Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Diversidade Microbiana Utilizada na Biorremediação de Solos Contaminados por Petróleo e Derivados

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/2238-1945/pcnb.v3n5p1-14

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/bio/index 

downloadpdf

Rosiane M. Oliveira1 & Fabiana Alves2

 

Resumo: A Biorremediação é uma tecnologia segura e eficiente quando comparada aos processos físicos e químicos convencionais utilizados no tratamento de locais contaminados. O petróleo e seus derivados, quando no ambiente, ocasionam grande impacto ecológico, além de infringirem a legislação ambiental. No entanto, o petróleo é uma fonte com alto teor de carbono e, por isso, seus hidrocarbonetos são atacados por micro-organismos quando entra em contato com o ar e umidade. O objetivo do presente estudo foi inventariar os produtos orgânicos de origem petrolífera e os principais micro-organismos utilizados na biorremediação de solos contaminados por petróleo e derivados. Foi realizada uma revisão bibliográfica em trabalhos publicados entre os anos de 1998 e 2013. Em seguida, os dados foram tabulados e foram construídos quadros correlacionando o produto de origem petrolífera e os respectivos micro-organismos biorremediadores. Dentre os trabalhos analisados foi possível constatar que os principais gêneros de fungos e bactérias citados com capacidade de degradação dos derivados de petróleo foram: Aspergillus, Penicillium, Fusarium, e Pseudomonas, Sphingomonas, Mycobacterium, Microbacterium, Gordonia, respectivamente. De acordo com os dados obtidos foi possível verificar que a biodegradação do petróleo em ambientes naturais ou em laboratório, não pode ser realizada por uma única espécie microbiana, uma vez que os poluentes são constituídos por vários tipos de hidrocarbonetos e nenhum micro-organismo é capaz de degradar sozinho todos os componentes presentes no ambiente contaminado. O conhecimento da biodiversidade e da pesquisa de novos micro-organismos tornam-se um dos focos principais da era biotecnológica e vem auxiliando positivamente nos programas relacionados à gestão de áreas contaminadas.

Palavras-chave: hidrocarbonetos, biodegradação, contaminação ambiental, qualidade dos solos, micro-organismos

 

Abstract: The Bioremediation is a safe and efficient technology when compared to conventional physical and chemical processes used in the treatment of contaminated sites. Oil and its derivatives, when in the environment, cause great ecological impact, addition to violating environmental laws. However, oil is a source with a high carbon content and therefore its hydrocarbons are attacked by micro-organisms when it comes into contact with air and moisture.The main objective of this study was to inventory the organic products of petroleum origin and the main micro-organisms used in bioremediation of soils contaminated by oil and oil products.Was performed a literature review published between the years 1998 and 2013. Then the data were tabulated and tables were constructed correlating the product of petroleum and its micro-organisms bioremediators. Among the works analyzed it was established that the main kind of fungi and bacteria cited capacity degradation of petroleum were: Aspergillus, Penicillium, Fusarium, and Pseudomonas, Sphingomonas, Mycobacterium, Microbacterium, Gordonia, respectively. According to the data obtained it was possible to verify that the biodegradation of oil in natural environments or in the laboratory can’t be performed by a single microbial species, since the pollutants are composed of various types of hydrocarbons and no micro-organism is capable degrade by yourself all components present in the contaminated environment. The biodiversity knowledge and research of new microorganisms becomes a major focus of biotechnological era and has helped in the programs positively related to the management of contaminated places.

Key words: hydrocarbons, biodegradation, environmental contamination, soil quality, micro-organisms

 

1 Graduanda em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix – Belo Horizonte/MG. E-mail: rose.moliveira@hotmail.com
2 Doutoranda em Fisiologia pelo Departamento de Fisiologia e Farmacologia da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG. Mestre em Ciência Animal, UFMG

 

Literatura Citada

ABBAS, M. Z. M. A biorremediação como ferramenta para a minimização de problemas ambientais. Piracicaba: Universidade de São Paulo, Escola de Agricultura “Luiz de Queiroz”, 2003.

ALEXANDER, M. Biodegradation and bioremediation. 2.ed. New York: Academic Press, 1999. 453p.

ARAÚJO, F. S. M.; LEMOS, J. L. S. Isolamento e identificação de fungos degradadores de petróleo. In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 10,2002. Anais... [S. 1.]: CENTRO DE TECNOLOGIA MINERAL – CETEM/ MCT, 2002.

ATAGANA, H. I.; HAYNES, R. J.; WALLIS, F. M. Fungal Bioremediation of creosote contaminated soil: a laboratory scale bioremediation study using indigenous soil fungi. Water, Air, and Soil Pollution, v. 172, p. 201-219, 2006. doi

BENTO, F. M.; CAMARGO, F. A. O.; OKEKE, B. Bioremediation of soil contaminated by diesel oil. Brazilian Journal of Microbiology, São Paulo, v.34, supl.1, p. 65-68, Nov. 2003. https://doi.org/10.1590/S1517-83822003000500022

CAO, B.; NAGARAJAN, K.; LOH, K. C. Biodegradation of aromatic compounds: current status and opportunities for biomolecular approaches. Revista em Agronegócios e Meio Ambiente. V.3, n.3, p. 291-310, set./dez. 2010.

