Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Caracterização Química e de Tortas de Mamona de Processos de Produção de Biodiesel

DOI: http://dx.doi.org/10.14688/1984-3801/gst.v7n1p56-66

http://rioverde.ifgoiano.edu.br/periodicos/index.php/gst/index 

downloadpdf

Samuel D. Silva1, Helen B. Marota2, Rafael A. Presotto2 & Everaldo Zonta2

 

Resumo: A torta de mamona é um resíduo ou subproduto da cadeia de biodiesel, que pode ser produzida pelo processo tradicional ou pelo processo direto da semente (PDS). A geração desta torta ocorre em grandes quantidades, e para destiná-la é necessário realizar sua caracterização química. Objetivou-se caracterizar, quimicamente, a torta de mamona PDS em comparação com torta de mamona comercial obtida pelo processo tradicional de esmagamento. Para isso, amostras representativas da torta foram coletas e enviadas para análise em laboratório credenciado. Os valores observados nas tortas foram comparados aos máximos permitidos pela legislação vigente do país. O sódio é o elemento mais limitante para uso da torta de PDS como fertilizante orgânico, em decorrência dos danos que pode causar as plantas e ao solo. Também, estão acima do valor máximo permitido os elementos ou substâncias: alumínio, cádmio, ferro, manganês, fenóis totais, e surfactantes. A torta de mamona PDS foi classificada como resíduo Classe II A.

Palavras-chaveRicinus communis L., biodiesel, fertilizantes orgânicos, oleaginosas

 

Abstract: The castor bean pie is a residue or byproduct of biodiesel production directly from seed (PDS). The generation of the press cake occurs in large quantities, thence the need of destination that material. To destine a residue is necessary to perform its chemical characterization. Given the above, the objective of this study was to characterize chemically the castor press cake PDS compared with castor press cake commercial, and evaluate the variability of the seeds and pie in each lot. For that, representative samples were collected and sent for analysis at an accredited laboratory. Besides, it was determined the most limiting elements and promising material, and also the variability of element contents in different lots of seeds and respective pie. The values observed were compared to the maximum allowed by legislation in the country. Sodium is the more limiting element for using the press cake as organic fertilizer, due to the harm it can cause to plants and soil. Also, the elements or substances aluminum, cadmium, iron, manganese, total phenols, and surfactants are above the maximum value permitted. The castor press cake PDS was classified as a Class II A residue.

Key wordsRicinus communis L., biodiesel, organic fertilizers, oilseeds

 

1 Universidade Federal de Goiás, Escola Superior de Agronomia e Engenharia de Alimentos, Departamento de Solos, Câmpus Samambaia (Câmpus II), Rodovia Goiania Nerópolis KM 12, Goiania-GO. CEP: 74001-970. E-mail: agrosamuel@gmail.com
2 Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Departamento de Solos, Seropédica, RJ, Brasil. E-mails: helenufrrj@gmail.com, presotto_ufrrj@hotmail.com, ezonta@ufrrj.br

 

Literatura Citada

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Utilização de resíduos sólidos. ABNT NBR 10.004:2004 - Resíduos sólidos - Classificação.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Utilização de resíduos sólidos. ABNT NBR 10.005:2004 - Procedimentos para obtenção de extrato lixiviado de resíduos sólidos.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Utilização de resíduos sólidos. ABNT NBR 10.006:2004 - Solubilização de resíduos sólidos.

COSTA, F. X.; SEVERINO, L. S.; BELTRÃO, N. E. M.; FREIRE, R. M. M.; LUCENA, A. M. A.; GUIMARÃES, M. M. B. Composição química da torta de mamona. In: Congresso Brasileiro de Mamona: Energia e sustentabilidade, 1., 2004, Campina Grande. Anais... Campina Grande: Embrapa Algodão, 2004. 1 CD-ROM.

CONCEIÇÃO, Z. M. Z.; SANTIAGO, T. O que os engenheiros agrônomos devem saber para orientar o uso de produtos fitossanitários. 3. ed. Viçosa: UFV/DFP, 2008.

