Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Direito ao Lazer em Debate

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/2237-955X/dih.v10n10p1-17

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/dih/index 

downloadpdf

Bernardo A. Duarte1

 

Resumo: Este artigo visa apresentar um novo ponto de vista sobre o Direito ao Lazer. Ele sugere uma reconstrução do modo usual de se fazer Ciência, manejar políticas públicas e compreender conceitos relacionados ao lazer. Para tanto, inicialmente é necessário criticar as tradicionais abordagens do dogmatismo jurídico acerca desse direito. Em seguida, sugestões serão feitas a fim de superar a escassez e o mero assistencialismo neste campo, na tentativa de construir uma nova forma de cidadania, adquirida através do exercício do direito ao lazer.

Palavras-chave: direito, lazer, reconstrução, cidadania

 

Abstract: This article aims to present a new viewpoint on Right to Leisure. It suggests a reconstruction of the usual way of doing Science, arranging public police and understanding concepts related to leisure. For doing so, at first, it is necessary to criticize the traditional approaches of the juridic dogmatism about such right. Secondly, suggestions are made in order to overtake scarcity and mere assistencialism in this field, in an attempt to build up a new way of citizenship acquired through the exercise of the right to leisure.

Key words: right, leisure, reconstruction, citizenship

 

1 Advogado. Especialista em Direito Constitucional pelo Instituto de Educação Continuada – PUCMINAS. Mestre em Direito Público pela PUCMINAS-BH. Professor de Direito Constitucional e Teoria do Direito do Instituto Metodista Izabela Hendrix

 

Literatura Citada

BRASIL. Constituição, 1988: Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Disponível em http://www.planalto.gov.br. Acesso de 01 janeiro/09 a 14 fevereiro/09.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Direito Administrativo e Políticas Públicas. São Paulo: Saraiva, 2006.

BUCCI, Maria Paula Dallari. O conceito de política pública em direito. In: BUCCI, Maria Paula Dalari. (Org.). Políticas públicas: reflexões sobre o conceito jurídico. 1 ed. São Paulo: Saraiva, 2006b.

BUSTAMANTE, Thomas da Rosa de. Argumentação Contra Legem: a Teoria do Discurso e a Justificação. Rio de Janeiro: Renovar, 2005.

BUSTAMANTE, Thomas da Rosa de. Teoria do Direito e da Decisão Racional. Temas de Teoria da Argumentação Jurídica. Rio de Janeiro: Renovar, 2008.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. “Prefácio” In Idem. Constituição Dirigente e a vinculação do legislador. 2ª ed. Coimbra: Coimbra Editora, 2001.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. “Metodologia Fuzzy” e “Camaleões Normativos” na Poblemática actual dos Direitos Económicos, Sociais e Culturais. In Idem. Estudos sobre Direitos Fundamentais. 1. Ed. Brasileira. 2.ed. portuguesa. São Paulo: Revista dos Tribunais; Coimbra: 2008a.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. O Tom e o Dom na Teoria Jurídico-Constitucional dos Direitos Fundamentais. In Idem. Estudos sobre Direitos Fundamentais. 1. Ed. Brasileira. 2.ed. portuguesa. São Paulo: Revista dos Tribunais; Coimbra: 2008b.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. “Bypass” social e núcleo essencial de prestações sociais. In Idem. Estudos sobre Direitos Fundamentais. 1. Ed. Brasileira. 2.ed. portuguesa. São Paulo: Revista dos Tribunais; Coimbra: 2008c.

CRUZ, Álvaro Ricardo de Souza. Habermas e o Direito Brasileiro. 1. ed. Belo Horizonte: Lumen Juris, 2006.

CRUZ, Álvaro Ricardo de Souza. Hermenêutica Jurídica e(m) debate. 1ª ed. Belo Horizonte: Fórum, 2007.

CRUZ, Álvaro Ricardo de Souza. A Resposta Correta: incursões jurídicas e filosóficas sobre as teorias da Justiça. Belo Horizonte: Arraes Editores, 2011.

CRUZ, Álvaro Ricardo de Souza; DUARTE, Bernardo Augusto Ferreira Duarte. Além do Positivismo Jurídico. Belo Horizonte, Arraes Editores, 2013.

