Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Para além da substância: considerações sobre o sujeito na condição da toxicomania1

DOI: http://dx.doi.org/10.15348/1980-6906/psicologia.v16n2p41-52

http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/index 

downloadpdf

Mônica M. K. Macedo2, Carolina N. de B. F. Dockhorn & Paula Kegler3

 

Resumo: O aumento do consumo de drogas e seus efeitos subjetivos configuram um problema epidêmico de saúde pública. Este artigo apresenta os resultados de um estudo qualitativo acerca da condição subjetiva de oito jovens toxicômanos que buscaram auxílio em instituições destinadas ao tratamento de dependentes químicos. Na metodologia da análise interpretativa de dados coletados em entrevistas, foi utilizado o referencial psicanalítico. A precariedade das relações primordiais denunciou construções subjetivas marcadas por abandono e desamparo. A compreensão acerca da condição do sujeito, em sua relação com o objeto droga, revelou a intensa dor psíquica que encontra, na anestesia oferecida pelo tóxico, uma estratégia de enfrentamento. Constatou‑se, no relato dos participantes deste estudo, como as intensidades vivenciadas precocemente e não tramitadas pelo psiquismo encontram, como forma de descarga, a via do ato. A fragilidade psíquica dos sujeitos entrevistados permite reafirmar a necessária ampliação nas estratégias usuais de intervenção sobre o fenômeno da drogadição.

Palavras-chave: toxicomania, sujeito, dor psíquica, psicanálise, saúde pública

 

Abstract: The increase in the use of drugs and their subjective effects are an epidemic problem for public health. This paper presents the results of a qualitative study on the subjective condition of eight young addicts that have sought help in rehabilitation clinics. The methodology of interpretive analysis of data collected from the interviews used the psychoanalytic theory. The precariousness of primordial relationships resulted in a construction of subjectivity marked by abandonment and helplessness. The understanding of the subject condition and his relation with the object drug reveals a psychic pain that meets, in the anesthesia offered by the drug, a coping strategy. It was found that the intensity of the early experiences in life, and not psychic elaborated, meet, as a form of discharge, the path of the act. The observed psychic fragility reaffirmed the necessity for an expansion of strategies of dealing with drug addiction.

Keywords: addiction, subject, psychic pain, psychoanalysis, public health

 

1 Agradecemos o fomento que viabilizou a realização desta pesquisa por meio do Edital do CNPq MCT nº 02/2010 Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas
2 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre – RS – Brasil. Avenida Ipiranga, 6.681, prédio 11, 9º andar, sala 926, Partenon – Porto Alegre – RS – Brasil. CEP: 90619‑900. E‑mail: monicakm@pucrs.br
3 Faculdades Integradas de Taquara (Taquara) e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Porto Alegre) – RS – Brasil

 

Literatura Citada

Campos, L. F. (2001). Métodos e técnicas de pesquisa em psicologia. Campinas: Alínea.

Canabarro, R. C. S., & D’Agord, M. R. L. (2012). Drug addiction and social discourses. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 15(3), 482‑496. doi

Conte, M. (2003). A clínica psicanalítica com toxicômanos: o “corte & costura” no enquadre institucional. Santa Cruz do Sul: Edunisc.

Denicola, L. (2012). Adicciones, el circuito de un goce mortífero. La Peste de Tebas, 16(51), 15‑20.

Erickson, F. (1997). Métodos cualitativos de investigación sobre la enseñanza. In M. Wittrock (Org.). La investigación de la enseñanza (pp. 195‑301). Barcelona: Paidós.

Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (2012). World Drug Report 2012. Recuperado em 21 outubro, 2013, de http://www.unodc.org/brazil.

Gurfinkel, D. (2011). Adições: paixão e vício. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Hornstein, L. (2008). As depressões: afetos e humores do viver. São Paulo: Via Lettera: Centro de Estudos Psicanalíticos.

Le Poulichet, S. (2005). Toxicomanía y psicoanalisis. Buenos Aires: Amorrortu.

BRASIL. Lei nº 11.343 (2006). Recuperado em 15 setembro, 2009, de http://www.planalto.gov.br/ccivil/L11343.htm.

Moraes, E. G., & Macedo, M. M. K. (2011). Vivência de indiferença: do trauma ao ato‑dor. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Ribeiro, C. (2009). Que lugar para as drogas no sujeito? Que lugar no sujeito para as drogas? Uma leitura psicanalítica do fenômeno do uso de drogas na contemporaneidade. Ágora, 12(2), 333‑346. doi

Savietto, B. (2010). Drogadição na juventude contemporânea: a “intoxicação” pelo outro. Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Torossian, S. D. (2004). De qual cura falamos? Relendo conceitos. Revista da Associação Psicanalítica de Porto Alegre, 26, 9‑15.