Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Ethnic Diversity or Ethnic Enclaves? Representing African American History in U.S. Museums

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1043/el.v16n2p58-76

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/index 

downloadpdf

Izumi T. Harris1

 

Abstract: Museums are among the most significant places to represent history in their communities and influence visitors, including various generations, classes, and ethnic groups. There are often unequal power relationships between mainstream and minority groups at museums in a diverse society. Minority groups have had the opportunity to present their own historic interpretation in museum exhibits and programs in the United States since the 1960s. This helped to shape public memory in their societies. Does this mean museums contribute to peoples’ understanding of other cultures, enabling them to see from a different perspective? I fear that the result of this increased ethnic diversity may be that people will get into ethnic enclaves. Museum professional staffs have the difficult responsibility of creating exhibits and programs that will attract visitors from both mainstream and ethnic groups. When that happens, museums fail to serve as a forum promoting diversity. In fact, they may act to maintain the distance between ethnic enclaves. Museums must promote dialogues between ethnic groups in order to encourage museum visitors to accept diversity and learn about cultures other than their own.

Key words: museum, historic representation, ethnic diversity, African Americans, European Americans, education, museum anthropology

 

Resumo: Os museus ocupam significativo posto na representação da história das comunidades e na influência que exercem sobre os visitantes, incluindo várias gerações, classes e grupos étnicos. Frequentemente, nos museus, em uma sociedade diversificada, dá-se uma desigual relação de poder entre os grupos majoritários e os minoritários. Desde os anos 1960, os grupos minoritários têm tido a oportunidade de apresentar sua própria interpretação histórica nos Estados Unidos, o que ajudou a configurar a memória pública em suas sociedades. Será que isso significa que os museus contribuem para a compreensão de outras culturas, possibilitando uma visão a partir de uma perspectiva diferente? Temo que o resultado dessa crescente diversidade étnica possa ser que as pessoas se instalem em enclaves étnicos. Os profissionais dos museus têm a árdua responsabilidade de criar exposições e programas que atraiam visitantes tanto dos grupos majoritários como dos étnicos. Mas, quando isso acontece, o museu não realiza a missão de ser um foro de promoção de diversidade e, de fato, age no sentido de manter a distância entre os enclaves étnicos. O que os museus devem promover é o diálogo entre grupos étnicos, a fim de estimular os visitantes a aprender sobre outras culturas além da própria.

Palavras-chave: museu, representação histórica, diversidade étnica, afro-americanos, europeu-americanos, educação, antropologia museológica 

 

1 PhD in Anthropology by University of Hiroshima. Professor in Indiana Japanese Language School. E-mail: izumi.t.harris@gmail.com