Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Perfil dos Pacientes Infartados no Centro de Terapia Intensiva de Um Hospital Privado de Porto Alegre

DOI: http://dx.doi.org/10.15602/1983-9480/cmrs.v12n23p29-35

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ipa/index.php/RS/index 

downloadpdf

Letícia S. Andrade1 & Karina Azzolin2

 

Resumo: Este estudo visa descrever o perfi l de pacientes com infarto agudo do miocárdio (IAM) atendidos no CTI Adulto de um hospital privado de Porto Alegre. Trata-se de um estudo descritivo, com delineamento transversal, realizado com pacientes que internaram na CTI Adulto com o diagnóstico de Síndrome Coronariana Aguda no período de 01 de julho a 30 de outubro de 2008. A coleta de dados foi através de entrevista com aplicação de questionário e, análise dos prontuários dos pacientes. Foram avaliados 22 pacientes, sendo 54,5% do sexo feminino, todos de cor branca, com idade média de 64 anos. A maior parte da amostra era procedente de Porto Alegre (86,4%), profi ssão dona de casa (13,6%), casados (68,2%), e com bom grau de escolaridade (≥ 10 anos). Na internação hospitalar o diagnóstico de IAM sem supradesnivelamento do segmento de ST (SST) foi de 59,1%, seguido de IAM com SST 22,7% e Angina Instável (AI) 18,2%. A HAS foi o fator de risco mais expressivo na amostra, seguido de histórico familiar, e ingesta alcoólica, sendo estes os mais prevalentes. Constatou-se nos resultados deste estudo que pacientes atendidos na instituição privada, mesmo tendo a condição socioeconômica como fator de proteção cardiovascular, ainda prevalecem os mesmos fatores de risco citados em outros estudos, com populações diferentes.

Palavras-chave: Infarto do Miocárdio - Fatores de risco - Educação em Enfermagem

 

Abstract: This study aims realized of patients with acute myocardial infarction (AMI), seen in the Adult ICU at a private hospital in Porto Alegre. It is a quantitative, descriptive research with a cross-sectional design. The study was performed on patients who were admitted to the Adult ICU at a private hospital in Porto Alegre, with a diagnosis of acute coronary syndrome, during the period from July 1 to October 30, 2008. Data were collected by interviews in which a specifi c questionnaire was applied and the analysis of the patients’ records. Twenty-two patients, 54.5% female, all of them white, mean age 64 years were evaluated. Most of the sample was from Porto Alegre (86.4%), housewives (13.6%), married (68.2%), and with a good level of schooling (≥ 10 years). At hospitalization, the diagnosis of AMI without ST Elevation (NSTEMI) was 59.1%, followed by AMI with ST Elevation (STEMI) an of 22.7% and Unstable Angina (UA) 18.2%. SAH was the most important risk factor in the sample, followed by a family history and alcohol intake, these being the most prevalent. In the results of this study it was found that patients treated in private institution, even though the socio economic factor for cardiovascular protection, still prevails the same risk factors cited in other studies with different populations.

Key words: Myocardial Infartion - Risk Factors – Education - Nursing

 

1 Graduanda em Enfermagem do Centro Universitário Metodista, do IPA
2 Mestre em Ciências da Saúde: Cardiologia IC-FUC. Doutoranda do Programa da Pós-Graduação em Enfermagem UFRGS. Docente do Curso de Enfermagem do Centro Universitário Metodista, do IPA. Docente do Programa de Pós-Graduação Latu Sensu: Enfermagem em Cardiologia do IC-FUC. e-mail: karina.azzolin@metodistadosul.edu.br 

 

Literatura Citada

AMINO, J.G.C. SOCIEDADE DE CARDIOLOGIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – (SOCERJ), Jornal da Socerj. Ano VIV, n 05, jan/fev/mar. 2004. Acesso em: 10 maio 2008.

AVEZUM A.; PIEGAS L.S.; PEREIRA J.C.R. Fatores de risco associados com infarto agudo do miocárdio na região metropolitana de São Paulo: uma região desenvolvida em um país em desenvolvimento. Arq. Bras. Cardiol. v. 84, n. 3, p. 206-213, mar. 2005. doi

BRAGA, J.R.; et al. Impacto do diabetes mellitus na mortalidade em síndromes coronarianas agudas. Arq Bras Endocrinol Metab. v. 51, n. 2, p. 275-280, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/cgi-bin/fbpe/fbtext?pid=S0004-27302007000200016 acesso em: 02 novembro 2008.

