Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Qualidade da Água e Composição Zooplanctônica em Viveiros de Piscicultura (Castanhal, Pará)

DOI: http://dx.doi.org/10.17080/1676-5664/btcc.v11n1p45-58

http://www.periodicos.ufra.edu.br/index.php?journal=tjfas 

downloadpdf

Rayette S. Silva1, Glauber D. A. Palheta1,2, Átilla M. Nascimento2, Cristina P. Rocha1, Silvia H. O. Reis2 & Nuno F. A. C. Melo1,2,3

 

Resumo: Viveiros de piscicultura como sistemas artificiais rasos sofrem influência externa e interna que vão atuar na comunidade planctônica e na qualidade da água. Neste sentido, o trabalho foi desenvolvido em seis viveiros e teve como objetivos: listar as espécies de zooplâncton, aplicar métodos quantitativos, calculando densidade, abundância relativa, riqueza, diversidade e equitabilidade entre os organismos registrados e avaliar a qualidade da água. Amostragens para determinação qualitativa e quantitativa do zooplâncton, além de análises de temperatura, oxigênio dissolvido, pH, condutividade elétrica e sólidos totais dissolvidos foram efetuadas. As médias de OD estiveram acima de 6,0 mg/l e o pH variou de básico a ligeiramente ácido. A condutividade variou de 8,5 a 25,3μS/cm. Foram identificados 80 taxa, sendo 60 de Rotifera, três de Protista e 17 de Artrhopoda. Em termos de densidade, a estação 06 se destacou, sendo Rotifera o grupo dominante, com pico em janeiro, 2.374,5org/l. Em termos de freqüência de ocorrência, as formas naupliares se destacaram entre os copepodes, Cyclestheria hislopi e Alona poppei entre os cladóceros e Keratella americana e Trichocerca pusilla entre os rotíferos. A estação 01 teve os maiores valores de diversidade e equitabilidade, demonstrando maior uniformidade de espécies. Neste estudo, as variáveis abióticas não variaram significativamente e estavam dentro da faixa recomendada para o cultivo, exceto a condutividade. A maior riqueza de espécies e dominância de rotíferos permitiu considerá-los como o grupo mais importante da Estação. Copépodos e cladóceros, por serem maiores, provavelmente estiveram mais sujeitos à predação visual por peixes.

Palavras-chave: plâncton, Amazônia, diversidade

 

Abstract: Fishponds as flat artificial systems suffer external and internal influence that go to act in the planktonic community and the factors physicist-chemistries of the water. In this direction, the paper was developed in six ponds and had as objective: to list the zooplanktonic species, to apply quantitative methods, calculating density, relative abundance, wealth, diversity and equitability between the registered organisms and to evaluate the water quality based on the parameters physicist-chemists. Samplings for qualitative and quantitative determination of zooplankton, beyond analyses of temperature, dissolved oxygen, pH, electric conductivity and dissolved total solids had been effected. The dissolved oxygen averages had been above of 6,0mg/l and pH varied of basic the slightly acid one. The conductivity varied of 8,5 the 25,3μS/cm. Had been identified 80 tax, being 60 of Rotifer, three of Protozoa and 17 of Artrhopoda. In density terms, station 06 if detached, being Rotifera the dominant group, with peak in january, 2374.5org/l. In terms of occurrence frequency, the naupliar forms if had detached among copepodes, Cyclestheria hislopi and Alona poppei between the cladocera and Keratella americana e Trichocerca pusilla between the rotifers. Station 01 had the biggest values of diversity and equitabilidity, demonstrating bigger uniformity of species. In this study, the abiotic variable had not varied significantly and were inside of the band recommended for the culture, except the conductivity. The biggest wealth of species and dominance of rotifers allowed to consider them as the group most important of the Station. Copepods and cladocers, for being bigger, had probably been citizens to the visual prerestitution for fish.

Key words: plankton, Amazon, diversity

 

1 Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Universidade Federal do Pará. E-mail: rayette16@hotmail.com
2 Instituto Socioambiental e dos Recursos Hídricos, Universidade Federal Rural da Amazônia
3 Programa de Pós-Graduação em Aquicultura e Recursos Aquáticos, Universidade Federal Rural da Amazônia

 

Literatura Citada

ARANA, L. V. Princípios Químicos de Qualidade da Água em Aqüicultura: uma Revisão para Peixes e Camarões. Florianópolis: UFSC, 2ª. ed., 2004. 231p.

BACHION, M. A.; SIPAÚBA-TAVARES, L. H. Estudo da Composição das Comunidades Fitoplanctônica e Zooplanctônica em dois Viveiros de Camarão. Acta Limnologica Brasiliensia v.4, n. 1, p. 371-393. 1992.

COLDEBELLA, I.; RADÜNZ NETO, J. Farelo de soja na alimentação de alevinos de jundiá Rhamdia quelen. Ciência Rural, Santa Maria, v.32, n.3, p.499-503, 2002. doi

ELER, M. N. Efeito da densidade de estocagem de peixes e do fluxo de água na qualidade da água e na sucessão do plâncton em viveiros de piscicultura. 258 f. 2000. Tese. (Escola de Engenharia de São Carlos/USP). São Carlos. 2000.