DE MASI, Domênico; PALIERI, Maria Serena. O ócio criativo: entrevista a Maria Serena Palieri. 2. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2000.

DUARTE, Bernardo Augusto Ferreira; RIBEIRO, Fernando Armando. Aplicabilidade do Mandado de Injunção como viabilizador do exercício do Direito Social ao Lazer. DeJure. Revista Jurídica do Ministério Público do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte, n.11(jul/dez. 2008a), p.415-445.

DUARTE, Bernardo Augusto Ferreira; RIBEIRO, Fernando José Armando. O renascimento do Mandado de Injunção. Cadernos da Escola do Legislativo, Belo Horizonte, v. 10, n. 15, p. 131-155, jan/dez. 2008b.

DUARTE, Bernardo Augusto Ferreira. O direito ao lazer sob a ótica pós-positivista: uma proposta dialógica de compreensão e implementação. Apresentado no Congresso XVII Congresso Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Direito, 2008, Brasília (DF). XX Anos da Constituição da República do Brasil: reconstrução, perspectivas e desafios, 2008. p. 3313-3344.

DUARTE. Bernardo Augusto Ferreira. Levando o Direito ao Lazer a sério. Revista do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte, v. 73, n. 4, ano XXVII , p. 75 – 98, Out/Nov. 2009.

DUARTE. Bernardo Augusto Ferreira. Direito à Saúde e Teoria da Argumentação. Em Busca da Legitimidade dos Discursos Jurisdicionais. Belo Horizonte: Arraes Editores, 2012.

DUBOIS, Christian. Heidegger: Introdução a uma leitura. Tradução Bernardo Barros Coelho de Oliveira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 2004).

DUMAZEDIER, Jofre. A teoria sociológica da decisão. São Paulo: SESC, 1980.

ESPORTE. Lei de Incentivo. Lei 11.438/2006. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11438.htm>. Acesso em 15 janeiro/2009.

GALDINO, Flávio. Introdução à Teoria dos Custos dos Direitos: Direitos não nascem em árvores. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2005.

HABERMAS, Jürgen. Soberania Popular como procedimento. Tradução: Marcio Suzuki. Novos estudos Cebrap, São Paulo, n. 26, p. 100 – 113, mar. 1990.

HABERMAS, Jürgen. A inclusão do outro. Tradução: George Sperber, Paulo Astor Soethe. São Paulo: Loyola, 2002.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade. Tradução: Flávio Beno Siebeneichker - UGF. Rio de Janeiro: Ed. Tempo Brasileiro, 2003a.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade. vol. II. Tradução: Flávio Beno Siebeneichker – UGF. Rio de Janeiro: Ed. Tempo Brasileiro, 2003b.

HABERMAS, Jürgen. Verdade e Justificação. Tradução de Milton Camargo Mota. São Paulo: Loyola, 2004.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Parte I. Tradução Márcia de Sá Cavalcanti. 2ª Ed. Petropolis, 1988: Vozes.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Parte II. Tradução Márcia de Sá Cavalcanti Schuback. 10ª Ed. Petropolis, 2002: Vozes; Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco.

HOLMES, Stephen and SUSTEIN, Cass R. The cost of rights: Why liberty depends on taxes. New York: Norton & Company. 1999.

OLIVEIRA, Manfredo Araújo de. Reviravolta lingüístico-pragmática na filosofia contemporânea. 3ª ed. São Paulo: Loyola, 1996.

PEREIRA, Rodolfo Viana. Direito Constitucional Democrático: Controle e Participação como Elementos Fundamentes e Garantidores da Constitucionalidade. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.

SARMENTO, Daniel. Direitos Fundamentais e Relações Privadas. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2004.

SOUZA NETO, Cláudio Pereira de.; SARMENTO, Daniel. Direito Constitucional: teoria, história e métodos de trabalho. Belo Horizonte: Fórum, 2012.

SILVA, José Afonso. Curso de direito constitucional positivo. 16. ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2001.

STRECK, Lênio Luiz. Hermenêutica Jurídica e(m) Debate: Uma exploração hermenêutica da Construção do Direito. 6. ed. Porto Alegre, Livraria do Advogado: 2005.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações filosóficas. São Paulo: Abril Cultural, 1975.