Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Poder e Maquiavelismo nas Organizações: Estudo de Caso de Uma Instituição Pública Federal de Ensino

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v9n18p103-142

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/OC/index 

downloadpdf

Simone F. de Melo1 & Fernando C. Garcia2

 

Resumo: Este estudo teve por objetivo avaliar o índice de maquiavelismo dos gestores de uma instituição federal de ensino. O conceito de maquiavelismo está pautado nos constructos de desejo de status, desejo de controle, descrença nos outros e manipulação amoral (DAHLING, WHITAKER e LEVY, 2009). Foi realizada uma pesquisa caracterizada como estudo de caso, descritiva e quantitativa. O instrumento utilizado para a coleta de dados foi a Escala de Personalidade Maquiavélica, ou escala MPS, validada por Dahling, Whitaker e Levy (2009), à qual se acrescentou um conjunto de questões de caráter sociodemográfico. Esta pesquisa foi aplicada por meio de questionário estruturado a 67 respondentes. Foram empregados, no tratamento de dados, testes não paramétricos de Friedman, Mann-Whitney e Kruskal-Wallis, além do programa estatístico PASW, versão 18. Os resultados levaram à conclusão de que, segundo análises, o grau de maquiavelismo dos gestores da instituição federal de ensino pesquisada é pre-valentemente baixo. No entanto, alguns fatores apresentaram alto grau de maquiavelismo, como o índice de maquiavelismo encontrado no constructo “desejo de controle”, para o fator “Eu gosto de ter habilidade para controlar a situação”; no constructo “status”, para o fator “A maioria das pessoas acredita mais no bem comum do que no sucesso pessoal”. Também se observou alto grau de maquiavelismo no constructo “manipulação amoral”, para o fator “Eu sei como me apresentar para ser visto como eu quero ser visto”. A pesquisa tornou-se válida pelos seus resultados, aos quais foram comparados resultados de pesquisas anteriores. Tendo sido explicada a limitação do estudo, novas pesquisas sobre o tema foram propostas.

Palavras-chave: maquiavelismo, escala de personalidade maquiavélica, desejo de status, desejo de controle, manipulação amoral, descrença nos outros, poder

 

Abstract: The objective of this study was the evaluation of the Machiavellianism index of the directing board of a federal institution of education. The concept of Machiavellianism is based on the constructs of status desire, control desire, distrust in others and amorality (DAHLING, WHITAKER e LEVY, 2009). A research characterized as a case study was carried out. The instrument used to collect the data was the Scale of Machiavellic Personality, or SMP, validated by Dahling, Whitaker e Levy (2009), to which a series of social demographic questions was added. This research was applied by means of a questionnaire handed out to 67 respondents. For the evaluation of the collected data, the non-parametric tests of Friedman, Mann-Whitney e Kruskal-Wallis  as well as the statistic program PASW, version 18, were applied. The results led to the conclusion that the degree of Machiavellianism of the directing board of the studied federal institution of education is predominately low. However, a few factors presented high degree of Machiavellianism such as: for the construct “control desire” the factor “I envoy having the ability to control the situation”; for the construct status the factor “Most people believe more in the collective benefit than in the personal success”; for the construct “amorality” the factor “I know how to present myself to be seen as a wish to be seen”. The research became valid because of its results to which results of previous researches were compared. As the limitation of the study was explained, new researches about the subject were suggested.

Key words: machiavellianism, scale of machiavellic personality, status desire, control desire, amoral manipulation, distrust in others, power

 

1 Mestre em Administração pela Faculdade Novos Horizontes. Pós Graduação Latu Sensu em Administração Pública e Gerência de Cidades pela Faculdade de Tecnologia de Curitiba (2010). Graduada em Administração pela Universidade Federal de Viçosa (2006). Administradora no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus Ouro Preto. E-mail: simone.melo@ifmg.edu.br
2 Pós-doutorado em sociologia do trabalho - Università di Roma. Ooutor em Ciência Política - USP. Mestre em Administração - UFMG. Professor aposentado da UFMG. Professor titular da Faculdade Novos Horizontes. E-mail: fernando.coutinho@unihorizontes.br