Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Composto Orgânico e Pó de Rocha como Constituintes de Substratos para Produção de Mudas de Tomateiro

DOI: http://dx.doi.org/10.14688/1984-3801/gst.v7n1p16-25

http://rioverde.ifgoiano.edu.br/periodicos/index.php/gst/index 

downloadpdf

Luiz A. M. Costa1, Mônica S. S. M. Costa2 & Dercio C. Pereira2

 

Resumo: Objetivou-se avaliar o desempenho de composto de resíduos agroindustriais e pó de rocha basáltica como substratos para mudas de tomateiro de quatro cultivares: Giuliana, Olympo, Santa Clara e Sweet Million. O experimento foi realizado em bandejas de 200 células, com delineamento experimental blocos casualizados e quatro repetições. Os tratamentos foram: testemunha, T0 (Plantmax HT), e quatro tratamentos com composto (C) e pó de rocha basáltica (R): T1 - 100% de C; T2 90% de C + 10% R; T3 80% de C + 20% R; T4 70% de C + 30% R. Foram avaliadas: emergência de plântulas (EP); comprimento de raiz (CR) e comprimento de parte aérea (CPA), massa seca de raiz (MSR) e massa de parte aérea seca (MSPA). Foi determinada a porcentagem de retenção de água, granulometria e a densidade de partícula de cada substrato. Para a EP, a maior média, 36,65% das plântulas, foi obtida pela cultivar Olympo, havendo diferença significativa com os demais substratos. Para o CR, a maior média foi para a cultivar Olympo, 5,81 cm, sendo o maior valor obtido no substrato T0, 6,23 cm, o qual não se diferenciou estatisticamente dos substratos T1, T2 e T3. O maior CPA foi obtido pela cultivar Sweet Million, 9,70 cm, com destaque para o substrato T4. Para a MSR e MSPA o substrato T3, apresentou os maiores valores médio. Considerando os substratos orgânicos, os melhores resultados foram os obtidos com T3 e o T4, superando o substrato comercial Plantmax HT.

Palavras-chaveLycopersicon esculentum Mill., massa seca, Giuliana, Olympo, Santa Clara, Sweet Million

 

Abstract: This study aimed to evaluate the performance of agroindustrial compost waste (C) and rock waste (R), in tomato seedling production of four cultivars: Giuliana, Olympo, Santa Clara and Sweet Million in Styrofoam stray with 200 cells with experimental design of randomized complete blocks with four replicates. The treatments were composed of a control T0 Plantmax HT and four treatments using C and R: T1 100% C, T2 90% C + 10% R, T3 80% C + 20% R e T4 70%C + 30%R. ES (emergency seedling) at 8 DAE (days after emergency), (RL) root length, (LS) shoots lenght, (RDM) root dry mass, (ADM) aerial dry matter. We determined the water retention percentage, particle size and particle density to all substrates. To ES the biggest average was 36.65 seedling, obtained to Olympo. To RL the better result was obtained to Olympo 5.81 cm, the biggest result was obtained in T0 6.23 cm, that did not differ statistically from T1, T2 and T3. The highest LS was in Sweet Million, 9.70 cm, with the best results in T4. To RDM and ADM, T3 presented the biggest average. Organic substrates T3 and T4 showed the better results.

Key wordsLycopersicon esculentum Mill., dry matter, Giuliana, Olympo, Santa Clara, Sweet Million

 

1 Bolsista CNPq/RHAE. Cascavel, PR
2 Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Rua Universitária, 2069, 85819-110, Cascavel, Paraná, Brasil. E-mail: lmendo@ig.com.br

 

Literatura Citada

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR – 6508. Solo – Grãos de solos que passam na peneira de 4,8 mm - Determinação da massa específica. Rio de Janeiro, 1984.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR – 7181. Solo – Análise granulométrica. Rio de Janeiro, 1984.

BACHMAN, G. R.; METZGER, J. D. Growth of bedding plants in commercial potting substrate amended with vermicomposto. Bioresource Tecnology, v. 99, p. 3155-3161, 2008. doi

CALDEIRA, M. V. W.; SCHUMCHER, M. V.; BARICHELLO, L. R; VOGET, HIM; OLIVEIRA, L. S. Crescimento de mudas de Eucalyptus saligna Smith em função de diferentes doses de vermicomposto. Floresta, v. 28, p.19-30, 2000.

