Cacoal-RO. Email: marianalopes28@hotmail.com
4 Graduada em Psicologia pelas Faculdades Integradas de Cacoal-RO
5 Graduada em Psicologia pelas Faculdades Integradas de Cacoal-RO. Email: thay_777@hotmail.com

 

Literatura Citada

Beltrame, N. G. (2010). Sintomas de estresse encontrados nos acadêmicos do curso de psicologia da Universidade do Sul de Santa Catarina no momento de elaboração do trabalho de conclusão de curso. Recuperado em 14 de novembro de 2011 de http://portal2.unisul.br/content/navitacontent_/user-Files/File/cursos/cursos_graduacao/Psicologia-tb/tcc2010-a/Nadia.pdf

Gazzaniga, M. S & Heatherton, T. F. Aprendizagem e recompensa. In: M. S Gazzaniga & T. F. Heatherton, (2005). Ciência e profissão: mente, cérebro e comportamento (pp. 180-213). Porto Alegre: Artmed.

Filgueiras, J. C.; Hippert, M. I. (2007). Estresse: possibilidades e limites. In: W. Codo & M. G. Jacques. Saúde mental e trabalho. Petrópolis: Vozes.

Lipp, M. E. N. (2001). Estresse emocional: a contribuição de estressores internos e externos. Revista de Psiquiatria Clínica. 28 (6): 347-349 (on line). Recuperado em 14 de novembro de 2011 de http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol28/n6/artigos/art347.htm.

Martins, M. G. T. (2007). Sintomas de stress em professores brasileiros. Dissertação de mestrado, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, Portugal.

Milstted, J. G., Amorim, C. & Santos, M. (2009). Nível de estresse em alunos de psicologia do período noturno. IX Congresso Nacional de Educação/III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia. PUC/PR (on line). Recuperado em 16 de novembro de 2011 de <http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2009/anais/pdf/3289_1469.pdf>

Pacanaro, S. V. & Santos, A. P. A. (2007). Avaliação do estresse no contexto educacional: análise de produção de artigos científicos. Avaliação Psicológica. 6 (2): 253-260 (on line). Recuperado em 16 de novembro de 2011 de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/avp/v6n2/v6n2a14.pdf

Rosseti, M. O., Ehlers, D. M., Guntert, I. B., Leme, I. F. A. S., Rabelo, I. S. A., Tosi, S. M. V. D., Pacanaro, S. V. & Barrionuevo, V. L. (2008). O inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp (ISSL) em servidores da polícia federal de São Paulo. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas.4 (2): 108-119 (on line). Recuperado em 18 de novembro de 2011 de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbtc/v4n2/v4n2a08.pdf.

Silva, E. A. T. & Martinez, A.(2005). Diferença em nível de stress em duas amostras: capital e interior do estado de São Paulo. Estudos de Psicologia. 22 (1): 53-61. doi

Torquato, J. A., Goulart, A. G., Vicentin, P. & Correa, U. (2010). Avaliação do estresse em estudantes universitários. Inter Science Place. 14: 140-154 (on line). Recuperado em 20 de novembro de 2011 de http://www.interscienceplace.org/interscienceplace/article/view/112/171.