Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Estrutura da Regeneração Natural Sujeita à Pecuária Extensiva na Região de Caçador-SC

DOI: http://dx.doi.org/10.14583/2318-7670.v02n04a03

http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/nativa/index 

downloadpdf

Saulo J. Téo1, Luan D. Fiorentin2, Chaiane R. Schneider1, Reinaldo H. da Costa3 & Sanny Batista3

 

Resumo: O objetivo deste trabalho foi analisar o efeito da pecuária extensiva sobre a regeneração natural em área de preservação permanente de Floresta Ombrófila Mista na região de Caçador, SC. Foi mensurado o diâmetro do colo (10 cm) e a altura total de todos os indivíduos de regeneração natural que apresentaram altura acima de 30 cm e circunferência à altura do peito menor que 15,7 cm. Foram avaliados os parâmetros fitossociológicos entre as áreas com e sem gado, bem como o diâmetro do colo e altura média e a distribuição dessas variáveis em classes usando a função de densidade de probabilidade Weibull. Áreas de preservação permanente com pecuária extensiva apresentaram maior densidade das espécies arbóreas na regeneração natural, porém, com indivíduos de menor porte. Myrcia sp. foi espécie característica da área com gado devido à alta densidade, enquanto que na área sem pecuária extensiva, a espécie caraterística foi Ilex paraguariensis em decorrência da alta dominância. O diâmetro do colo e altura média foram superiores para área sem gado, contudo, não houve diferenças significativas entre as áreas. A função Weibull apresentou ótima aderência aos dados de diâmetro do colo e altura para área com e sem gado.

Palavras-chave: fitossociologia, pastoreio bovino, função Weibull

 

Abstract: The aim of this research was to analyze the effect of extensive cattle raising on the natural regeneration in permanent preservation area in Ombrophyllous Mixed Forest at Caçador region, SC. It was measured the collar diameter (10 cm) and the total height of all individuals of natural regeneration that had height above 30 cm and circumference at breast height less than 15.7 cm. It was evaluated the phytosociological parameters between areas with and without cattle, even as the average collar diameter and height and distribution of that variable in classes using the Weibull probability density function. Permanent preservation areas with extensive cattle raising had the highest density of arboreal species at natural regeneration, however the individuals were smaller. Myrcia guianensis was the characteristic specie of area with cattle as a result of high density that occurs, while in the area without extensive cattle raising, the characteristic specie was the Ilex paraguariensis owing the high dominancy. The average collar diameter and height was higher for area without cattle, nevertheless there were no significant difference between areas. The Weibull function showed great adherence to collar diameter and height for area with and without cattle.

Key words: phytosociology, cattle pasture, Weibull function

 

1 Departamento de Engenharia Florestal, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Xanxerê, Santa Catarina, Brasil
2 Departamento de Engenharia Florestal, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil. E-mail: luanfiorentin@hotmail.com
3 Departamento Florestal, Juliana Florestal Ltda., Caçador, Santa Catarina, Brasil

 

Literatura Citada

ARAÚJO, A. C. B. Efeito do pastoreio de bovinos sobre a estrutura da mata ciliar do Arroio Espinilho em Sant’Ana do Livramento, RS, Brasil. 2010. 93f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) –Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010.

BARDDAL, M. L. et al. Fitossociologia do sub-bosque de uma Floresta Ombrófila Mista Aluvial, no município de Araucária, PR. Ciência Florestal, Santa Maria, v.14, n.1, p.35-45, jan./mar. 2003.

CALDATO, S. L. et al. Estudo da regeneração natural, banco de sementes e chuva de sementes na reserva genética florestal de Caçador, SC. Ciência Florestal, Santa Maria, v.6, n.1, p.27-38, nov. 1996.

HUSCH, B. et al. Forest mensuration. 2 ed. New York: The Ronald Press Cox, 1972. 410p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Manuais técnicos em geociências: manual técnico da vegetação brasileira. n. 1. 2 ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. 275p.

KLAUBERG, C. et al. Florística e estrutura de um fragmento de Floresta Ombrófila Mista no Planalto Catarinense. Revista Biotemas, Florianópolis, v.23, n.1, p.35-47, jan./mar. 2010.

KLEIN, R. M. O aspecto dinâmico do pinheiro brasileiro. Sellowia, Itajaí, v.13, n.12, p.17-44, jun. 1960.

KURASZ, G. Sistema de informações geográficas aplicado ao zoneamento ambiental da Reserva Florestal Embrapa/Epagri, Caçador/SC. 2005. 146f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

LINGNER, D. V. et al. Caracterização da estrutura e da dinâmica de um remanescente de Floresta com Araucária no Planalto Catarinense. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, n.55, p.55-66, jul./dez. 2007.

LOETSCH, F.; HALLER, K. E. Forest Inventory. 2 ed. München: BLV Verlagsgesellschaft, 1973. 439p.

NARVAES, I. S. et al. Estrutura da regeneração natural em Floresta Ombrófila Mista na Floresta Nacional de São Francisco de Paula, RS. Ciência Florestal, Santa Maria, v.15, n.4, p.331-342, out./dez. 2005.

PALUDO, G.F. et al. Estrutura demográfica e padrão espacial de uma população natural de Araucaria angustifolia (Bertol.) Kuntze (Araucariaceae), na reserva genética florestal de Caçador, Estado de Santa Catarina. Revista Árvore, Viçosa, v.33, n.6, p.1109-1121, nov./dez. 2009.

PIMENTEL, A. et al. Fitossociologia do sub-bosque do Parque Ambiental Rubens Dallegrave, Irati, PR. Floresta, Curitiba, v.38, n.3, p.479-486, 2008.

SAMPAIO, M. B.; GUARINO, E. S. G. Efeitos do pastoreio de bovinos na estrutura populacional de plantas em fragmentos de Floresta Ombrófila Mista. Revista Árvore, Viçosa, v.31, n.6, p.1035-1046, nov./dez. 2007.

SANTOS, B. Impacto do controle mecânico de taquaras (bambusoideae) sobre a regeneração de uma área de Floresta Ombrófila Mista. 2008. 127f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) –Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008.

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO (SFB). Florestas do Brasil em resumo. Brasília: SFB, 2010. 152p.