Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Prevalência de Perdas Dentárias em Pacientes com Mais de 50 Anos da Clínica Odontológica da Universidade Gama Filho

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-1236/fol.v23n2p9-16

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/FOL/index 

downloadpdf

Gisela F. P. de Carvalho1 & Kyria S. Spyrides2

 

Resumo: Estudos científicos nacionais mostram uma realidade em que a maioria das pessoas idosas ou com mais de 50 anos possui muitas perdas dentárias ou tem uma média de cinco dentes presentes. O objetivo do presente estudo foi realizar um levantamento sobre a prevalência de perdas dentárias em pacientes com mais de 50 anos da Clínica Odontológica da Universidade Gama Filho, da cidade do Rio de Janeiro e, a partir daí, discutir a situação geral de saúde bucal do adulto e idoso no Brasil. De um total de 55 radiografias examinadas, observou-se que todos os pacientes (100%) apresentavam perdas dentárias. Assim, pode-se concluir que o enfoque das políticas públicas tem trazido resultados para a melhoria da saúde bucal dos jovens, com queda da prevalência de cárie de 41% para 31% em crianças, 30% em adolescentes, mas essas melhorias ainda não atingiram a população com mais de 50 anos.

Palavras-chave: inquéritos de saúde bucal, perda de dente

 

Abstract: National scientific studies show that most elderly or adults with over 50 years have many tooth losses or an average of five teeth. The aim of this study was to conduct a survey on the prevalence of tooth loss in patients over 50 years attending Gama Filho University’s Dental Clinic, in the city of Rio de Janeiro, and then discuss the general oral health condition of adults and elderly in Brazil. From a total of 55 X-rays, it was noted that all patients (100%) had tooth loss. Thus, we can conclude that the focus of public policies improved the oral health of young people, with a decrease in the prevalence of caries from 41% to 31% in children and 30% in teenagers, but these improvements have not yet reached the population over 50 years.

Key words: dental health surveys, tooth loss

 

1 Aluna do 8o período de Odontologia e bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da Universidade Gama Filho
2 Professora da Faculdade de Odontologia da Universidade Gama Filho e doutora em Radiologia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

 

Literatura Citada

Ferreira RC et al. Saúde bucal de idosos residentes em instituições de longa permanência de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Caderno Saúde Pública. 2009 Nov; 25(11): 2375-85. doi

Colussi CF, Freitas SFT. Aspectos epidemiológicos da saúde bucal do idoso no Brasil. Caderno Saúde Pública. 2002 Set-Out; 18(5): 1313-20.

Narvai PC. Diagnóstico de saúde bucal. São Paulo: Secretaria de Saúde do Município de São Paulo, 1988.

Silva ME de S et al. Impacto da perda dentária na qualidade de vida. Ciência & Saúde Coletiva. 2010; 15(3): 841-50. doi

Ferreira AA et al. A dor e a perda dentária: representações sociais do cuidado à saúde bucal. Ciência & Saúde Coletiva. 2006. 11(1): 211-18. doi

Pereira AC, Castellanos RA, Silva SRC, Watanabe MGC, Queluz DP, Meneghim MC. Oral health and periodontal status in Brazilian elderly. Braz Dent J. 1996; (7): 97-102.

Ramos LR, Veras RP, Kalache A. Envelhecimento populacional: uma realidade brasileira. Ver Saúde Pública. 1987; (21): 211-24.

Silva SRC. Autopercepção das condições bucais em pessoas com 60 anos e mais de idade [tese de doutorado]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública; 1999.

Silva SRC, Valsecki Júnior A. Avaliação das condições de saúde bucal dos idosos em um município brasileiro. Rev Panam Salud Publica/ Pan Am J Public Health. 2000; 8(4).

Silva DD, Sousa MLR, Toledo R, Lisboa CM, Taglietta MF. Condições de saúde bucal em idosos na cidade de Piracicaba. Rev. Assoc. Paulista Cir. Dent. 2000; (56): 183-7.

Carneiro RMV. Saúde bucal em idosos institucionalizados na cidade de São Paulo: estudo epidemiológico e de autopercepção [dissertação de mestrado]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública; 2001.

Silva AG, Cavalcante RTM, Soriano SS. Programa de saúde bucal na população idosa do Instituto Juvino Barreto no ano 2001. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2001.

Brasil. Ministério da Saúde. Projeto SB Brasil 2003: Condição de Saúde Bucal da População Brasileira 2002-2003 – Resultados Principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Gaião LR, Almeida MEL, Heuikelbach J. Perfil epidemiológico da cárie dentária, doença periodontal, uso e necessidade de prótese em idosos residentes em uma instituição na cidade de Fortaleza, Ceará. Rev Bras Epidemiol. 2005; 8(3): 316-23. doi

Jalles MA, Cabral RR, Silva HJ, Cunha DA. Características do sistema estomatognático em idosos: diferenças entre instituição pública e privada. Rev CEFAC. 2005; 7(2): 178-87.

Teófilo LT, Leles CR. Patients’ self-perception at the time and after tooth loss. Braz Dent J. 2007; 18(2). doi

Moreira RS. Perda dentária em adultos e idosos no Brasil: a influência dos aspectos individuais, contextuais e geográficos [tese de doutorado]. Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública; 2009.

Brasil. Ministério da Saúde. Brasil Sorridente: Pesquisa Nacional de Saúde Bucal 2010. Caderno de Saúde Pública. 2011, Jan.; 27(1): 4-5.

Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGEteen. [acesso em 21 mar. 2011]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/datas/idoso/politica_do_idoso_no_brasil.html.