Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Percepção do Estudante de Odontologia sobre os Fatores Estressores Relacionados ao Atendimento Infantil

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-1236/fol.v23n1p11-19

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/FOL/index 

downloadpdf

Aline N. Vargas1, Brunna N. V. Fontes2, Andrea B. Tolentino3, Lírian de C. M. Rodrigues4, Fabiana S. de Oliveira5 & Alessandra M. de Castro6

 

Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar a percepção do estudante de odontologia sobre os fatores estressores relacionados ao atendimento odontológico infantil. O instrumento para a coleta de dados foi um questionário autoaplicado contendo dados sociodemográficos, a identificação com a especialidade, a relação com a criança e uma lista com onze fatores estressores relacionados à criança e seus pais e/ou responsáveis. Foram aplicados dois questionários, o primeiro antes da primeira clínica de odontopediatria e o segundo após a última. Participaram da pesquisa 48 estudantes, sendo 36 (75,0%) e 12 (25,0%) dos gêneros feminino e masculino, respectivamente, com idades entre 19 e 26 anos (idade média = 21 anos). Após a última clínica, apenas 8 (16,7%) estudantes identificavam-se com a especialidade e 23 (47,9%) gostavam de atender crianças. Os principais fatores estressores citados foram: pacientes que não aceitam tratamento (81,3%) e manejar comportamentos não colaboradores (72,9%). Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre o primeiro e último questionários (p<0,05). Foi possível concluir que os principais fatores estressores relacionavam-se ao comportamento da criança.

Palavras-chave: fatores estressores, atendimento odontológico, crianças

 

Abstract: The aim of this study was to evaluate the student’s perception about dental stressors related to dental care for children. The instrument for data collection was a self-administered questionnaire on socio-demographic characteristics, the identification with the specialty, the relationship with the child and a list of eleven stressors related to children and their parents and/or guardians. Two questionnaires were obtained, the first before the first clinic of Pediatric Dentistry and the second after the last session. The participants were 48 students from the 6th period, 36 (75.0%) and 12 (25.0%) females and males, respectively, with ages between 19 and 26 years (mean age = 21 years). After the last clinic, only 8 (16.7%) students identified with the specialty and 23 (47.9%) liked to provide dental care to children. The main stress factors were: patients who do not accept treatment (81.3%) and managing non cooperative behavior (72.9%). There were no statistically significant differences between stressors before the first and the last questionnaire (p <0.05). Results showed that the main stressors were related to the child’s behavior. Keywords: stressors, dental care, children.

Key words: stressors, dental care, children

 

1 Aluna do Curso de Graduação em Odontologia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia
2 Aluna do Curso de Graduação em Odontologia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia
3 Aluna do Curso de Graduação em Odontologia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia
4 Aluna do Curso de Graduação em Odontologia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia
5 Professora Doutora da Área de Odontologia Pediátrica da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia
6 Professora Doutora da Área de Odontologia Pediátrica da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia

 

Literatura Citada

Corrêa MSNP, Klatchoian DA, Hiarata RA. Estresse psicológico e o cirurgião dentista (noções de interesse à prática clínica). Sucesso no atendimento odontopediátrico- aspectos psicológicos. São Paulo: Santos; 2002. p. 579-594.

Newton JT, Mistry K, Patel A, Perkins M, Saeed K, Smith C. Stress in dental specialists: a comparison of six clinical dental specialties. Prim Dent Care. 2002 Jul; 9(3): 100-4. doi

Kan M., Ishikawa T, Nagasaka N. A study of psychological stress created in dentists by children during pediatric dental treatment. Journal of Dentistry for Children. 1999; 66(1): 41-8.

Cardoso CL, Loureiro SR, Nelson-Filho P. Pediatric dental treatment: manifestations of stress in patients, mothers and dental school students. Pesquisa Odontológica Brasileira. 2004; 18(2): 150-5.

Cardoso CL, Loureiro SR. Estresse e comportamento de colaboração em face do tratamento odontopediátrico. Psicologia em estudo, 2008, jan.-mar.; 13(1): 133-44. doi

Alzahem AM, Van der Molen HT, Alaujan AH, Schmidt HG, Zamakhshary MH. Stress amongst dental students: a systematic review. Eur J Dent Educ. 2011; 15(2011): 8-18. doi

Piazza-Waggoner CA, Cohen LL, Kohli K, Taylor BD. Stress management for dental students performing their first pediatric restorative procedure. J. Dent. Educ. 2003; 67(5): 542-8.

Polychronopoulou A, Divaris K. Dental student’s perceived sources of stress: a multi-country study. J. Dent. Educ. 2009; 73(5).

Silverstein ST, Kritz-Silverstein D. A longitudinal study of stress in first-year dental students. J. Dent. Educ. 2010; 74(8).

Alwin N, Murray JJ, Niven N. The effect of children’s dental anxiety on the behavior of a dentist. Int. J. Paediatr. Dent. 1994; 4(1): 19-24. doi

Klatchoian DA. A relação dentista-paciente. In: Klatchoian DA. Psicologia odontopediátrica, 2ª ed. São Paulo: Santos; 2002. p. 13-27.

Cooper CL. Job satisfaction, mental health and job stressors among general dental practioners in the UK. Br Dent J. 1987; 162(2): 77-81. doi

Cunha MB. Metodologias para estudo de usuários de informação científica e tecnológica. Revista Biblioteconomia de Brasilia. 1982; 10(2): 5-19.

Morita MC, Haddad AE, Araújo ME. Perfil atual e tendências do cirurgião-dentista brasileiro. Maringuá: Dental Press International; 2010.

Nunes MF, Leles CR, Gonçalvez MM. Gênero e escolha por especialidades odontológicas: estudo com egressos de uma universidade pública. Rev Odontol Bras Central. 2010; 19(49).

Possobon RF, Carrascoza KC, Moraes ABA, Costa JR AL. O tratamento odontológico como gerador de ansiedade. Psicologia em estudo, 2007 set.-dez.; 12(3): 609-16. doi

Brandenburg OJ, Haydu VB. Contribuições da análise do comportamento em odontopodiatria. Londrina: Universidade Estadual de Londrina; 2009.

Kuhn BR, Allen KD. Expanding child behavior management technology in pediatric dentistry: a behavioral science perspective. Pediatric Dentistry, 1994; 16(1): 13-17.

Naidu RS, Adams JS, Simeon D, Persad S. Sources of Stress and Psychological Disturbance Among Dental Students in the West Indies. J. Dent. Educ. 2002; 6(9).

Tedesco LA. A psychosocial perspective on the dental educational experience and student performance. Journal of Dental Education. 1986; 50(10): 601-5.