Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Ensino de Filosofia e a Cidadania: Uma Análise a Partir da LDB 9.394/96

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v23n56p7-19

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Daniel S. Rodrigues1 & Jackeline R. Mendes2

 

Resumo: O objetivo deste artigo é problematizar o esvaziamento do significado de cidadania, a partir de uma análise discursiva do artigo 36, parágrafo 1º, inciso III da LDB 9.394/96 que expressa que o aluno deverá, ao concluir o ensino médio, demonstrar “domínio dos conhecimentos de Filosofia e de Sociologia necessários ao exercício da cidadania”. Justifica-se este trabalho pela recente inclusão da disciplina de Filosofia no currículo do ensino médio e a intensificação do debate de como a filosofia poderá contribuir para o exercício da cidadania. Para a análise discursiva, tomamos elementos da teoria social do discurso, ou análise do discurso crítica de Fairclough (2001). Ao destacarmos, na análise, a questão da cidadania, trouxemos as discussões de Bauman (1999, 2001, 2005) com o objetivo de compreender o movimento atual da modernidade, denominado, por ele, modernidade líquida. As questões norteadoras deste estudo são as seguintes: qual(is) o(s) significado(s) de cidadania expresso(s) na LDB? É possível falar de cidadania em uma realidade marcada pelo esvaziamento do papel do Estado? Quais os desafios educacionais nesse contexto? É possível ensinar filosofia e contribuir na formação da cidadania no contexto da modernidade líquida, apresentada por Bauman? Espera-se deste trabalho despertar novos questionamentos, pois a condição humana é marcada pelo movimento e pelo constante deslocamento.

Palavras-chave: ensino de filosofia, discurso, cidadania, modernidade líquida

 

Abstract: This paper aims to confront the emptiness of the meaning of citizenship, from a discursive analysis of Article 36, paragraph 1, item III of LDB 9.394/96, which states that the student should, by the end of high school, provide “thorough knowledge of Philosophy and Sociology required to the exercise of citizenship”. This work is justified by the recent inclusion of the discipline of philosophy in the high school curriculum and the intensifying of the debate on how philosophy can contribute to the exercise of citizenship. For the analysis we use discursive elements of Social Discourse Theory, or Fairclough’s Critical Discourse Analysis (2001). By highlighting the analysis of the question of citizenship, we will approach the discussion by Bauman (1999, 2001, 2005) in order to understand the current movement of modernity, which he refers as liquid modernity. This study is guided by the following questions: What are the citizenship meanings expressed in the LDB? Is it possible to talk about citizenship in a reality marked by the emptying of the State’s role? What are the educational challenges in this context? Is it possible to teach philosophy and contribute to the formation of citizenship in the context of liquid modernity, presented by Bauman? With this work we expect to arouse new questions, since the human condition is marked by movement and constant displacement.

Key words: teaching of philosophy, discourse, citizenship, liquid modernity

 

1 Faculdade Católica de Pouso Alegre (FACAPA). padresantini@yahoo.com.br
2 Universidade São Francisco (USF). jackeline.mendes@usf.edu.br