Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Formação de Professores para História das(os) Afrodescendentes Brasileiros(as)

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v21n1p121-136

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Rosivalda S. Barreto1

 

Resumo: O desinteresse pela história dos(as) afrodescendentes no sistema educacional brasileiro é notável, pela visível tentativa de apagamento da Lei nº 10.639/03, com o surgimento da Lei nº 11.645/08, e pela indiferença no âmbito das licenciaturas e nas formações continuadas em formar profissionais (re)conhecedores do legado africano no processo civilizatório da humanidade, ao não incutir neles o conhecimento da afrodescendência e da filosofia e cultura de base africana. O texto objetiva revelar as práticas pedagógicas na disciplina História dos Afrodescendentes no Brasil no curso de Pedagogia da UFC para a aplicação da Lei nº 10.639. Para tanto, é importante apontar o visível desinteresse histórico do governo brasileiro em formar professores no que se refere ao conhecimento da história dos(as) africanos(as) e dos(as) afrodescendentes brasileiros(as). A metodologia se assentará em visibilizar a ausência de formação de professores nas reformas educacionais brasileiras, apresentar a disciplina História dos Afrodescendentes no Brasil e como foi ministrada e a percepção dos estudantes sobre ela. A abordagem teórica é a da afrodescendência e da avaliação educacional. Os resultados apontam a perplexidade dos(as) estudantes perante a história dos(as) pretos(as) brasileiros(as). Conclui que a prática pedagógica envolveu tanto uma reflexão intrínseca como extrínseca aos(às) graduandos(as), acerca deles mesmos, a eles e de seu papel social.

Palavras-chave: formação de professores, afrodescendência, avaliação

 

Abstract: The lack of interest in the history of the African descendants in the Brazilian educational system is remarkable, by the clear attempt of erasing the Law n. 10.639/03 with the emergency of the Law n. 11.645/08 and by the indifference in the undergraduate and in-service education in the training of professionals who recognize the African legacy in the civilizing process of humanity, as they do not instill in them the knowledge of the reality and meaning of the African descent and the philosophy and culture of African origin. The text aims at revealing the pedagogical practices in the discipline History of the African descendants in Brazil in the Course of Pedagogy to obey the Law n. 10.639/03. For that it is important to highlight the clear and historical lack of interest of the Brazilian government in training teachers with a good knowledge of the history of Africans and of Brazilian African descendants. The methodology will be focused in the presentation of the absence of teachers training in the Brazilian educational reforms, in the description of the discipline History of the African descendants in Brazil, in the how it has been taught and in the how the students perceive it. The theoretical approach is that of the African descent and of the educational evaluation. The results point to the perplexity of the students as they face the history of blacks in Brazil. The conclusion is that the pedagogical practice involved both an intrinsic and an extrinsic reflection in the students about themselves and their social role.

Key words: teacher training, African descent, evaluation

 

1 UFC - Universidade Federal do Ceará. rosivaldab@bol.com.br

 

Literatura Citada

ALBUQUERQUE , W. R de; FILHO, W. F. A História do Negro no Brasil. Brasília: Fundação Cultural Palmares. 2006, p. 63-222.

BARRETO, Rosivalda dos Santos. Patrimônio cultural, infância e identidade no bairro do Bom Juá: Salvador – Bahia. 214 f. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) Faculdade de Educação. Universidade Federal do Ceará. Fortaleza. 2012.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Ato Adicional de 1834. Disponível em: <http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=9&ved=0CHEQFjAI&url=http%3A%2F%2Fwww2.camara.leg.br%2Flegin%2Ffed%2Flei%2F1824m-1899%2Flei-16-12-agosto-1834-532609-publicacaooriginal-14881-pl.html&ei=95PMUazmH4Xq0wG_vYDoDg&usg=AFQjCNHdNBpPrTWvBDG94ubqG3IEqoGmYg&sig2=k9-hucQA 8b8K649YW3t9Iw&bvm=bv.48572450,d.dmQ>. Acesso em: 27 jun. 2013.

Brasília, Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana, p.7, 2005.

Brasíl ia, Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana, p.7, 2005.

CARVALHO, José Jorge de. O quilombo dos Rios das Rãs: histórias, tradições, lutas. Salvador: Edufba, 1996.

CASTAN HA, André Paulo. O Ato Adicional de 1834 na história da educação brasileira. In: Revista Brasileira de História da Educação. Disponível em: <http://www.rbhe.sbhe.org.br/index.php/rbhe/article/view/162/171>. Acesso em: 27 jun. 2013.

CASTRO, Nadja de Souza; BA RRETO, Rosivalda dos Santos. Releitura da história do índio no Brasil: evidenciando a participação deste como sujeito de sua história. Disponível em: <http://200.17.141.110/forumidentidades/IVforum/textos/Nadja_de_Souza_Castro.pdf>. Acesso em: 05 jun. 2003.

