Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Enfermeiro como Articulador do Cuidado Humanizado no Atendimento às Urgências e Emergências - Revisão

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/2238-1945/pcnb.v3n6p31-40

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/bio/index 

downloadpdf

Ana C. D. Campos1, Bárbara C. de Paula1, Bruna C. da Silva1, Marina D. de O. Lima1, Marcos M. C. Lara1 & Karla R. da Silva2

 

Resumo: O conceito de urgência e emergência implica em uma situação crítica que pode ser definida, de modo abrangente, como aquela em que o indivíduo entra em um desequilíbrio homeostático por enfrentar obstáculos que se antepõem a seus objetivos de vida. Torna-se pois, um desafio para a enfermagem a construção de seu fazer considerando as dimensões do ser de cuidado e do ser cuidador. Essas dimensões devem ser claras para que se possa efetuar um cuidado humanizado, cuidado este, que se desenvolve no encontro com o outro. Entende-se ser relevante a realização deste estudo, já que o Enfermeiro enquanto líder necessita integrar o cuidado humanizado às práticas de Urgência e Emergência. O objetivo deste estudo foi descrever os achados literários referente ao Enfermeiro como articulador do cuidado humanizado no serviço de atendimento de Urgência e Emergência. Foi realizada uma revisão de literatura do período de agosto a outubro de 2013 principalmente de artigos científicos localizados através da Biblioteca Virtual de Saúde, nas seguintes bases de dados: Scientific Electronic Library Online (SCIELO) e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS). Através dessa pesquisa foi possível responder a seguinte pergunta: “Considerando a imprevisibilidade, o ritmo acelerado de trabalho, a vigilância constante, a sobrecarga física e a busca incessante pela manutenção da vida, seria possível pensar em assistência humanizada no âmbito emergencial?” Com base nos trabalhos analisados, considera-se um desafio para a enfermagem a construção de seu fazer, tendo como base as dimensões do ser de cuidado e do ser cuidador. Essas dimensões devem ser claras para que se possa efetuar um cuidado humanizado, cuidado este, que se desenvolve no encontro com o outro. Para o Enfermeiro, especialmente aos profissionais de Urgência e Emergência, mediante a perspectiva oferecida pelo sistema, tornar-se humano atualmente pode parecer secundário, mas, mesmo às sombras de uma prática deficitária, não somente na discussão como no implemento, humanizar a enfermagem é um ponto crucial, tão relevante quanto a própria vida.

Palavras-chave: cuidado humanizado, enfermeiro

 

Abstract: Introduction: The concept of emergency care implies a critical situation that can be defined in a comprehensive manner, as one in which the individual enters a homeostatic imbalance, by facing obstacles that are faced with their life goals. It is therefore a challenge for nursing building your do considering the dimensions of the care and caregiver. These dimensions must be clear so you can make humanized care, this care, which develops in the encounter with the other. It is deemed relevant to this study, since the nurse leader needs while integrating humanized care practices and emergency. Objective: describe the literature findings regarding the nurse as articulator of humanized care in customer service and emergency. Methods: We used a literature review in the months of August, September and October 2013, Which developed through materials already developed, consisting mainly of scientific articles located through the Virtual Health Library, in the following databases: Scientific Electronic Library Online (SciELO) and Latin American and Caribbean Health Sciences (LILACS). Through this research it was possible to answer the following question: "Considering the unpredictability, the fast pace of work, the constant surveillance, physical overload and the ceaseless search for the maintenance of life, one could think of humanized under emergency ?" Results and discussion: based on the studies reviewed, it is a challenge to the nursing building your make, based on the dimensions of the care and caregiver. These dimensions must be clear so you can make humanized care, this care, which develops in the encounter with the other. Final Thoughts: For the nurse, especially professionals to Emergency Department, through the perspective offered by the system, become human today can seem secondary, but even the shadow of a deficient practice, not only in the discussion on how to implement, humanizing nursing is a crucial point, as important as life itself.

Key words: humanized care, nurse

 

1 Estudantes do Curso de Graduação - Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais
2 Enfermeira, Doutora em Ciências da Saúde. Mestre em Ciências da Saúde. Especialista em Urgência e Atendimento pré-hospitalar Móvel. Correspondencia e-mail: karlarona@bol.com.br

 

Literatura Citada

ALMEIDA, Paulo Jorge dos Santos; PIRES, Denise Elvira Pires de. O trabalho em emergência: entre o prazer e o sofrimento. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 09, n.3, 2007. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/index.php/fen/article/view/7445/5282>.

