Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Prontos para o Teletrabalho? Um Estudo sobre o Trabalho Docente do Ensino Superior Brasileiro

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2177-7284/regs.v4n2p635-651

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/REGS/index 

downloadpdf

Vitor G. Silva1

 

Resumo: Trata-se de um estudo exploratório das abordagens de teses publicadas a respeito do teletrabalho nos últimos anos relacionando com trabalho docente na educação a distância de nível superior. A busca por diferenciais competitivos no mercado a partir de novas tecnologias é propulsora de constantes transformações na dinâmica do mundo do trabalho. As TICs permitem repensar o mundo do trabalho com novos designs que se diferenciam dos modelos tradicionais. O artigo despende breve contextualização das mudanças sociais que repercutiram em transformações do trabalho da Idade Média à revolução digital. Escolhida as recentes publicações de artigos científicos, fundamentou-se o entendimento do que é o teletrabalho no contexto brasileiro e as transformações do trabalho docente influenciadas pelas tecnologias de informação e comunicação. Por fim, analisa as contribuições das recentes publicações de teses para a consolidação do teletrabalho no cenário brasileiro. Ao fim do estudo é clarificada a compatibilidade do trabalho docente na EAD no modelo de teletrabalho parcial ou integral.

Palavras-chave: teletrabalho, trabalho docente, gestão de pessoas

 

Abstract: This is an exploratory study of the approaches of theses published on teleworking in recent years relating to teaching teacher-tutors in distance education at university level. The search for competitive advantages in the market from new technologies is driving the constant changes in the dynamics of the world of work. The information and communication technologies allow rethink the world of work with new designs that differ from traditional models. The article spends attention on the cultural aspects inherent in Brazilian organizational culture, followed by a brief background of the social changes that have affected change in work in the Middle Ages to the digital revolution. Selected recent publications of scientific articles were based on the understanding of what is telework in the Brazilian context and transformations of teaching work influenced by information and communication technology (ICT). Finally analyzes the contributions of recent publications of theses for consolidation of telework in the Brazilian scenario. At the end of the study clarified the compatibility of teaching in the EAD model telecommuting or part.

Key words: telecommuting, teaching, personnel management

 

1 Mestrando em Administração pela UMESP, pós-graduado em Gestão de cursos EAD pela UFF; Didático no Ensino Superior pela UMESP; Gestão Estratégica de Pessoas pela UMESP

 

Literatura Citada

ALCADIPANI, R.; CRUBELLATE, J. M. Cultura organizacional: generalizações improváveis e conceituações imprecisas. Rev. adm. empres. [on-line]. 2003, vol. 43, n. 2, p. 64-77.

ALEMÃO, I. BARROSO, M. R. C. O teletrabalho e o repensar das categorias tempo e espaço. Enfoques – revista dos alunos do PPGSA – UFRJ. v. 11(1), março 2012. On-line. p. 73-88.

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho?: ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2010. 213 p.

BARROS, A. M.; SILVA, J. R. G. Percepções dos indivíduos sobre as consequências do teletrabalho na configuração home-office: estudo de caso na Shell Brasil. CADERNOS EBAPE. BR, v. 8, n. 1, artigo 5, Rio de Janeiro, mar. 2010.

BARROSO, M. R. C. Teletrabalho a domicílio e as transformações do trabalho. In: VII Seminário do Trabalho, 2010, Marília-SP. Trabalho, Educação e Sociabilidade, 2010.

BRASIL. Lei 12.551, de 15 de dezembro de 2011. Altera o art. 6º. da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei n. 5.452, de 1º. de maio de 1943. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12551.htm> Acesso em 07 mar. 2012.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. Tradução de Roneide Venâncio Majer, com a colaboração de Klauss Brandini Gerhardt; 9ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

CECÍLIO, S.; SOUSA, P. P. Entre senhas e telas: as reconfigurações do trabalho docente. Educação, Santa Maria, p. 391-404, nov. 2009. ISSN 1984-6444. Disponível em: <http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/reveducacao/article/view/249>. Acesso em: 27 set. 2012.

CHIAVENATO, I. História da administração: entendendo a administração e sua poderosa influência no mundo moderno. São Paulo: Saraiva. 2009.

FIORAVANTE, D. G. Efeitos da inovação tecnológica sobre o emprego. In: Impactos tecnológicos sobre a demanda por trabalho no Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasília: SAE: IPEA, 2011. p. 103-126.

FLEURY, M. T. L. Estória, mitos, heróis – Cultura organizacional e relações de trabalho. Revista de Administração de Empresa. São Paulo, out./dez. 1987.

FRANCISCO, E. R. RAE-eletrônica: exploração do acervo à luz da bibliometria, geoanálise e redes sociais. Rev. adm. empres. [on-line]. 2011, vol. 51, n. 3, p. 280-306.

GASPAR, M. A. Gestão do conhecimento em empresas atuantes na indústria de software no Brasil: um estudo das práticas e suas influências na eficácia empresarial. Tese. São Paulo. 2010. 219 p.

MEC. INEP – Instituto nacional de estudos e pesquisas educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2010. Publicado em outubro 2011. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index. Acesso 27 set. 2012.

MEC. Secretaria de Educação a Distância. Referencial de Qualidade para educação superior a distância. Brasília. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/legislacao/refead1.pdf Acesso 25 set. 2012.

MELLO, A. A. A. O uso do teletrabalho nas empresas de call center e contact center multiclientes atuantes no Brasil: Estudo de caso para identificar as forças propulsoras, restritivas e contribuições reconhecidas. Tese. São Paulo. 2011. 268 p.

MELLO, A.; SANTOS, S. O Modelo de Gestão Virtual e o Teletrabalho. Business School. São Paulo. 2010.

MORAES, A. M. P. Introdução à Administração. 3. ed. São Paulo. Prentice Hall. 2004.

MOTTA, F. C. P.; CALDAS, M. P. Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas. 1997. 325 p.

ROSENFIELD, C. L.; ALVES, D. A. Autonomia e trabalho informacional: o teletrabalho. Dados [on-line]. Vol. 54, n. 1. p. 207-233. 2011.

SILVA, J. M.; GARROCINI, E. C. G. O Trabalho Docente do Tutor na Educação a Distância. Indaiatuba: Associação nacional dos tutores da educação a distância. 2010.

SILVA, P. A. M. Breves anotações sobre o teletrabalho no direito do trabalho brasileiro. Suplemento Trabalhista, editora LTR, v. 065, p. 317-320. 2012.

SILVA, R. O. Teoria geral da administração. São Paulo: Pearson Prentice. 2008.

SODRÉ, M. Antropológica do Espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede. Petrópolis: Vozes, 2002.

SOUZA NETO, J. C. A metamorfose do trabalho na era da globalização. São Paulo: Expressão & Arte. 2004. 135 p.

The Hofstede Center. Disponível em: http://geert-hofstede.com/national-culture.html. Acesso em 18 jan. 2013.