CUNHA JR, H. Nós, afrodescendentes: história africana e afrodescendente na cultura brasileira In: ROMÃO, J. (Org.) História da Educação do Negro e outras histórias. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. 2005, p. 249-273.

CUNHA JUNIOR, Henrique. Os Negros não se deixaram escravizar. In: APP SindicatoCut/CNTE Disponível em: http://www.appsindicato.org.br/include/paginas/artigo.aspx?id=3209>. Acesso em: 15 jul. 2011.

DOMINGUES , Petrônio. Frentenegrinas: notas de um capítulo da participação feminina na história da luta anti-racista no Brasil . Cad. Pagu. n. 28, Campinas jan./jun 2007. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-83332007000100015&script=sci_arttext> Acesso: 19 out. 2012.

GUERRA, Márcia. A disciplina acadêmica história da áfrica e as políticas Públicas para a educação étnico racial no Brasil e na Colômbia. Anais Eletrônicos do IX Encontro Nacional dos Pesquisadores do Ensino de História. Disponível em: <http://abeh.org/trabalhos/GT02/tcompletomarcia.pdf> Acesso: 17 jun. 2013.

LUZ, Marco Aurélio. Agadá: dinâmica da civilização africano/brasileira. 2. ed. Salvador: Edufba, 200. 581 p.

MOORE, Carlos. A África que Incomoda. Belo Horizonte. Nandyala. (Coleção Repensando a África Volume I), 2008.

MOURA, Clóvis. Os quilombos e a rebelião negra. São Paulo: Brasiliense, 1987. (Coleção Tudo é História)

MUNANGA, K. Mestiçagem como símbolo da identidade brasileira. In: MUNAN GA, K. Rediscutindo a Mestiçagem no Brasil: Identidade nacional versus Identidade Negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2004, p. 99-109.

OLIVEIRA, Ivonilde Apoluceno de Oliveira. Educação inclusiva e formação de professores: a importância do corpo sensível. In: PIZZI, Laura Cristina Vieira; FUMES , Neiza de Lourdes Frederico (Orgs). Formação do pesquisador em educação: identidade, diversidade, inclusão e juventude. Maceió: EDUFAL. 2007.

SANTOS , Sales Augusto. A Lei 10.639/03 como fruto da Luta Anti-racista do Movimento Negro. In: Educação Anti-racista Caminhos Abertos pela Lei Federal 10.639/03. 2005, p. 24.

SCOCUGLIA , Afonso Celso. História inéditas da educação popular do sistema Paulo Freire aos IPMs da ditadura militar. Disponível em: <http://pt.scribd.com/doc/23570997/Scocuglia-Historias-ineditas-da-educacao-popular>. Acesso em: 17 jun. 2013.

SILVA, Adriana Maria Paulo da. A escola de Pretextato dos Passos e Silva: questões a respeito das práticas de escolarização no mundo escravista. Revista Brasileira de História da Educação. n. 4, jul./dez. 2002. Disponível em: <http://www.rbhe.sbhe.org.br/index.php/rbhe/article/view/250/257>. Acesso em: 01 jun. 2013.

SILVA, Joselina da. A união dos homens de cor: aspectos do movimento negro dos anos 40 e 50 . Estudos Afro-Asiáticos, Ano 25, n.2, 2003, p. 215-235.

SILVA, Paula Janaína da. O papel da formação continuada de professores(as) para a Educação das relações raciais. 2012. 162 fl. Dissertação. (Mestrado em Educação). UNB . Brasília. 2012.

SOUMONNI , Elisée. Daomé e o mundo atlântico. Comunicação apresentada em “Rethinking the African Diaspora: The Making of the Black Atlantic World in the Bight of Benin and Brazil”. Emory University, Atlanta, 17-18 de abril de 1998. Tradução: Vera Ribeiro. Revisão da tradução e aspectos históricos: Dr. Valdemir Zamparoni (UFBa). Disponível em: <http://www.casadasafricas.org.br/wp/wp-content/uploads/2011/08/Daome-e-o-mundo-atlantico.pdf> . Acesso em: 05 jul. 2013.

SOUZA, J. Memórias e Histórias Negras da cidade de Carapicuíba-SP: Uma abordagem para a educação escolar. fl. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) . Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.

VIDEIRA, Piedade Lino. Criança negra e discriminação étnica na escola e movimentos pela educação popular. Padê, Brasília, v.1, n.2, p. 89-111, jul./dez. 2007. Acesso em: 14 jun. 2013.

VIDEIRA, Piedade Lino. Marabaixo, dança afrodescendente: significando a identidade étnica do negro amapaense. 2005. 258 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2005.