crosscheckdeposited

Valorizando a Riqueza Literária das Histórias na Educação Infantil

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v20n2p27-43

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Branca M. Camargo1 & Renata C. O. B. Cunha2

 

Resumo: Este artigo apresenta uma reflexão sobre a importância do conhecimento do valor dos textos literários para a formação de professores da Educação Infantil. Baseia-se nas contribuições de autores que discutem a relevância da literatura infantil e da interação social para o desenvolvimento e aprendizagem das crianças. A partir de análises das práticas pedagógicas realizadas por duas professoras, que contavam semanalmente histórias para os seus alunos de quatro e cinco anos, destaca-se que contar histórias não é algo tão natural ou espontâneo como pode parecer à primeira vista, mas resultado de uma formação que valorize o texto literário. Quando a preocupação tem como foco transmitir regras de comportamento e boas maneiras, bem como explicar significados e avaliar o conhecimento dos alunos, o texto literário não é explorado e a atividade passa apenas a ocupar um espaço da rotina, sem um aprofundamento que leve à construção de novos sentidos e novos símbolos. Faz-se necessário repensar a formação de professores de modo que a rotina de contar histórias na Educação Infantil possa efetivamente cumprir com seu papel de levar as crianças a um mundo simbólico, imaginativo, criativo e reflexivo.

Palavras-chave: literatura, educação infantil, formação de professores

 

Abstract: This paper is a discussion on the importance of knowing the value of literary texts for the preparation of Early Childhood Education teachers. It is based upon the contribution of authors who appraise the relevance of children’s literature and social interaction in the development and learning of the children. From the analysis of the pedagogical practices of two teachers who used to tell stories to their four and five year old pupils every week it is highlighted the fact that storytelling is not something so natural and spontaneous as it may appear at first glance, but results from training process which values the literary text. When the concern has as its focus the transmission of rules regarding good behavior and polite manners as well as the explanation of meanings and the evaluation of the pupils’ learning, the literary text is not explored and the activity begins to occupy a routine space, without a deepening which will lead to the construction of new meanings and new symbols. It is necessary to rethink the education of teachers in such a way that the practice of telling stories in Early Childhood Education may effectively fulfill its function of leading children to a symbolic, imaginative, creative and reflexive world.

Key words: literary, primary school, teacher training

 

1 Mestra em Educação Pela UNIMEP. Tutora do Curso de Licenciatura em Ciências da USP. brancamc@hotmail.com
2 Doutora em Educação pela UNICAMP. Professora do Programa de Pós Graduação em Educação – PPGE da UNIMEP. renata_bcunha@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

ALMEIDA, F. L. A margarida friorenta. São Paulo: Ática, 2009. (Coleção Passa Anel).

BAKHTIN, M. (VOLOCHINOV, V. N.) Marxismo e filosofia da linguagem. 7. ed. São Paulo: Hucitec, 1995.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BENJAMIN, W. Experiência e pobreza. In: BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Prefácio de Jeanne Marie Gagnebin. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense; 1987, p. 114-119. (Coleção Obras Escolhidas, 1).

CADERMATORI, L. O professor e a literatura: para pequenos, médios e grandes. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

CHINEN, A. B. …E foram felizes para sempre: contos de fadas para adultos. Tradução de Cecília Casas. São Paulo: Cultrix, 1989.

FREITAS, M. T. A. A perspectiva sócio-histórica: uma visão humana da construção do conhecimento. In: KRAMER, S.; JOBIM E SOUZA, S.; FREITAS, M. T. A. (orgs.). Ciências humanas e pesquisa: leituras de Mikhail Bakhtin. São Paulo: Cortez, 2003, 112 p., p. 26 - 38.

GINZBURG, C. Mitos, emblemas e sinais. São Paulo: Cia das Letras, 1989.

GÓES, M. C. R. As relações intersubjetivas na construção de conhecimentos. In: GÓES, M. C. R.; SMOLKA, A. L. B. (Orgs.). A significação nos espaços educacionais: interação social e subjetivação. Campinas: Papirus, 1997. p. 11-28.

