Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Filosofia e Formação Humana: A Constelação e o Desmoronamento da Identidade em Theodor Adorno

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v24n60p33-44

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Belkis S. Bandeira1 & Avelino R. Oliveira2

 

Resumo: O artigo visa interrogar se a Filosofia, sob a perspectiva da obra de Theodor Adorno, pode constituir-se em elemento de enfrentamento do modelo semiformativo que vigora na educação contemporânea. Inicialmente, analisa a complexificação das relações sociais e suas profundas mudanças, fruto do desenvolvimento científico-tecnológico no capitalismo hodierno. Em seguida, discute aspectos da educação atual, apoiado em conceitos como indústria cultural, semiformação, reificação, fetiche, teoria, negatividade e constelação. Assim, busca, na filosofia adorniana, chaves de leitura que auxiliem a intervir, desde o ponto de vista da teoria, no complexo mundo da educação e de suas conexões com a realidade social. Acentua-se o poder da teoria na forma de crítica, cuja pretensão maior é a transformação concreta no plano social, abordado com base em categorias filosóficas – neste sentido, teoria do conhecimento e teoria da sociedade estão entrelaçadas. Em oposição ao modelo idealista, que elege o conceito como produtor de identidade, Adorno propõe, como tarefa da dialética negativa, um voltar-se contra a identidade entre pensamento e pensado, pressuposta na totalidade, visando, então, a não identidade entre coisa e pensamento, conceito e objeto. O propósito é alcançar uma racionalidade que permita manter a diferença dos objetos e que não caia no conhecimento abstrato, comum ao pensamento da identidade. No campo especificamente educativo, propõe-se uma dialética sujeito-objeto, na qual o sujeito não busca subordinar o objeto, identificando-o com um conceito universal, mas entrega-se à natureza deste, salvando sua própria diferença, como reconhecimento da mútua mediação entre as partes. Em tal concepção educacional, os significados não são definidos de antemão, mas estão abertos ao que Adorno chama de constelação própria do objeto.

Palavras-chave: formação humana, constelação, identidade, filosofia, Theodor Adorno

 

Abstract: This paper aims at questioning whether Philosophy, observed from the point of view of Theodor Adorno’s works, can be an instrument for the confrontation of the pseudo-culture (Halbbildung) which is dominant in contemporary education. As a first step, it analyzes how social relations have been made complex and their deep changes derived from the scientific and technological development of contemporary capitalism. Then, it discusses aspects of the present education, grounded on concepts such as culture industry, pseudo-culture (Halbbildung), reification, fetish, theory, negativity, and constellation. Therefore, it seeks reading keys in the Adornian Philosophy that enable us to intervene, from the standpoint of theory, in the complex world of education and its connections with social reality. The paper also stresses the power of theory, in the form of a critique, whose major intent is the concrete transformation of the social field, based on philosophical categories – in that sense, the theories of Epistemology and Social Philosophy are interwoven. In opposition to the idealistic model that favors concept as the identity producer, Adorno proposes that the negative dialectics must turn from the identity between concept and object, presupposed in totality, thus aiming at the non-identity between stuff and thought, concept and object.  The purpose is to reach a rationality that allows keeping the objects’ differences and leads not to the abstract knowledge, which is so common to the thought of identity. In the particular field of education, the proposal is a subject-object dialectics in which the subject does not seek to subordinate the object by identifying it to any universal concept, but accepts its nature, saving its own difference as recognition of the mutual mediation between parts. In such an educational approach, meanings are not previously defined but rather are open to what Adorno calls the object’s own constellation.

Key words: bildung, constellation, identity, philosophy, Theodor Adorno

 

1 Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). belkisbandeira@gmail.com
2 Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). avelino.oliveira@gmail.com