Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Ativos Específicos no Mercado de Trabalho: Uma Abordagem à Luz da Economia dos Custos de Transação

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2177-7284/regs.v4n2p587-609

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/REGS/index 

downloadpdf

Edinéia L. da C. Souza1, Angelica P. S. Meurer2 & Carla M. Schmidt3

 

Resumo: No cenário produtivo atual, observou-se que alguns trabalhadores, de acordo com as características e grau de escolaridade que possuem, podem ser considerados específicos para determinadas funções, sendo assim, o objetivo deste artigo é analisar essa especificidade de determinados serviços a guisa da literatura da ECT. Utilizou-se da metodologia descritiva com pesquisa qualitativa a partir da análise bibliográfica e dados quantitativos da RAIS para trabalhadores de serviços no Paraná no ano de 2011. A teoria da ECT se aplica aos trabalhadores nos mais variados aspectos, desde a assimetria de informações das partes envolvidas, no custo de monitoramento do trabalho, na incerteza, dentre outros. Isso pode se refletir em altos salários pagos às pessoas que vendem suas habilidades cognitivas no mercado de trabalho. Considerando que o empregador (principal) não consegue monitorar todas as ações do seu empregado (agente), ele irá evitar que seus custos de monitoramento sejam muito altos, bonificando seu trabalhador.

Palavras-chave: ativos específicos, mercado de trabalho, economia dos custos de transação

 

Abstract: In the current production scenario, it was observed that some workers, according to their characteristics and educational level, can be considered specific for certain tasks, so the purpose of this paper is to analyze this specificity of certain services through the literature of TCE. It was used the descriptive methodology with qualitative research from the literature review and quantitative data from RAIS for service sector workers in Parana State in 2011. The theory of TCE applies to workers in the most diverse aspects, from information asymmetry of the parties involved, the cost of labor monitoring, uncertainty, among others. This may be reflected in higher wages paid to people who sell their cognitive skills in the labor market. Whereas the employer (head) cannot monitor all the actions of his employee (agent), it will prevent your monitoring costs are too high, granting bonuses to his worker.

Key words: specific assets, labor market, transaction costs economics

 

1 Graduada em Economia pela universidade Estadual do Paraná- UNESPAR/FECILCAM, e mestranda em Desenvolvimento Regional e Agronegócio pela Universidade Estadual do Paraná - UNIOESTE
2 Graduada em Economia pela Unioeste-PR e Mestranda em Desenvolvimento Regional e Agronegócio pela Unioeste-PR
3 Doutora em Administração pela FEA/ USP (2010), Mestre em Administração pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2006), Graduada em Secretariado Executivo pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2003). Atualmente é professora efetiva da Universidade Estadual do Oeste do Paraná

 

Literatura Citada

ALCHIAN, A. A; DEMSETZ, H. Production, information costs and economic organization. Americam Economic Review, v. 62, n. 5, p. 777-795, 1972.

ALMEIDA, P. P. A sociologia do trabalho no dealbar do século XXI: das empresas industriais às organizações de serviço. Sociologia, problemas e práticas, n. 47, p. 47-67, 2005.

ARBACHE, J. S. Wage differentials in Brazil: Theory and evidence. Journal of Development Studies, 38:109-130, 2001. doi

ARBAGE, A. P; REYS, M. A. Apostila didática da disciplina de Análise de Cadeias Produtivas. Disponível em http://www.ufsm.br/agriculturafamiliar. Acesso em: 4 de jan. de 2013.

BIAGIONI, D. Determinantes da mobilidade por classes sociais: Teoria do Capital Humano e a Teoria da Segmentação do Mercado de Trabalho. In: XV Encontro Nacional de Estudos Populacionais da ABEP. Caxambu/MG. Anais... Caxambu/MG. Setembro, 2006. Disponível em: http://www.abep.nepo.unicamp.br/encontro2006/docspdf/ABEP2006_652.pdf. Acesso em: 25 de jan. 2013.

BRASIL, Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). Disponível em: http://www.mte.gov.br/. Acesso em: 2 de dez. 2012.

CALEMAN, S. M. de Q. Falhas de coordenação em sistemas agroindustriais complexos: uma aplicação na agroindústria da carne bovina. 2010. 200 p. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

COASE, R. H. The nature of the firm. Economica s/n. p. 386 -405, 1937.

