Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Educação do Cidadão no Estado Democrático de Direito Neoliberal

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-1228/cd.v13n25p157-180

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/direito/index 

downloadpdf

Áurea C. Costa1 & Telma R. Ressineti2

 

Resumo: O objetivo deste texto foi problematizar a concepção de cidadania que fundamenta as políticas educacionais com vista à concretização do direito à educação pública dos trabalhadores no âmbito do estado democrático de direito neoliberal. Trata-se de pesquisa teórica, realizada sob a metodologia do materialismo histórico e dialético. Como resultados, apresentamos uma discussão introdutória sobre a concepção de democracia representativa e uma análise da concepção de indivíduo e sua relação com a sociedade no liberalismo. Também apresentamos a questão cidadania fetichizada no neoliberalismo e, finalmente, da função da escola como instituição de formação para a cidadania.

Palavras-chave: cidadania, direito à educação

 

Abstract: The aim of this study is to discuss the conception of citizenship that underpins the educational policies, focusing on the implementation of the workers’ right to education as part of the neoliberal democratic rule-of-law Sate. It is a theoretical research, carried out under the dialectical and historical materialism methodology. As a result, we present an introductory discussion on the concept of representative democracy, an analysis of the concept of individual and his relation with society within neo-liberalism. We also exhibit the issue of fetishized citizenship in neoliberalism and the school’s role as an institution that educates for citizenship.

Key words: citizenship, the right to education

 

1 Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação/Dep. Educação/IB/Unesp – Rio Claro. aurearc@rc.unesp.br
2 Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação/Dep. Educação/IB/Unesp. dgtelma@hotmail.com

 

Literatura Citada

ALTHUSSER, L. Ideologia e aparelhos ideológicos do Estado. São Paulo: Martins Fontes, 1970.

ALVERGA, de C. F. R. P. Democracia representativa e democracia participativa no pensamento político de Locke e Rousseau. 2003. 195f. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília, Brasília, 2003. Disponível em: <http://repositorio.bce.unb.br/bitstream/10482/1710/1/2003_CarlosFredericoRubinoPolarideAlverga.pdf>. Acesso em: 2 mar. 2013.

BOBBIO, N. O futuro da democracia: uma defesa das regras do jogo. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

BOBBIO, N. Direito e estado no pensamento de Emanuel Kant. 4. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1997.

BOBBIO, N. Qual democracia? São Paulo: Loyola, 2010.

BOBBIO, N.; MATTEUCCI, N.; PASQUINO G. Dicionário de política. 11. ed. Brasília: Universidade de Brasília, 1998.

CARVALHO, J. M. Cidadania no Brasil: o longo caminho. 13. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

CASTAÑO, D. J. El problema de la democracia en la obra de Thomas Hobbes. In: SEMANA DE ÉTICA Y FILOSOFÍA POLÍTICA, 16., 2009, Murcia. Anais… Murcia, 2009. p. 99-105. Disponível em <http://saavedrafajardo.um.es/WEB/archivos/respublica/Suplementos/001/S001-013.pdf>. Acesso em: 29 mar. 2013.

DIAS, E. F. A liberdade (im)possível na ordem do capital: reestruturação produtiva e passivização. 2. ed. rev. e ampl. Campinas: IFICH/Unicamp, 1999. (Textos didáticos, 29).

DUARTE, N. O bezerro de ouro, o fetichismo da mercadoria e o fetichismo da individualidade. In: DUARTE, N (Org.). Crítica ao fetichismo da individualidade. São Paulo: Autores Associados, 2004.

ELIAS, N. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

FRANCO, M. S. C. All world was America: John Locke, liberalismo e propriedade como conceito antropológico. Revista USP, n. 17, mar.-abr.-mai. 1993. (Dossiê Liberalismo/Neoliberalismo).

FRIGOTTO, G. Educação e crise do capitalismo real. Petrópolis: Vozes, 2000.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. Educação básica no Brasil na década de 1990: subordinação ativa e consentida à lógica do mercado. Educação e Sociedade, Campinas, v. 24, n. 82, p. 93-130, abril 2003. Disponível em: <http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em: 12 ago. 2013.

GOUNET, THOMAS. Fordismo e Toyotismo na civilização do automóvel. São Paulo: Boitempo editorial, 1999.

GRAMSCI, A. Obras escolhidas. São Paulo: Martins Fontes, 1978.

GRAMSCI, A. Maquiavel, a política e o estado moderno. 4. ed. São Paulo: Civilização Brasileira, 1980.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. 8. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

GRAMSCI, A. Americanismo e fordismo. Apresentação, comentários, notas e revisão técnica da tradução de Paolo Nosella. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 1992. (Mimeografado).

HARVEY, D. A condição pós moderna. São Paulo: Loyola, 2004.

HAYEK, F. A. Os fundamentos da liberdade. São Paulo: Visão, 1983.

HAYEK, F. A. Direito, legislação e liberdade: uma nova formulação dos princípios liberais de justiça e economia política. São Paulo: Visão, 1985.

HAYEK, F. A. O caminho da servidão. 5. ed. Rio de Janeiro: Instituto liberal, 1990.

HOBSBAWM, E. Era dos extremos: o breve século XX 1914-1991. São Paulo: Cia das Letras, 2001.

IASI, M. Democracia e fetiche: de homens e fantasmas. Blog da Boitempo, 2012. Disponível em: <http://blogdaboitempo.com.br/2012/11/21/democracia-e-fetiche-de-homens-e-fantasmas/>. Acesso em: 12 ago. 2013.

LOCKE, J. Segundo tratado sobre o governo civil. [S.l.]: Vozes, [1963?]. Disponível em: <http://www.xr.pro.br/IF/LOCKE-Segundo_Tratado_Sobre_O_Governo.pdf>. Acesso em: 22 mar. 2013.

MARSHALL, T. H. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MARX, K. O Capital. São Paulo: Nova Cutural, 1985. (Os Economistas, livro I).

MERQUIOR, J. G. O liberalismo: antigo e moderno. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991.

PORTELLI, H. Gramsci e o bloco histórico. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

ROSA, M. I. Do governo dos homens ou “as novas responsabilidades” do trabalhador. Educação e Sociedade, Campinas, n. 64, p. 130-147, 1997.

ROUSSEAU, J. J. Discurso sobre a economia política e do contrato social. Petrópolis: Vozes, 1995.

ROUSSEAU, J. J. O contrato social: princípios de direito político. 19. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 1999.

SCHWARZT, I. Travail et usage de soi. In: CHRISTOL, J.; TERSSAC, G. (Orgs.). Travail et philosophie: convocations mutuelles. Paris: Octares, 1996.

SCHUMPETER, J. A. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

SOARES, T. L. Os custos sociais do ajuste neoliberal na América Latina. São Paulo: Cortez, 2000.

TELLES, V. S. Direitos sociais: afinal do que se trata? Belo Horizonte: UFMG, 1999.

TONET, I. Para além dos direitos humanos. Novos Rumos, Marília, ano 17, n. 37, p. 63-72. 2002. Disponível em: <http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/novosrumos/article/view/2195>. Acesso em: 30 mar. 2013.