ANDRADE LM; MARTINS EC; CAETANO JÁ; SOARES E; BESERRA EP. Atendimento humanizado nos serviços de emergência hospitalar na percepção do acompanhante. Revista Eletrônica de Enfermagem [Internet]. 2009.

BARROS, Sônia; OLIVEIRA, Márcia Aparecida Ferreira de; SILVA, Ana Luisa Aranha e. Práticas inovadoras para o cuidado em saúde. Revista da Escola de Enfermagem. USP [online]. 2007, vol.41, n.spe ISSN 0080-6234.

BERGAMINI, CW. O desafio da liderança. In: Bergamini CW, Coda R, organizadores. Psicodinâmica da vida organizacional: motivação e liderança. 2ª ed. São Paulo (SP): Atlas; 1997. p. 319-42.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção às Urgências. Brasília: Ministério da Saúde, 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Qualisus - Política de qualificação da atenção à saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2004. São Paulo: MS, 2005. 2v.

COSTA, Nayara Mendes; MELLO, Renata Zotin Ramos; OLIVEIRA, Tayane Cristina de Melo; PARREIRAS, Mayara Morais; SILVA, Roberta Rúgio da; SILVA, Karla Rona da. A Ótica empreendedora do enfermeiro: Capacitação e atuação de profissionais no transporte aeromédico. Periódico Científico do Núcleo de Biociências - ISSN: 2238-1945, v.03, n.05, ago de 2013.

DAVID, Helena Maria Scherlowski Leal. Atores, cenários, regulação: notas sobre a atenção em urgência e emergência no setor de saúde suplementar. Agência Nacional de Saúde Suplementar, 2003. Disponível em: < http://www.ans.gov.br/portal/upload/biblioteca/TT_AS_Tema2Helena%20David.pdf>.

FERREIRA, Alexandra Belisário, COTOSCK, Pamela, MOREIRA, Simone Vitória, SILVA, Karla Rona da. Práticas de enfermagem que podem minimizar a ocorrência de pneumonia associada à ventilação mecânica invasiva em Unidade de Terapia Intensiva. Periódico Científico do Núcleo de Biociências – ISSN: 2238-1945, v.03, n.05, ago de 2013.

GALLO, Adriana Martins; MELLO, Hellen Caroline de. ATENDIMENTO HUMANIZADO EM UNIDADES DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA. Revista F@pciência, Apucarana-PR, ISSN: 1984-2333, v.5, n. 1, p. 1 – 11, 2009.

HERSEY, P, BLANCHARD, KH. Psicologia para administradores de empresas. São Paulo (SP): EPU/MEC; 1976.

JÚNIOR; José Aparecido Bellucci, MATSUDA; Laura Misue. O enfermeiro no gerenciamento à qualidade em serviço hospitalar de emergência: revisão integrativa da literatura. Revista Gaúcha Enfermagem. Porto Alegre, 2011.

LAUTERT, Liana; PAI, Daiane Dal. Suporte humanizado no Pronto Socorro: um desafio para a enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, Rio Grande do Sul, v.58, n.2, 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reben/v58n2/a21>.

MONTEZELI, Juliana Helena et al. Enfermagem em emergência: humanização do atendimento inicial ao politraumatizado à luz da teoria de Imogene King. Cogitare Enfermagem, v.14, n.2, 2009. Disponível em: < http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/cogitare/article/view/15634 >.

MOTTA, PR. Gestão contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. 9ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Record; 1998.

OLIVEIRA, Ana Paula dos Santos, et al. Educação continuada em serviço de urgência e emergência. Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, São Paulo, v. 15, n. 3, 2011. Disponível em: <http://www.sare.anhanguera.com/index.php/rensc/article/view/2398/1268>.

SALOME, Geraldo Magela; MARTINS, Maria de Fátima Moraes Salles; ESPOSITO, Vitória Helena Cunha. Sentimentos vivenciados pelos profissionais de enfermagem que atuam em unidade de emergência. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 62, n. 6, Dec. 2009. Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd170/humanizacao-da-assistencia-de-enfermagem.htm >.

SIMÕES, ALA, FÁVERO, N. O Desafio da liderança para o enfermeiro. Revista Latino-americana de Enfermagem. setembro-outubro, 2003. 11(5):567-73. doi

SOUZA, et al. A humanização do atendimento e a percepção entre profissionais de enfermagem nos serviços de urgência e emergência dos prontos socorros: revisão de literatura. Ciência et Praxis, v. 5, n. 9, 2012.