COASE, R. H. The federal communications commission. Journal of Law and Economics, 2:1-40, 1957. doi

COASE, R. H. The Problem of Social Cost. Journal of Law and Economis III. (October): 1-44, 1960. doi

ESTEVES, L. A. Salários eficiência e esforço de trabalho: evidências da indústria brasileira de construção. Revista Economia, mai./ago., 2008.

FARINA, E. M. M. Q. Abordagem sistêmica dos negócios agroindustriais e a economia de custos de transação. In: FARINA, Elizabeth M. M. Q.; AZEVEDO, Paulo Furquim de; SAES, Maria Sylvia Macchione (org.). Competitividade: Mercado, Estado e Organizações. São Paulo: Singular, 1997.

FARINA, E. M. M. Q. FARINA, E. M. M. Q. Competitividade e coordenação de sistemas agroindustriais: um ensaio conceitual. Gestão & Produção, São Carlos, v. 6, n. 3, p. 147-161, dez. 1999.

FREIRE, C. T. Um estudo sobre os serviços intensivos de conhecimento. In: NEGRI, J. A.; KUBOTA, L. C (org.). Estrutura e dinâmica de serviços no Brasil. Brasília. IPEA, 2006.

FROYEN, R. Macroeconomia. Tradução: Esther E. H. Herskovitz; Cecília C. Bartalotti. 5. ed. São Paulo. Saraiva, 1999.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of Firm: Managerial Behavior, Agency Costs and Capital Structure. Journal of Financial Economics, v. 3, n. 4, p. 305-360, october, 1976. doi

JOSKOW, P. L. The New Institutional Economics: Alternative Approaches. Journal of Institutional and Theoretic Economics, v. 151, n. 1, 248-259, 1995.

KNIGHT, F. H. Review of Melville J. Herskovists, economic anthropology. Journal of Political Economy, 49:247-258, 1941. doi

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

LIMA, R. Mercado de Trabalho: o capital humano e a teoria da segmentação. Pesquisa e Planejamento Econômico. Rio de Janeiro, v. 10, abril, 1980.

MOSCHANDREAS, M. The role of opportunism in transaction cost economics. Journal of Economics Issues, v. 31, n. 1, p. 39-58, 1997.

NORTH, D. C. Institutions, institutional change and economic performance. Cambridge, 1990. doi

NORTH, D. C. Custos de Transação, Instituições e Desempenho Econômico. Rio de Janeiro: Instituto Liberal, 1994. 38 p.

PONDÉ, J. L. S. P. S. Coordenação e aprendizado: elementos para uma teoria das inovações institucionais nas firmas e nos mercados. Campinas, 1993. Dissertação (Mestrado em Economia), Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1993.

RAMOS, F. S.; BEZERRA, F. M. Diferenças regionais de crescimento econômico no Brasil: A importância da especificação do capital humano. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 2. n. 2. 2008.

ROCHA Júnior, W. F. A nova economia institucional revisitada. Revista de Economia e Administração, v. 3, n. 4, 301-319 p., out./dez. 2004.

SCHULTZ, T. W. O valor econômico da educação. Rio de Janeiro: Zahar Editores,1964.

SILVA, I. Teorias do emprego segundo o enfoque do capital humano, da segmentação e dos mercados internos. Revista da Fapese. Aracaju, v. 2, n. 2, p. 129-140, jul./dez., 2006.

SILVER, M; AUSTER, R. Entrepreneurship, Profit, and Limits on Firm Size. Journal of Business, v. 42, n. 5, p. 277-281, 1969. doi

SIMON, H. Rationality as process and as product of though at. American Economic Review, 68:1-16, 1978.

SOLOW, R. M. Another possible source of wage stickiness. Journal of Macroeconomics, v. 1, p. 79-82, 1979. doi

SORJ, B. Sociologia e trabalho: mutações, encontros e desencontros. RBCS, v. 15, n. 43, jun., 2000.

WILLIAMSON, O. E. The Economic institutions of capitalism: firms, markets, relational contracting. London: Macmillan Free Press, 1985.

WILLIAMSON, O. E. The mechanisms of governance. New York: Oxford University Press, 1996.

ZYLBERSZTAJN, D. Conceitos gerais, evolução e apresentação do sistema agroindustrial. In: ZYLBERSZTAJN, Decio; NEVES, Marcos F. (org.). Economia e Gestão dos Negócios Agroalimentares, 1. ed. São Paulo: Pioneira Thomson, 2005.