Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Subjetividade na Clínica Psicológica: Introdução Temática e Histórica

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-0969/pi.v17n17p107-121

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/PINFOR/index 

downloadpdf

Conrado N. Sathler1

 

Resumo: Este trabalho discorre sobre a subjetividade em sua relação com a clínica psicológica. Procura apontar um conceito de sujeito, assinalar sua identificação com o início da história clínica da Psicanálise e com os métodos atuais de diagnóstico e tratamento. Identifica também o sujeito como sujeito da ausência da linguagem e assinala o discurso dos manuais diagnósticos e das abordagens terapêuticas baseadas em técnicas interventivas estabelecidas a priori como representantes das práticas provenientes de uma política de enfraquecimento das subjetividades.

Palavras-chave: discurso, linguagem, psicanálise, subjetividade

 

Abstract: This paper discusses the subjectivity in its relation to the psychological clinic. Discusses the concept of subject and identified with the early history of clinical psychoanalysis as well as the current methods of diagnosis and treatment. It also identifies the subject as the subject and the lack of language and speech signals of diagnostic manuals and therapeutic approaches based on the established interventional techniques-priori as representatives of practices from a policy of weakening of subjectivities.

Key words: speech, language, psychoanalysis, subjectivity

 

1 Professor do Curso de Psicologia da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) – MS; Tutor na Residência Multiprofissional em Saúde no Hospital Universitário da UFGD. Doutor em Linguística Aplicada pela UNICAMP e Mestre em Psicopatologia e Psicologia Aplicada pelo ISPA (Lisboa, Portugal)

 

Literatura Citada

AMARAL DIAS, C. A coisa e a Palavra. In: AMARAL DIAS, C. Um Psicanalista no Expresso do Ocidente. Lisboa: Temas e Debates, 2003. Cap. 1, p. 45-46.

BION, W. R. O aprender com a experiência. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

BIRMAN, J. Gramáticas do Erotismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

BIRMAN, J. Mal-estar na atualidade: a psicanálise e as novas formas de subjetivação. 5. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

BREUER, J.; FREUD, S. Estudos sobre a histeria. Tradução de V. Ribeiro. Edição Standard Brasileira das obras completas de Sigmund Freud (Vol. II). Rio de Janeiro: Imago, 1980. (Original de 1895.)

DELEUZE, G. Conversações: Sociedade do Controle (anexo). Rio de Janeiro: 34, 1992. Disponível em: http://netart.incubadora.fapesp.br/portal/midias/controle.pdf. Acesso em 30. set. 2005.

FIGUEIREDO, A.; MACHADO, O. M. R. O diagnóstico em psicanálise: do fenômeno à estrutura. Ágora (Rio J.), Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, dez. 2000. doi

FIGUEIREDO, A. C.; TENÓRIO, F. O diagnóstico em Psiquiatria e Psicanálise. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, São Paulo, v. 5, n. 1, mar. 2002. Disponível em <http://www.fundamentalpsychopathology.org/art/mar2/2.pdf>. Acesso em 6 fev. 2012.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Tradição de Raquel Ramalhete. 24. ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

FRAYZE-PEREIRA, J. A. Entre os sonhos e a interpretação: aparelho psíquico/ aparelho simbólico. Psicol. USP, São Paulo, v. 10, n. 1, 1999. doi

FREUD, S. A Interpretação das Afasias. Tradução de Antonio Pinto Ribeiro. Lisboa: Edições 70, 1977. (Original de 1891.)

FREUD, S. Carta 52 (de Freud a Fliess). Tradução de José Luis Meurer. Edição Standard Brasileira das obras completas de Sigmund Freud, vol. I. Rio de Janeiro: Imago, 1980. p. 317-324. (Original de 1896.)

FREUD, S. A Interpretação de Sonhos. Tradução de Walderedo Ismael de Oliveira. Edição Standard Brasileira das obras completas de Sigmund Freud, vol. V – Cap. 7. Rio de Janeiro: Imago, 1980. (Original de 1900.)

FREUD, S. Psicopatologia da vida Cotidiana. Tradução de Klaus Scheel. Edição Standard Brasileira das obras completas de Sigmund Freud, vol. VI. Rio de Janeiro: Imago, 1980. (Original de 1901.)

GAY, P. Freud: uma vida para o nosso tempo. Tradução de Denise Bottmann. São Paulo: Companhia de Freud, 1989.

GRACIA-ROZA, L. A. Freud e o Inconsciente. 20. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

GRACIA-ROZA, L. A. Sobre as afasias: o projeto de 1895. [Introdução à Metapsicologia Freudiana – Vol. 1.] 5. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

LACAN, J. O seminário. Livro III: as psicoses. Rio de Janeiro: Zahar, 1981. NANCY, J.-Luc. Um Sujeito? In: MICHELS, A.; NANCY, J-L. SAFOUAN, M.; et al. (Orgs.). O Homem e o Sujeito. Tradução de Francisco R. de Farias. Rio de Janeiro: RevinteR, 2001, p. 25-74.

ROSE, N.; NOVAS, C. Biological citizenship. In: ONG, A.; COLLIER, S. (Orgs.). Global assemblages: Technology, politics and ethics as anthropological problems. Malden, MA: Blackwell Publishing, 2005.

ROSE, N.; MARTINS, E. R. P. A biomedicina transformará a sociedade? O impacto político, econômico, social e pessoal dos avanços médicos no século XXI. Psicol. Soc., Florianópolis, v. 22, n. 3, dez. 2010. doi

RUSSO, J.; VENÂNCIO, A. T. A. Classificando as pessoas e suas perturbações: a “revolução terminológica” do DSM III. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, São Paulo, v. 9, n. 3, set. 2006. Disponível em <http://www.fundamentalpsychopathology.org/art/v09_03/06.pdf>. Acesso em 6 fev. 2012.

SATHLER, C. N. Psicologia e escrita disciplinar: Laudos como estratégia de Controle das populações. 2008. 230fls. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

WINNICOTT, D. W. O Brincar & a Realidade. Tradução de Jaime Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1975.