CAMPANHARO, M.; RODRIGUES, J. J. V.; LIRA JUNIOR M. A.; ESPINDULA, M. C.; COSTA, J.V.T. Características físicas de diferentes substratos para produção de mudas de tomateiro. Revista Caatinga, v.19, n.2, p.140-145, 2006.

CASTRO, C. M.; RIBEIRO, R. L. D.; ALMEIDA, D. L. Caracterização e avaliação de substratos orgânicos para produção de mudas de beterraba. Agronomia, v. 37, p. 19-24, 2003.

FERNANDES, C.; CORÁ, J. E.; BRAZ, L. T. Desempenho de substratos no cultivo do tomateiro do grupo cereja. Horticultura Brasileira, v. 24, p. 42-46, 2006. doi

FERREIRA, D. F. Manual do sistema Sisvar para análises estatísticas. Lavras: UFLA, 2000.

FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura. Viçosa: UFV. 2000.

GODOY, M. C.; CARDOSO, A. I. I. Produtividade da couve-flor em função da idade de transplantio das mudas produzidas e tamanhos de células na bandeja. Horticultura Brasileira, v. 23, p. 837-840, 2005. doi

GRUDA, N.; SCHNITZLER, W. H. Suitability of wood fiber substrates for production of vegetable transplants II. The effect of wood fiber substrates and their volume weights on the growth of tomato transplants. Scientia Horticulturae, v. 100, p. 333-340, 2004. doi

GRUDA, N.; SCHNITZLER, W. H. The effect of water supply on bio-morphological and plant-physiological parameters of tomato transplants cultivated in wood fiber substrate. Journal Applied Botany, v. 74, v.233-239, 2000.

GÜL, A.; KIDOGLU, F.; ANAÇ, D. Effect of nutrient sources on cucumber production in different substrates. Scientia Horticulturae, v.113, p. 216-220, 2007. doi

KIEHL, E. J. Novo fertilizantes orgânicos. Piracicaba, Editora Degaspari, 2010.

KUSDRA, J. F.; MOREIRA, D. F.; SILVA, S. S.; ARAUJO NETO, S. E.; SILVA, R. G. Uso de coprólitos de minhoca na produção de mudas de mamoeiro. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 30, p. 492-497, 2008. doi

LEAL, M. A. A.; GUERRA, J. G. M.; PEIXOTO, R. T. G.; ALMEIDA, D. L. Utilização de compostos orgânicos como substratos na produção de mudas de hortaliças. Horticultura Brasileira, v. 25, p. 392-395, 2007. doi

MATTOS, J. C. O.; FILHO, J. L. Composto orgânico misto na formação de mudas de alface. Revista Verde, v. 2, p. 105-112, 2007.

OLIVEIRA, A. B.; HERNANDEZ, F. F. F. Absorção de nutrientes em mudas de berinjela cultivadas em substratos alternativos. Revista Ciência Agronômica, v. 39, p. 583-589, 2008.

RIBEIRO, H. M.; ROMERO, A. M.; PEREIRA, H.; BORGES, P.; CABRAL, F.; VASCONCELOS, E. Evaluation of a compost obtained from forestry wastes and solid phase of pig slurry as a substrate for seedlings production. Bioresource Tecnology, v. 98, p. 3294-3297, 2007. doi

SAMPAIO, R. A.; RAMOS, S. J.; GUILHERME, D. O.; COSTA, C. A.; FERNANDES, L. A. Produção de mudas de tomateiro em substratos contendo fibra de coco e pó de rocha. Horticultura Brasileira, v. 26, p. 499-503, 2008. doi

SILVEIRA, E. B.; RODRIGUES, V. J. L. B.; GOMES, A. M. A.; MARIANO, R. L. R.; MESQUITA, J. C. P. Pó de coco como substrato para produção de mudas de tomate. Horticultura Brasileira, v. 20, p. 211-216, 2002. doi