Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

BLOGS e WIKIS: Duas Formas de Colaboração em Redes Sociais

DOI: http://dx.doi.org/10.15602/1983-9480/cmedh.v13n26p7-19

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ipa/index.php/EDH/index 

downloadpdf

Francisco C. Santos1 & Cristina P. Cypriano2

 

Resumo: Wikis e blogs fazem parte da rede colaborativa chamada de Web 2.0. Ambos permitem a confluência de interesses diversos em torno de conteúdos comuns, mas dão suporte a dinâmicas distintas. Wikis são agregadores de agentes e blogs são espécies de desagregadores. Enquanto os blogs são marcados pela autoria e a pauta é definida pelo autor, os wikis são marcados pela anonimidade da autoria. No wiki os participantes da colaboração se portam como um coletivo, no blog se encontra lugar de diálogo que envolve individualidades. Este artigo demonstra que, preservadas as diferenças, ambos colocam em prática formas inovadoras de produção colaborativa que se confundem com a produção de novos modos de subjetividade e de objetividade.

Palavras-chave: Web 2.0 – Redes sociais – Colaboração – Objetividade – Subjetividade.

 

Abstract: Wikis and blogs are part of the collaborative network called Web 2.0. Both enable the convergence of diverse interests around common contents but support distinct dynamics. Wikis are aggregators of agents and blogs are kinds of “disaggregators”. While blogs are marked by the authorship and the agenda is set by the author, wikis are marked by the anonymity of authorship. Whereas wiki collaboration participants behave as a collective, the blog is a place of dialogue that involves individualities. This article demonstrates that in spite of the differences, both put in practice innovative ways of collaborative development that are mingled with the production of new modes of subjectivity and objectivity.

Key words: Web 2.0 – Social networks – Collaboration – Objectivity – Subjectivity.

 

1 Professor associado do Departamento de Sociologia e Antropologia da Faculdade de Filosofia e Ciência Humanas da UFMG.
2 Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG. Bolsista de doutorado da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG.

 

Literatura Citada

ASCOTT, Roy. Quando a onça se deita com a ovelha: a arte com mídias úmidas e a cultura pós-biológica. In: D. Domingues (org.), Arte e vida no século XXI: tecnologia, ciência e criatividade. São Paulo, Ed, UNESP, 2003.

BOASE, Jeffrey & WELLMAN, Barry. Redes virais: viroses biológicas, computacionais e de mercado. In: F. Duarte, C. Quandt & Q. Souza (orgs.), O tempo das redes. São Paulo, Ed. Perspectiva, 2008.

BREIGER, Ronald L. Control Social y redes sociales: un modelo a partir de Georg Simmel. Política y Sociedad, n°33: 57-72, 2000.

BRUNO, Fernanda. Máquinas de ver, modos de ser: visibilidade e subjetividade nas novas tecnologias de informação e de comunicação. Revista FAMECOS, nº 24: 110-124, 2004.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da Internet. Reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2003.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes, 1994.

DELEUZE, Gilles & GUATTARI, Félix. Kafka. Pour une littérature mineure. Paris, Minuit, 1975.

DERRIDA, Jacques. De la grammatologie. Paris, Minuit, 1967.

DERRIDA, Jacques. Positions. Paris, Minuit, 1972.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Traducão de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1994.

FOUCAULT, Michel. Les mots et les choses. Paris, Gallimard, 1966.

GRANOVETTER, Mark S. Ação econômica e estrutura social: o problema da imersão. RAE-eletrônica, v.6, nº 1, 2007.

GRANOVETTER, Mark S. The strength of weak ties. American Journal of Sociology, vol. 78, n°6, 1973.

JOHNSON, Steven. A cultura da interface. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2001.

LASH, Scott. Technological Forms of Life. Theory, Culture & Society, vol. 18(1): 105-120, 2001. http://dx.doi.org/10.1177/02632760122051661

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos. Tradução de Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro, 34, 1994.

MAUSS, Marcel. Sociologie et Anthropologie. Paris, PUF, 1980.

O’REILLY, Tim. What is Web 2.0. Design patterns and business models for the next generation of software. http:// oreilly.com/web2/archive/what-is-web-20.html, consultado em 13 junho 2011.

SANTOS, Francisco C. Boca a boca high-tech: os blogs e as relações público/privado.In: E. Jesus & M. Salomão (orgs.). Interações plurais. A comunicação e o contemporâneo. São Paulo, Annablume, 2008.

SANTOS, Francisco C. Peripécias de agosto: alguns episódios da cena hacker. Revista Fronteiras. Estudos midiáticos. vol. IV, nº 2: 79-101, 2002.

SANTOS, Francisco C. Controle e contrato: duas formas de relação com a alteridade. Educação, Subjetividade e Poder, nº 4: 09-15, 1997.

SIMMEL, Georg. Sociologie. Études sur les formes de la socialisation. Paris, P.U.F, 1999.

TURKLE, Sherry. Life on the screen. Identity in the age of the Internet. New York, Simon & Schuster, 1995.