Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Aproximações entre Diferentes Práticas Matemáticas em Uma Escola de Jornada Ampliada

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/2237-0587/fd.v5n2p5-18

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/fdc/index 

downloadpdf

André A. Deodato1, Maria M. David2 & Vanessa S. Tomaz3

 

Resumo: Nesse artigo apresentamos algumas aproximações que os alunos, de uma escola de jornada ampliada, estabeleceram entre as práticas da sala de aula de matemática e as práticas das oficinas de matemática. Essas aproximações são parte do resultado de uma pesquisa que aconteceu em uma escola, cuja ampliação da jornada ocorre por meio do Projeto Escola Integrada, na qual foram acompanhadas turmas do 5° ano do Ensino Fundamental. O material empírico se constituiu das transcrições de interações dos alunos, produzidas a partir dos registros da observação e de gravações em áudio e vídeo das oficinas e das aulas de matemática. O referencial teórico utilizado contou com autores dos campos da Educação Matemática, da Antropologia e das Políticas Públicas com trabalhos relacionados à ampliação da jornada escolar. Para o desenvolvimento da análise nos ancoramos principalmente em autores que destacam a relação existente entre a prática social e a aprendizagem, na perspectiva situada.

Palavras-chave: sala de aula de matemática, oficinas de matemática, aprendizagem situada, escolas de tempo ampliado, Projeto Escola Integrada

 

Abstract: In this paper we present some approximations that students in an extended-time school project have established between the mathematics classroom practice and the practices in mathematics workshops. These approximations are part of the results of a research project developed in a school, whose expansion of the journey occurred through Projeto Escola Integrada, where we have observed classes of the 5th year of Elementary School. The empirical material is constituted of transcripts of students’ interactions, produced from the records of observation and from audio and video recording of the activities made by the students in the mathematics workshops and in the mathematics classroom. The theoretical framework relies on authors from the fields of Mathematics Education, Anthropology and Public Policy with works related with the time expansion in schools. For the development of the analysis, we have relied on authors who emphasize the relationship between social practice and learning, in a situated perspective.

Key words: mathematics classroom, mathematics workshops, situated learning, extend-time schools, Projeto Escola Integrada

 

1 Licenciado em Matemática, Mestre e Doutorando em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. E-mail: andre_deodato@yahoo.com.br
2 Licenciada Matemática pela Universidade do Porto e doutorada em Educação Matemática pela University of London. Professora titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. E-mail: manuelamsdavid@gmail.com
3 Licenciada em Matemática, Mestre e Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. E-mail: vanessastomaz@gmail.com

 

Literatura Citada

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. Resultados do Censo da Educação Básica. 2010. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/resumos_tecnicos/divulgacao_censo2010_revisao_04022011.pdf>. Acesso em: 14 jan. 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Educação integral/educação integrada e(m) tempo integral: concepções e práticas na educação brasileira. 2010. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid =8198&Itemid=>. Acesso em: 14 jan. 2013.

CAVALIERE, A. M. V. Tempo de escola e qualidade na educação pública. Educ. Soc., Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial p. 1015-1035, out. 2007.

DEODATO, André Augusto. Matemática no projeto escola integrada: distanciamentos e aproximações entre as práticas das oficinas e as práticas da sala de aula. Dissertação (Mestrado em Educação) – FaE/UFMG,Belo Horizonte, 2012.

FRADE, C; WINBOURNE, P; BRAGA, S. A Mathematics-Science Community of Practice: Reconceptualising Transfer in Terms of Crossing Boundaries. For the Learning of Matematics, 29, 2, 2009, p.14-22.

GOULART,M.A. A intersetorialidade no contexto da educação integral. In ________: BRASIL. TV Escola. Salto Para o Futuro: Educação Integral, Boletim 13, Ano XVIII, p. 17-20, 2008.

LAVE, J. Teaching, as learning, in practice. Mind,Culture,and Activity 3,1996, 149-164. doi

LAVE, J; WENGER, E. Situated Learning: Legitimate Peripheral Participation. New York: Cambridge University Press, 1991. doi

MOLL, J. Educação Integral no Brasil: Itinerários na Construção de uma Política Pública Possível. In_________: BLASIS, E; et all. Tendências para a educação integral. São Paulo: Fundação Itaú Social – CENPEC, 2011.

WENGER, E. Communities of Practice: Learning, Meaning and Identity. Cambridge: UK, Cambridge University Press, 1998. doi