Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Tessituras e Reflexões na Formação Continuada de Professores em Educação Étnico-Racial

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v21n1p91-106

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Maria A. S. C. Barreto1 & Patrícia G. R. Andrade2

 

Resumo: Objetiva-se analisar a formação continuada de professores em educação étnico-racial e suas tessituras a partir das experiências do núcleo de estudos afro-brasileiros (neab) da universidade Federal do espírito santo (uFes), no período de 2010-2012. a fundamentação teórico-metodológica foi pautada considerando-se a cosmovisão africana, as especificidades históricas e culturais da população negra nos diversos espaços geográficos do brasil e a análise dos processos opressivos de dominação sobre os africanos e afrodescendentes. os participantes da pesquisa foram profissionais das áreas docente, pedagógica e gerencial que atuavam na educação básica no sistema estadual de ensino. Propõe movimentos interligados de observação participante e entrevistas. Dentre outros aspectos, aponta que uma das principais vias para o aperfeiçoamento e organização do trabalho escolar e pedagógico nas escolas é compreender que a cosmovisão africana, reinventada em territórios brasileiros, contribui para o enriquecimento do debate acerca de diversas questões. Conclui-se que as ações investigativas dos núcleos de estudos afro-brasileiros (neabs), constituídos nas instituições de ensino superior (ies), devem considerar a afirmação do caráter pluriétnico da sociedade brasileira, a formação de professores para atuar na promoção da igualdade racial e a eliminação de qualquer fonte de discriminação e desigualdade racial.

Palavras-chave: relações étnico-raciais, formação continuada, educação antirracismo

 

Abstract: The objective here is to analyze the teachers’ in-service training and its weavings starting from the experiences of the african-brazilian studies Center (neab) of the Federal university of the espirito santo state (uFes), from 2010-2012. The theoretical and methodological approaches were based on the african worldview, on the cultural and historical specifications of the black population in different areas of brazil and on the analysis of the oppressive domination processes upon africans and african descendants.  The research participants were teachers, educators and managers who work with basic education at the state educational system. it proposes connected movements of participatory observation and interviews. among other aspects, it highlights the fact that one of the main ways toward the improvement and organization of the school and pedagogical work is the understanding that the african worldview, as reinvented in the brazilian territories, contributes to the enrichment of the discussions over several issues. The conclusion is that the investigative actions of the african-brazilian studies Centers (neabs), existing at the higher education brazilian institutions (ies), should take into consideration the affirmation of the multiethnic nature of brazilian society, the training of teachers to bring about racial equality, and the elimination of all sources of discrimination and racial inequality.

Key words: ethnic/racial relations, in-service training, anti-racism education

 

1 In memorian
2 UFES, Universidade Federal do Espírito Santo. patiruf@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

ANDRADE, Patrícia Gomes Rufino. A educação do negro na comunidade de Monte Alegre-ES em suas práticas de desinvibilização da cultura popular negra. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2007.

BAKHTIN , Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1999.

BARRETO, Maria Aparecida Santos Corrêa. Nucleo de Estudos Afro-Brasileiros da Ufes: construindo possibilidades no campo da educação. In: SISS , Ahyas; MON TEIRO, Aloísio. J.J. Educação e etnicidade: diálogos e ressignificações. Rio de Janeiro: Quartet: Leafro, 2011. p. 69-90.

BARRETO, Maria Aparecida Santos Corrêa; ANDRADE, Patrícia Gomes Rufino. Práticas educativas e formação de professores: contribuições do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Ufes. In: BARRETO, Maria Aparecida Santos Corrêa et al. (Org.). Africanidade(s) e afrodescendência(s): perspectivas para formação de professores. Vitória, ES : Edufes, 2012. p. 24-40.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil: Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996: estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/LEIS/L9394.htm>. Acessado em: 6 maio 2013.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/003.pdf . Acesso em: 7 maio 2013.

BRASIL. Orientações e ações para educação das relações étnico-raciais. Brasília: MEC/Secadi, 2006.

BRASIL. Plano Nacional das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília: MEC/Seppir, 2009.

BRASIL. Lei 10.639 de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 9 de janeiro de 2003.

BRASIL. LEI 10.639 de 09 de janeiro de 2003 que altera a Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências. Brasília, 2003.

CANDAU , Vera Maria (Org.). Sociedade, educação e cultura(s): questões e propostas. Petrópolis: Vozes, 2002.

GOMES , Nilma Lino; GONÇALVES e SILVA, Petronilha Beatriz. O desafio da diversidade. In: GOMES , Nilma Lino; GONÇALVES e SILVA, Petronilha Beatriz. Experiências étnico-culturais na formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. p. 11-26.

SILVA, Eduardo; REIS , João José. Negociação e conflito: a resistência negra no Brasil escravista. 3. reimp. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

GONÇALVES e SILVA, Petronilha Beatriz. Prática do racismo e formação de professores. In: DAYRELL, Juarez. Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1996.

SILVA, Petronilha Beatriz. Aprender, ensinar e relações étnico-raciais no Brasil. Revista de Educação. Porto Alegre/RS, ano XXX, v. 63, n. 3, p. 489-506, set./dez. 2007. Disponível em http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/viewFile/2745/2092. Acesso em: 5 de abr, 2013.

SILVA, Petronilha Beatriz. Aprendizagem e ensino das africanidades Brasileiras. In: MUNANGA, Kabengele. Superando o racismo na escola. Brasília: MEC/Secadi, 2008.

SISS , Ahyas; BARRETO, Maria Aparecida Santos Corrêa. Formação de professores como foco na educação das relações étnico-raciais com vista a justiça social. In: GONÇALVES , Maria Alice Rezende; RIBEIRO, Ana Paula Alves. Diversidade e sistema de ensino brasileiro. Rio de Janeiro: Outras Letras, 2012. v. 2.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Reitoria. Resolução nº 297/2010, de 30 de setembro de 2010. Dispõe sobre a criação do curso de especialização lato sensu Relações Étnico-Raciais Afro-Brasileiras e Educação Inclusiva: Formação de Professores para a Diversidade.