CETESB: Companhia de tecnologia de saneamento ambiental. Relação de áreas contaminadas, 2009. Disponível em: <http://www.cetesb.sp.gov.br/>. Acesso em: 10 de mar. 2013.

CETESB. Companhia de tecnologia de saneamento ambiental. Gerenciamento de áreas contaminadas: investigação para remediação no Estado de São Paulo. Dezembro de 2010.Disponível em: <http://www.cetesb.sp.gov.br/areas-contaminadas/relacoes-de-areascontaminadas/15/publicacoes> Acesso em: 29 abr. 2013.

CHAILLAN, F.; LEFLECHE, A.; BURY, E.; GRIMONT, P.; SALIOT, A.; OUDOT, J. Identification and biodegradation potential of tropical aerobic hydrocarbon-degrading microorganisms. Research in Microbiology, v. 155, p. 587-595, 2004. doi

COLLA, L. M.; PRIMAZ, A. L.; LIMA, M.; BERTOLIN, T. E.; COSTA, J. A. V. Isolamento e seleção de fungos para biorremediação a partir de solo contaminado com herbicidas triazínicos. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.32, n.3, p.809-813, maio-junho, 2008.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA. Disponível em:<http://www.conama.com.br>. Acesso em: 15 mar. 2013.

CONCEIÇÃO, D. M.; ANGELIS, D. A.; BIDOIA, E. D.; ANGELIS, D. F. Fungos filamentosos isolados do Rio Atibais, SP e refinaria de petróleo biodegradadores de compostos fenólicos. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v. 72, n. 1, p. 99-106, jan./mar. 2005.

COSTA, M. D. Notas de aula: Biorremediação de solos contaminados. MBI 650 Microbiologia do solo. Universidade Federal de Viçosa. 2011.

COSTA, S. P. Biodegradabilidade de n-hexadecano por bactérias livres e imobilizadas em quitosana. 2006. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia de Produtos Bioativos) - Universidade Federal de Pernambuco, 2006.

DESAI, J. D.; DESAI, A. J. Biosurfactants: production, properties, applications. Ed. NainKosaric, University of Western Ontario: London, Canada, cap. 3, 504 p., 1993.

EMBRAPA. Aprendendo sobre o solo. Disponível em: <http://www.cnps.embrapa.br/search/mirims/mirim01/mirim01.html>. Acesso em: 17 out. 2012.

FURUKAWA, G. G.; SANTOS, R. M. Estudo da aplicação de material estruturante e Bioestímulo na biorremediação de solos contaminados por petróleo. Anais... I Jornada PCI – 2007.

JACQUES, R. J.; BENTO, F. M.; ANTONIOLLI, Z. I.; CAMARGO, F. A. O. Biorremediação de solos contaminados com hidrocarbonetos aromáticos policíclicos. Ciência Rural. 2007, vol.37, n.4, p. 1192-1201. doi

KANG, S.; OH, K. H.; KAHNG, H. Y. Physiological characterization of BTEX degrading bacteria Microbacterium sp. EMB-1 and Rhodococcus sp. EMB-2 isolated from reed rhizosphere of sunchon bay. Korean Journal of Microbiology and Biotechnology, v. 33, n. 3, p. 169-177, 2005.

LAVORENTI, A. Comportamento dos herbicidas no meio ambiente. In: CENTRO NACIONAL DE PESQUISA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL. Anais do Workshop sobre Degradação. Jaguariúna, SP: Embrapa-CNPMA, 1996. v. 1. p. 81-115.

LOVLEY, D. R. Cleaning up with Genomics: applying molecular biology to bioremediation. Nature Reviews – Microbiology. Vol. 1. October 2003. doi

MAKIKO, K.; KAZUAKI, S.; SHUNJI, O.; SHIN, T.; AKIKO, M. Identification of alkane degrading bacteria in petroleum hydrocarbon-contaminated soil. Journal of Japan Society on Water Environment. V. 29, n. 1, p. 37-43, 2006. doi

MARIANO, A. P.; ANGELIS, D. F.; BONOTTO, D. Monitoramento de indicadores geoquímicos e avaliação de biodegradação em área contaminada com óleo diesel. Eng. Sanit. Ambient. 2007, vol.12, n.3, pp. 296-304. doi

MARIANO, A. P. Avaliação do potencial de biorremediação de solos e de águas subterrâneas contaminados com óleo diesel. 147 f. 2006. Tese (Doutorado em Geociências e Meio Ambiente) – Programa de Pós-Graduação em Geociências e Meio Ambiente, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2006.

