Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Formação Inicial e Continuada de Professores(as) e a Educação no Quilombo de Conceição das Crioulas/PE

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v21n1p23-38

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Givânia M. Silva1 & Maria D. S. Rodrigues2

 

Resumo: Este artigo tem como objetivo estabelecer o diálogo entre a Política de Formação Inicial e Continuada de Professores(as) e a relação com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola, a partir da educação diferenciada do território quilombola de Conceição das Crioulas/PE. Apresentam-se alguns desafios para formar profissionais da educação, atendendo aos princípios da educação estabelecidos por aquelas diretrizes. As abordagens feitas neste texto foram identificadas em uma pesquisa realizada no território quilombola de Conceição das Crioulas, entre 2011/2012, com o objetivo de identificar em que aspectos a proposta de educação desenvolvida naquele território pode caracterizar-se como uma educação diferenciada. Além disso, objetiva perceber como a história de luta e a organização quilombola pode/deve/está inserida no contexto escolar, principalmente, no fomento da formação de professores(as) no território quilombola de Conceição das Crioulas.

Palavras-chave: território quilombola, educação, currículo de formação de professores(as)

 

Abstract: This article aims at establishing a dialogue between the Initial and In-Service Training of Teachers Policy and the National Curriculum Guidelines for the Quilombola School Education, starting from the differentiated education occurring in the quilombola territory of Conceição das Crioulas, State of Pernambuco. It highlights some challenges present in the training of education professionals, as the educational principles adopted by these guidelines are followed. The approaches used in this paper were identified in a survey conducted in the quilombola territory of Conceição das Crioulas between 2011/2012 aiming at identifying which aspects of the educational proposal under development in that territory could be characterized as a differentiated education. Furthermore, it aims to understand how the history of the quilombola struggle and organization can or should or is inserted throughout the school life, especially in the promotion of the training of teachers in that territory.

Key words: quilombola territory, education, teachers training curriculum

 

1 UnB, Universidade de Brasília. givaniaconceicao@gmail.com
2 UPE, Universidade Estadual de Pernambuco. divacrioula@hotmail.com

 

Literatura Citada

ALMEIDA, A. W. B. de. Os quilombos e as novas etnias. In: ODWYER, E. C. Quilombos: identidade étnica e territorialidade. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

ARAÚJO, E. F. A. Agostinha Cabocla: por três léguas em quadra – a temática quilombola na perspectiva global-local. 2008. 217f. Dissertação (Mestrado em Ciências Jurídicas) – Universidade Federal da Paraíba, Paraíba, 2008.

BRASIL. Constituição Federal da República do Brasil de 1988. Brasília, 1988.

BRASIL. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Estabelece as diretrizes e bases para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2003.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília: MEC/SECAD, 2005.

BRASIL. Plano Nacional de Educação, 2011-2020. Brasília, 2010. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=16478&Itemid=1107>.

BRASIL. Lei nº 11.645, de 10 de março de 2008. Disciplina inteiramente a matéria tratada na Lei 10.639/03 que revogou a anterior e acrescenta a obrigatoriedade da cultura. Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 8, de 20 de novembro de 2012. Brasília, 2012.

CANEN Ana; MOREIRA A. B. Reflexões sobre o Multiculturalismo na Escola e na Formação Docente. In: CANEN Ana; MOREIRA A. B. (Orgs.) Ênfases e omissões no Currículo. Campinas, SP: Papirus, 2001. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GOMES, N. L. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. In: BRASI L. Educação antirracista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/2003. Brasília: MEC, 2005.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Currículo em tempos de globalização: desigualdades, diferenças, exclusões. In: PEREIRA, Maria Zuleide de Costa et al. (Orgs.). Globalização, interculturalidade e currículo na cena escolar. Campinas, SP: Alínea, 2009.

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO do território quilombola de Conceição das Crioulas, 2011.

SANTOMÉ, J. T. Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Artes Médicas Sul Ltda., 1998.

SILVA. G. M. da. Educação como processo de luta política: a experiência de“educação diferenciada” do território quilombola de Conceição das Crioulas. 2012. 222f. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas e Gestão da Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2012.