CALEGARI, Enfª. Ida. Infarto Agudo do Miocárdio. [s. n.]. Não paginado. [ entre 1982 a 2000]. Disponível em: <http://br.geocities.com/araujopt1/enfarte.html> acesso em: 17 abril 2008.

COLOMBO, R.C.R.; AGUILLAR, O.M. Estilo de vida e fatores de risco de pacientes com primeiro episódio de infarto agudo do miocárdio. Rev. Latino-Am. Enfermagem. v. 5, n. 2, p. 69-82, abr. 1997. doi

CUNNINGHAM, S. The epidemiologic basis of coronary disease prevention. Nurs. Clin. North. Am., v. 27,n.1, p. 153-65, 1992.

GOLDMEIER, S.; CASTRO, I. A teoria do autocuidado no manejo dos fatores de risco (obesidade, hipertensão e tabagismo) em pacientes pós-infarto agudo do miocárdio. Revista da AMRIGS. v. 9, n. 3, p.137-216, jul/set. 2005. Disponível em: <http://www.amrigs.com.br/revista/49-03/ao02texto.htm> acesso em: 12 maio 2008.

INTERHEART (2004). Effect of potentially modifi able risk factors associated with myocardial infarction in 52 countries (the INTERHERT study): case-control study. Lancet, 84, n. 11, p. 199-201, 2004. Disponível em: < http://www.thelanchet.com > acesso em: 27 out. 2008.

JACONODINO, C.; AMESTOY, S.C; THOFEHRN, M.B. Conhecimento dos pacientes acercados fatores de risco relacionados as doenças cardiovasculares. Cogitare Enferm. v.12, n. 4, p. 466-71. out/dez.2007. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v12i4.10072

LEMOS, K.F.; DAVIS, R.; AZZOLIN, K. Prevalência de Fatores de risco para Síndrome Coronariana Aguda em emergência de Porto Alegre. Trabalho de conclusão de curso (Monografi a) – Pós-Graduação Latu Sensu Enfermagem em Cardiologia da Fundação Universitária de Cardiologia. Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

PIEGAS, L.S; AVEZUM, A; PEREIRA, J.C; NETO, J.M; HOEPFNER, C; FARRAN, J.A; et al. For the AFIRMAR Study Investigators.... Risk factors for myocardial infarction in Brazil. n. 146, p. 331-8, 2003.

POLANCZYK, C.A. Fatores de risco cardiovascular no Brasil: os próximos 50 anos!. Arq. Bras. Cardiol. v. 84, n. 3, p.199-201, mar 2005. doi

ROCHA, L.A.; MAIA, T.F.; SILVA, L.F. Diagnósticos de enfermagem em pacientes submetidos á cirurgia cardíaca. Rev Bras Enferm., v. 59, n. 3, p. 321- 326, maio 2006. doi

SILVA, M.A.D.; SOUSA, A.G.M. R.; SCHARGODSKY, H. Fatores de risco para infarto do miocárdio no Brasil: estudo FRICAS. Arq. Bras. Cardiol. v. 71, n. 5, p. 667-675, nov.1998. doi

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA(SBC). III Diretriz sobre tratamento do infarto agudo do Miocárdio. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. v. 83, supl. IV, set. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2004002200001> acesso em: 24 abril 2008.

VARELA, R.; SALEMA, E.B.; BARTILOTTI, C.B. Infarto agudo do miocárdio em mulheres. Revista Digital. Buenos Aires, Ano 12 – n. 110, jul. 2007. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd110/infarto-agudo-do-miocardio-em-mulheres.htm> acesso em: 17 abril 2008.

ZORNOFF, L.A.M. et al. Perfi l Clínico, Preditores de Mortalidade e Tratamento de Paciente após infarto Agudo do Miocárdio, em Hospital Terciário Universitário. Arq. Bras. Cardiol., v. 78 n. 4, p. 396- 400, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abc/v78n4/p07v78n4.pdf Acesso em: 02 novembro 2008.