CORRÊA, R. S.; FONSECA, Y. M. F.; CORRÊA, A. S. Produção de biossólido agrícola por meio da compostagem e vermicompostagem de lodo de esgoto. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 11, n. 4, p. 420-426, abr. 2007. http://dx.doi.org/10.1590/s1415-43662007000400012

CLEMENS, S. Molecular mechanisms of plant metal tolerance and homeostasis. Planta, Berlin, v. 212, n. 4, p. 475-486, mar. 2001. Disponível em:<http://www.springerlink.com/content/hkt3p53hn19engl1/fulltext.pdf> Acesso: 28 out. 2012.

DENUCCI, S. Catisol 1: óleo biocombustível ecológico. 2007. Disponível em: <http://www.cati.sp.gov.br/novocati/tecnologias/producaoagricola/oleobiocombustivel>. Acesso em: 21 jun. 2007.

FREITAS, F. C. Uso de resíduo orgânico da produção direta de biodiesel na atenuação dos efeitos de hidrocarbonetos de petróleo no solo. 2009. 97 f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2009.

GÓES, G. B. Adubação do girassol com torta de mamona da produção de biodiesel direto da semente. 2010. 63 f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Solo)-Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, 2010.

IN 27. Instrução normativa SDA Nº 27. 2006. Instrução normativa para produção, importação e comercialização de fertilizantes, corretivos, inoculantes e biofertilizantes – Adequação de produtos segundo os anexos I, II, III, IV e V. Disponível em: <http://www.pr.senai.br/paraempresas/ensaioslaboratoriais/uploadAddress/InstrucaoNormativa272006Ministerio_da_Agricultura_Pecuaria_Abastecimento[18547].pdf>. Acesso em: 19 set. 2012.

KORNDÖRFER, G. H. Elementos benéficos: silício, sódio e cobalto. In: FERNANDES, M. S. (Ed.). Nutrição mineral de plantas. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2006. p. 355-374.

LIMA, A. F. Receituário Agronômico: pragas e praguicidas: prescrição técnica. 2. ed. Seropédica-RJ: Ed. da UFRRJ, 2006.

MAPA. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Desenvolvimento Sustentável – Agroenergia. Departamento de cana-de-açúcar e Agroenergia, 2006. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br>. Acesso em: 17 mar. 2012.

MAPA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Desenvolvimento Sustentável - Agroenergia - Estatística. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 24 fev. 2009.

RAIJ, V. R. Fertilidade do solo e manejo de nutrientes. Piracicaba: International Plant Nutrition Institute, 2011.

SILVA, S. D. Efeito do uso de torta de mamona do processo de produção de biodiesel direto da semente em solo da Chapada do Apodi - RN. 2010. 134 f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2010.

SILVA, P. R. D.; LANDGRAF, M. D.; REZENDE, M. O. Avaliação do potencial agronômico de vermicomposto produzido a partir de lodo de esgoto doméstico. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, v. 6, n. 4, p. 565-571, out./dez. 2011. doi

SILVA, S. D.; PRESOTTO, R. A.; MAROTA, H. B.; ZONTA. E. Uso de torta de mamona como fertilizante orgânico. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 42, n. 1, p. 19-27, jan./mar. 2012. doi

SMITH, P. M. The chemotaxonomy of plants. Edward Arnold, Bristol. 1976.

COSTA, R. B.; ALMEIDA, E. V.; KAISER, P.; AZEVEDO, L. P. A.; TYSZKA MARTINEZ, D. TSUKAMOTO FILHO, A. A. Avaliação genética em progênies de Myracrodruon urundeuva Fr. All. na região do Pantanal, estado do Mato Grosso. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, v. 6, n. 4, p. 685-693, dez. 2011. doi

WATERMAN, P. G.; MOLE, S. Analysis of phenolic plant metabolites. Oxford: Blackwell Scientific Publication, 1994.

ZONTA, E. Avaliação de sítios de disposição, no solo, de Resíduos da Exploração & Produção, Relatório Parcial. PETROBRAS-PDP/TEP nº 005, 2008. p. 18-25.