HAYASHI, C.; SOARES, C. M.; GALDIOLI, E. M.; SOUZA, S. R. Uso de plâncton silvestre, fermento fresco e levedura desidratada na alimentação de larvas do cascudo chinelo, Loricariichthys platymetopon (Isbrüchen & Nijssen, 1979) (Osteichthyes, Loricariidae). Acta Scientiarum Biological Sciences: Maringá, v. 24, n. 2, p. 541-546, 2002.

KUBITZA, F. Qualidade da água no cultivo de peixes e camarões. Jundiaí: F. Kubitza, Jundiaí. 2003. 229p.

MACEDO, C. F.; SIPAÚBA-TAVARES, L. H. Comunidade planctônica em viveiros de criação com disposição seqüencial. Boletim Instituto de Pesca, São Paulo: v. 31, n.1, p. 21 – 27. 2005.

MELÃO, M. G., ROCHA O.; ROCHE, K. F. Produtividade, biomassa, flutuações algais e interações biológicas da comunidade planctônica e suas implicações na transferência de energia na cadeia alimentar de um reservatório raso e oligotrófico. In ROCHE, K. F; ROCHA, O. (Eds.). Ecologia trófica de peixes com ênfase na planctivoria em ambientes lênticos de água doce no Brasil. São Carlos: Rima. 2005. p. 25-80.

MELO JÚNIOR, M.; ALMEIDA, V. L. S.; PARANAGUÁ, M. N.; MOURA, A. N. Crustáceos planctônicos de um reservatório oligotrófico do nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Zoociências. 9(1): 19-30, junho 2007.

MERCANTE, C. T. J.; COSTA, S. V.; SILVA, D. DA; CABIANCA, M. Â.; ESTEVES, K. E. Qualidade da água em pesque-pague da região metropolitana de São Paulo (Brasil): avaliação através de fatores abióticos (período seco e chuvoso). Acta Scientiarum. Biological Sciences Maringá, v. 27, n. 1, p. 1-7. 2005. http://dx.doi.org/10.4025/actascibiolsci.v27i1.1352

NEUMANN LEITÃO S.; SOUZA, M. R. M.; PORTO NETO, F. F.; MOURA, M. C. O.; SILVA, A. P. e GUSMÃO, L. M. O. Zooplâncton do estuário do rio São Francisco, Nordeste do Brasil. Trabalhos Oceanográficos. UFPE, v. 27, n. 1, p. 33-54. 1999. 246p.

NOGRADY, T.; WALLACE, R. L.; SNELL, T. W. Rotifera: biology, ecology and systematics. guides to the identification of the microinvertebrates of the continental waters of the world: Ed. H.J.F. Dumont, SPB Academic Publishing, v. 1. 1993.

PINTO-COELHO, R. M.; COELHO, M. M.; ESPÍRITO SANTO, M. M.; CORNELISSEN, T. G. Efeitos da eutrofização na estrutura da comunidade planctônica na Lagoa da Pampulha, Belo Horizonte, MG. In: HENRY, R. (Eds.). Ecologia de reservatórios: estrutura, função e aspectos sociais. Botucatu: FUNDIBIO/FAPESP. 1999. p. 551-572.

PORTO NETO, F. F.; CATUNDA-MARCELINO, S. Zooplâncton como indicador da qualidade ambiental. In: Neumann-Leitão, S. & El-Deir, S. (Eds.) Bioindicadores da Qualidade Ambiental. Recife: Instituto Brasileiro Pró-Cidadania. 2009. p. 107-125.

RADÜNZ NETO, J. Alimento natural versus ração balanceada na larvicultura de peixes. 2003. Disponível em <http://www.sbz.org.br/eventos/PortoAlegre/homepagessbz/Radünz.htm> acesso 07 de agosto de 2009.

ROCHE, K. F. & ROCHA, O. Aspectos de predação por peixes e, lagos e represas, com enfoque na planctivoria. In ROCHE, K. F. e ROCHA, O. (Eds.). Ecologia trófica de peixes com ênfase na planctivoria em ambientes lênticos de água doce no Brasil. 1 ed. São Carlos: Rima. 2005. p. 1-24.

SEPOF - Secretaria Executiva do Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças. Disponível: <http:// www.sepof.pa.gov.br> acesso 4 de janeiro de 2007.

SIPAÚBA-TAVARES, L. H.; LIGEIRO, S. R.; DURIGAN, J. G. Variação de alguns parâmetros biológicos em um viveiro de piscicultura em função da luz. Acta Limnologica Brasiliensia, Botucatu, v.7, n.1, p.138-150. 1995.

SIPAÚBA-TAVARES, L. H.; ROCHA, O. Produção de plâncton (Fitoplâncton e Zooplâncton) para alimentação de organismos aquáticos. São Carlos: RIMA, 2003. 106 p.

SOARES, C. M., HAYASHI, C., GONÇALVES, G. S., GALDIOLI, E. M., BOSCOLO, W. R. Plâncton, Artemia sp dieta artificial e suas combinações no desenvolvimento e sobrevivência de larvas do quinguio (Carassius auratus) durante a larvicultura. Acta Scientiarum Biological Sciences, Maringá, v.22, n.2, p.383-388, 2000.

TUNDISI, J. G.; MATSUMURA-TUNDISI, T. Limnologia. São Paulo: oficina de textos, 2008. 631p.