GÓES, M. C. R. A abordagem microgenética na matriz histórico-cultural: uma perspectiva para o estudo da constituição da subjetividade. Cadernos Cedes, Campinas, v. 20, n. 50, p. 9–25, abr. 2000a. http://dx.doi.org/10.1590/s0101-32622000000100002

GÓES, M. C. R. A natureza social do desenvolvimento psicológico. In: GÓES, M. C. R; PINO, A. (orgs). Pensamento e linguagem: estudos na perspectiva da psicologia soviética. Cadernos Cedes, Campinas, n. 24, p. 21-29, jul. 2000b.

GRIMM, J. Os contos de Grimm. Tradução de Tatiana Belinky. Ilustrações: Janusz Grabianski. São Paulo: Paulinas, 1989.

HOODWINKED (Deu a louca na Chapeuzinho Vermelho). Direção: Cory Edwards. Produção: HOOTEN, K. et al. Atlanta: Blue Yonder Films e Kanbar Entertainment, 2007, 1 DVD, (80 min.), legendado/dublado, color.

KRAMER, S. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: Educação infantil e Fundamental. Educação e sociedade, Campinas, v. 27, n. 96, p. 797-818, out. 2006.

KRAMER, S. Infância e educação: o necessário caminho de trabalhar contra a barbárie. In: KRAMER, S. et al. (orgs.) Infância e Educação Infantil. 8. ed. Campinas: Papirus, p. 269-280, 2009.

MACHADO, R. Acordais: fundamentos teórico-poéticos da arte de contar histórias. São Paulo: DCL, 2004.

NEVES, A. Brinquedos. São Paulo: Mundo Mirim, 2009.

PINO, A. O social e o cultural na obra de Vigotski. Educação e sociedade, Campinas, v. 21, n. 71, p. 45-78, jul. 2000.

RIBEIRO, M. A. H. W.; GONÇALVES, C.; ZANELLA, M. P. As possíveis leituras/escutas do mundo encantado de Hans Christian Andersen. In: CONGRESSO ESTADUAL PAULISTA SOBRE FORMAÇÃO DE EDUCADORES, 8. 2005, Águas de Lindoia. Anais… Rio Claro: UNESP - Pró-Reitoria de Graduação, 2007, p. 47. (Artes e humanismo na formação do profissional docente).

SAWAYA, S. M. Narrativas orais e experiência: as crianças do Jardim Piratininga. In: OLIVEIRA, Z. de M. R. (org.) A criança e seu desenvolvimento: perspectivas para se discutir a Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2000, p. 31-49.

SCIESZKA, J. A verdadeira história dos três porquinhos. (Tradução de Pedro Maia Soares, Ilustrações de Lane Smith). São Paulo: Cia das Letrinhas, 2005.

SMOLKA, A. L. B. Comentários. In: VIGOTSKI, L. S. Imaginação e criação na infância. Tradução de Zoia Prestes. São Paulo: Ática, 2009. (Coleção Ensaios Comentados). 136 p.

VIGOTSKI, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VIGOTSKY, L. S. et al. Psicologia e pedagogia I: bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. Lisboa: Estampa, 1977. 125 p.

VIGOTSKI, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VIGOTSKI, L. S. Imaginação e criação na infância. (Tradução de Zoia Prestes. Comentários: SMOLKA, A. L.). São Paulo: Ática, 2009. 136 p.

WOOD, A. A casa sonolenta. (Tradução de Gisela Maria Padovan. Ilustrações de Don Wood). São Paulo: Ática, 2009. 32 p. (Coleção Abracadabra)

ZANELLA, A. V. et al. Questões de método em textos de Vygotski: contribuições à pesquisa em psicologia. Psicologia & sociedade, Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 25-33, 2007.

ZILBERMAN, R. A literatura infantil na escola. 11. ed. São Paulo: Global, 2003. 235 p. 235.

ZILBERMAN, R. Como e porque ler a literatura infantil brasileira. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005. 184 p.

ZILBERMAN, R. Sociedade e democratização da leitura. In: BARZOTTO, V. H. (org.). Estado de leitura. 2. ed. Campinas: Mercado de Letras, p. 31-46, 2009.

ZIRALDO. A fábula das três cores. 13. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1985.