Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Sistemas Híbridos de Produção: Produzir para Estoque ou para Atendimento a Pedidos?

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-1252/rct.v17n34p113-124

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/cienciatecnologia/index 

downloadpdf

José C. A. Cordeiro1 & Maria R. P. Assumpção2

 

Resumo: As empresas brasileiras de manufatura buscam ter apoio em suas operações para obtenção de melhor resultado econômico. Para isso buscam tomar decisões alinhando suas estratégias de negócio com estratégias funcionais. A estratégia de produção apóia a estratégia empresarial por suas decisões sobre o que e quanto produzir, com vistas à melhoria do serviço aos seus clientes, obedecendo ao uso apropriado de sua capacidade produtiva para redução de custos. Essas decisões são baseadas em análises tipo trade–off buscando o balanceamento entre uso da capacidade produtiva e customização para atender à demanda explicitada. Este é o problema abordado neste artigo, orientado pela questão: quais produtos e em que quantidade devem ser produzidos de modo a aumentar a produtividade do processo de fabricação e manter níveis de serviço e custos competitivos? Foi utilizado um método quantitativo para responder a esta questão, combinado com uso de regras heurísticas, baseada no conhecimento do pessoal envolvido no problema. Os dados utilizados referem-se a uma linha de produção de corte de aço de empresa metalúrgica, localizada na região sudeste do Brasil. Os produtos são bobinas de aço, diferenciadas pela dimensão do corte (espessura e comprimento) e atendimento a outras especificações definidas por clientes industriais. O sistema de entrada de pedidos é aleatório e a decisão é quanto produzir para estoque ou sob encomenda, atendendo à restrição de capacidade.

 

Abstract: Brazilian manufacturing companies seek to have support in their operations to achieve better economic results. To make decisions that seek to align their business strategies with functional strategies. The production strategy supports the business strategy for their decisions about what and how much to produce, with a view to improving service to its customers according to the appropriate use of its production capacity to reduce costs. These decisions are based on analysis type trade-off seeking the balance between the use of productive capacity and customization to meet the explicit demand. This is the problem addressed in this paper, guided by the question: what products and how much should be produced in order to increase the productivity of the manufacturing process and maintain service levels and competitive costs? A quantitative method to answer this question, combined with use of heuristic rules, based on knowledge of the staff involved in the problem was used. The data used refer to a production line cutting steel metallurgical company, located in the southeastern region of Brazil. The products are steel coils, differentiated by the size of the cut (thickness and length) and the other service specifications defined by industrial customers. The order entry system is random and the decision is how much to produce for stock or custom, given the capacity constraint.

 

1 Universidade Metodista de Piracicaba, jose.cordeiro@prada.com.br
2 Universidade Metodista de Piracicaba, maralves@unimep.br

 

Literatura Citada

ALVES FILHO, A. G.; NOGUEIRA, E.; BENTO, P. E. G. Análise das estratégias de produção de seis montadoras de motores para automóveis. Gestão & Produção, São Carlos, v. 3, n. 18, p. 603-618, 2011.

GUIMARÃES, A. A. Utilização de uma abordagem híbrida System Dynamics-Factory Physics para a investigação do efeito de ações de melhoria contínua na redução do lead time. 2010. 205 f. Dissertação (Mestrado)– Curso de Engenharia de Produção, Ufscar, São Carlos, 2010.

HOPP, W. H. ; SPEARMAN, M. L. Factory physics: foundations of manufacturing management. 2. ed. New York: Mc Graw-hill, 2000. 726 p.

JABBOUR, A. B. L. S.; ALVES FILHOS, A. G.. Tendências da área de pesquisa em estratégia de produção. Revista Eletrônica Sistemas & Gestão, São Carlos, v. 3, n. 4, p. 238-262, maio 2010.

KALANTARI, M.; RABBANI, M.; EBADIAN, M.. A decision support system for order acceptance/ rejection in hybrid. Applied Mathematical Modelling, Tehran, 21 Sept 2010. p. 1363-1377.

LIMA, A. D. et al. Proposta de aplicação da abordagem Quick Response Manufacturing (QRM) para a redução do lead time em operações de escritório. Production [online], São Carlos, 2012. doi

OLHAGER, J.; PRAJOGO, D. I. The impact of manufacturing and supply chain improvement initiatives: A survey comparing make-to-order and make-to-stock firms. Omega-international Journal Of Management Science, 2012, Vol.40(2), pp.159-165.

PAIVA, E. L.; CARVALHO JUNIOR, J. M.; FENSTERSEIFER, J. E. Estratégia de produção e de operações: conceitos, melhores práticas, visão de futuro. 2. ed. Porto Alegre, RS: Bookman, 2009. 253 p.

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Operations Management. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2007.

SOMAN, C. A.; DONK, D. P. V.; GAALMAN, G.. Combined make-to-order and make-to-stock in a food. International Journal Of Production Economics, 2004, Vol.90(2), pp.223-235. doi

WANKE, P. Quadro conceitual para gestão de estoques: enfoque nos itens. Gestão & Produção, São Carlos, v. 19, n. 4, p. 677-687, 2012.

WANROOIJ, M. R. Strategic supply chain planning in a multi-echelon environment: Identification of the CODP location constrained by controllability and service requirements – School of Industrial Engineering. Series Master Theses Operations Management and Logistics - Eindhoven, Aug. 2012.