Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Implicações Sociais do Subjetivismo na Educação Contemporânea

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v21n2p173-182

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Lucienne Dorneles1

 

Resumo: As pedagogias ativistas têm sido duramente criticadas em muitos meios acadêmicos. O objetivo deste artigo é analisar as razões desta crítica. Elas têm se concentrado em torno do fato de que a base epistemológica das pedagogias construtivistas, incluindo a atual pedagogia das competências e habilidades, tem servido para adequar psicologicamente os futuros trabalhadores aos padrões de produção pautados pela competência individual; que a educação tem estado mais para a promoção da adaptação do sujeito às instabilidades do sistema capitalista do que para uma formação crítica; e que o enfoque subjetivista na educação pode tornar-se uma armadilha, pois a ênfase no individualismo subjetivista pode, não só ampliar a crise na formação do indivíduo, como acentuar o conformismo unificado, além de enfraquecer mais ainda a força da coletividade. O artigo está fundamentado na teoria crítica, sobretudo nas leituras de Educação e emancipação (1995), de Adorno, e Dialética do esclarecimento (1985), de Adorno e Horkheimer.

Palavras-chave: educação, pedagogias ativistas, adaptação, racionalização, emancipação

 

Abstract: Activist pedagogies have been harshly criticized in many academic circles. The objective of this paper is to analyze the reasons for such criticism. They have focused on the fact that the epistemological basis of constructivist pedagogies, including the current competence and ability-based education, has served to psychologically adjust prospective employees to production standards guided by individual competence; that education has been doing more to promote the individual’s adaptation to the instabilities of the capitalist system than to develop a critical training; and that the subjectivist approach in education can become a trap, because the emphasis on subjectivist individualism can not only extend the crisis in the individual’s education, but accentuate unified conformism, besides weakening the strength of collectivity. This paper is based on critical theory, especially on the works by Adorno (Education and Emancipation, 1995) and by Adorno and Horkheimer (Dialectic of Enlightenment, 1985).

Key words: education, activist pedagogies, adaptation, rationalization, emancipation

 

1 Doutoranda em Educação da Universidade de São Paulo – USP. ludornneles@gmail.com

 

Literatura Citada

ADORNO, T. W. Educação e emancipação. Tradução e introdução de Wolfgang Leo Maar. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

ADORNO. T. W. “Teoria da Semicultura”. Tradução de Newton Ramos-de-Oliveira, Bruno Pucci e Claúdia B. M. de Abreu, revisão pelos autores, com colaboração de Paula Ramos-de-Oliveira. In: Educação & Sociedade: revista quadrienal de ciência da educação, ano XVII, nº 56, Campinas: Ed. Papirus, dez, 388-441, 1986.

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Tradução de Guido A. Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CARVALHO, J. S. F. Construtivismo: uma pedagogia esquecida da escola. São Paulo: Artmed, 2001.

DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo, Cortez, 2006.

DORNELES, L. Construtivismo: uma racionalização da Educação? 2008. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Metodista de Piracicaba. Piracicaba, São Paulo. Disponível em: <https://www.unimep.br/phpg/bibdig/aluno/visualiza.php?cod=386>. Acesso em: 20/08/2013)

DUARTE, N. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Quatro ensaios crítico-dialéticos em filosofia da educação. Campinas: Autores Associados, 2003. (Coleção Polêmicas do Nosso Tempo, n. 86).

DUARTE, N. (Org.). Sobre o construtivismo a uma análise crítica. Campinas, SP: Autores Associados. 2005. (Coleção polêmicas do nosso tempo, n. 77).

FOSNOT, C. T. (Org.). Construtivismo: teoria, perspectiva e práticas pedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

PIAGET, Jean. Biologia e conhecimento. Petrópolis: Vozes, 1973.

PIAGET, Jean. Problemas da epistemologia genética. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

PIAGET, Jean. Epistemologia genética. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 2002.

PRESTES, N. H. O polêmico debate da Educação na contemporaneidade: a contribuição habermasiana. In: ZUIN, A. A. S.; PUCCI, B.; RAMOS-DE-OLIVEIRA, N. (Orgs.). A educação danificada: contribuições à teoria crítica da educação. 2. ed. Petrópolis/São Carlos: Vozes/UFSCar, 1998. p. 217-242.

RAMOS, M. N. A pedagogia das competências: autonomia ou adaptação? 3. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

SAFATLE, V. Cinismo e falência da crítica. São Paulo: Boitempo, 2008. (Coleção: Estado de Sítio).

SANTOMÉ, J. T. A educação em tempos de neoliberalismo. Tradução de Claúdia Schilling. Porto Alegre: Artmed, 2003.

SOBREIRA, H. G. Perspectiva na formação do professor. In: ZUIN, A. A. S.; PUCCI, B.; RAMOS-DE-OLIVEIRA, N. (Orgs.). A educação danificada: contribuições à teoria crítica da educação. 2. ed. Petrópolis/São Carlos: Vozes/UFSCar, 1998. p. 195-216.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. Tradução de Pietro Nassetti, São Paulo: Martin Claret, 2003.