MARTINS, P. F.; AZEVEDO, R. A. Perspectivas do uso de micro-organismos na biorremediação. Disponível em: <http://www.genetica.esalq.usp.br/pub/seminar/PFMartins-200701-Resumo.pdf>. Acesso em: 16 out. 2012.

MELO, I. S.; et al. Microbiologia Ambiental. 2. ed. rev. e ampl. – Jaguariúna, SP: EMBRAPA Meio Ambiente, 2008. 647 p.

MENEGHETTI, L. R. R. Biorremediação na descontaminação de solo residual de basalto contaminado com óleo diesel e biodiesel. Passo Fundo: UPF, 2007.

MOLLEA, C.; BOSCO, F.; RUGGERI, B. Fungal biodegradation of naphthalene: microcosms studies. Chemosphere, v. 60, n. 5, p. 636-643, 2005. doi

MORAIS, E. Biodegradação de resíduos oleosos provenientes de refinaria de petróleoatravés do sistema de biopilhas. 2005. 73 f. Dissertação (Programa de Pós Graduação em Geociências e Meio Ambiente – Mestrado e Doutorado) - Instituto de Geociências e Ciências Exatas - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2005.

NIKOLOVA, N.; NENOV, V. BTEX degradation by fungi. Water Science & Technology, v. 51, n. 11, p. 87-93, 2005.

OTENIO, M. H.; SILVA, M. T. L.; MARQUES, M. L. O.; ROSEIRO, J. C.; BIDOIA, E. D.Benzene, Toluene and Xylene biodegradation by Pseudomonas putida CCMI 852. Brazilian Journal of Microbiology. n. 36, p. 258-261, 2005. doi

PASSOS, C. T.; BURKERT, J. F. M.; KALIL, S. J.; BURKERT, C. A. V.; Biodegradação de fenol por uma nova linhagem de Aspergillus sp. Isolada de um solo contaminado do Sul do Brasil. Química Nova, vol.XY, n. 00 1-5.

RAVELET, C.; KRIVOBOK, S.; SAGE, L. STEIMAN, R. Biodegradation of pyrene by sediment fungi. Chemosphere,v. 40, p. 557-563, 2000. doi

ROSA, A. P.; TRIGUIS, J. A. Estudos experimentais da análise dos processos de biorremediação na mitigação do impacto ambiental. Rio de Janeiro: Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), 2005.

SABATÉ, J.; VIÑAS, M.; SOLANAS, A. M. Laboratory-scale bioremediation experiments on hydrocarbon contaminated soils. International Biodeterioration & Biodegradation, v. 54, n. 1, p. 19-25, 2004. doi

SANTOS, R. M; RIZZO, A. C. L; SOBRAL, L. G.S. Remediação de solo contaminado por petróleo em biopilhas – escala piloto. Campinas: Centro de tecnologia mineral CETEM, 2007.

SILVA, R. F.; ANTONIOLLI, Z. I.; ANDREAZZA, R.; JUNIO, C. O. M. Seleção de fungos ectomicorrízicos tolerante a cobre em meio de cultura. 2007, Disponível em: <http://w3.ufsm.br/ppgcs/congressos/CBCS_RECIFE/BIOLOGIA.pdf>. Acesso em: 6 Abr. 2013.

SILVA, T. R.; VALDMAN, E.; VALDMAN, B.; LEITE, S. G. F. Salicylic acid degradation fromaqueous solutions using Pseudomonas fluorescens HK44: parameters studies and application tools. Brazilian Journal of Microbiology. n. 38, p. 39-44. 2007. doi

TEIXEIRA, A. S.; BENTO, F. M. Isolamento e caracterização de bactérias degradadoras de gasolina comercial. 2007. Dissertação (Mestrado em faculdade de Agronomia) - Universidade federal do Rio Grande do Sul, 2007.

TONINI, R. M. C. W.; REZENDE, C. E.; GRAVITOL, A. D. Degradação e biorremediação de compostos do petróleo por bactérias: revisão. Oecologia Australis. 14(4): 1027-1035, 2010. doi

UFSM. O solo no ambiente. Disponível em: <http://w3.ufsm.br/fisica_e_genese/Graduacao/Solos_Prod_Animal/Transparencias/funcoes_spa_2006_1.pdf>. Acesso em: 17 out. 2012.

USBERCO, J.; SALVADOR, E. Química - volume único. 5ª ed. reform.— São Paulo : Saraiva, 2002.

VIDALLI, M. Bioremediation. An overview. Pure and Applied Chemistry. v.73, p. 1163-1172. 2001. doi

WETLER-TONINI, R. M. C. Biodegradação Bacteriana de Petróleo e seus Derivados. Rev. Virtual Quim., 2011, 3 (2), 78-87.