Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Avaliação in vitro da Microinfiltração Marginal em Restaurações Classe II Utilizando Diferentes Técnicas de Inserção de Resina Composta

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-1236/fol.v22n1p17-23

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/FOL/index 

downloadpdf

Rodrigo A. Ribeiro1, Darlene C. R. E. Dantas2, Ana I. A. M. Ribeiro2, Rodivan Braz3, Jackson S. Lobo4, Bárbara V. de B. Monteiro5 & Alessandro L. Cavalcanti2

 

Resumo: Objetivo: Avaliar a microinfiltração marginal em cavidades classe II utilizando diferentes técnicas de inserção de resina composta. Materiais e Métodos: Preparos classe II foram confeccionados nas paredes mesial e distal, em 30 molares hígidos humanos, com término em esmalte. Todos os espécimes foram restaurados utilizando-se resina composta Z-350 e armazenados em água destilada. Os grupos foram divididos de acordo com a técnica utilizada: Grupo I: Esfera pré-polimerizada, Grupo II: Inserção de fibra de vidro, e Grupo III: Incremental (controle). Os dentes foram submetidos à ciclagem térmica (500 ciclos) com intervalos de tempo de 30 segundos de imersão, em seguida, imersos em solução de Azul de Metileno a 5% por 24 horas, seccionados e examinados em estereomicroscópio quanto à penetração do corante. Os dados foram apresentados por meio da estatística descritiva (médias e mediana) e inferencial (Teste de Mann-Whitney), com nível de significância de 5%. Resultados: Todos os grupos apresentaram infiltraçãomarginal, porém os grupos I e II apresentaram os menores valores de microinfiltração (p<0,05). Conclusão: As técnicas de inserção de fibra de vidro e a de esferas de resina pré-polimerizadas se mostraram mais eficientes com relação à obtenção do selamento marginal.Rodrigo A. 

Palavras-chave: Infiltração Dentária, Resinas compostas, Esmalte Dentário

 

Abstract: Objective: To evaluate the marginal microleakage in class II cavities using different techniques of insertion of composite resin. Materials and Methods: Class II Preparations were made in the mesial and distal walls in 30 human molars with enamel finish. All specimens were restored using composite Z-350 and stored in distilled water. The groups were divided according to the technique used: Group I: Sphere prepolymerized, Group  II: Insertion of fiberglass, and Group III: Incremental (control).The teeth were subjected to thermal cycling (500 cycles) with time intervals of 30 seconds of immersion, then immersed in a solution of methylene blue to 5% by 24 hours, then sectioned and examined under a stereomicroscope and the dye penetration. The data were presented by descriptive statistics (mean and median) and inferential (Mann-Whitney) with significance level of 5%. Results: All groups showed microleakage, but it was observed that groups I and II showed the lowest microleakage values (p <0.05). Conclusion: The techniques for insertion of glass fiber and the resin beads prepolymerized are more efficient with respect to obtaining the sealing ability.

Key words: Dental leakage, Composite Resins, Dental Enamel

 

1 Doutorando em Clínica Integrada pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, Pernambuco, Brasil.
2 Professor Doutor do Departamento de Odontologia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Campina Grande, Paraiba, Brasil.
3 Professor Doutor da Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP-UPE), Camaragibe, Pernambuco, Brasil.
4 Professor Doutor do Departamento de Odontologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Aracaju, Sergipe, Brasil
5 Doutoranda em Patologia Oral pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

 

Literatura Citada

Mondelli AL, Mondelli J, Espinosa JCC, Pereira MA. Avaliação de infiltração marginal em cavidades de classe II restauradas com resina composta associada a outros materiais de inserção direta. Rev Ibero-Am Odontol Estet Dent 2004; 3(11):285-97.

Kidd EAM. Microleakage: A review. J Dent 1978; 4(5):199-206.

Couto PHA, Pinheiro JMM, Couto LHA, Freitas MRLS. Avaliação in vitro da microinfiltração coronária em cinco materiais seladores temporários usados em endodontia. Arq Bras Odontol 2010; 6(2):78-88.

Macedo RG, Nabeshima CK, Britto MLB. Microinfiltração do óxido de zinco e eugenol e do cimpat rosa como restaurador provisório. Arq Bras Odontol 2009; 5(2):49-52.

Moura FRR, Romano AR, Lund RG, Piva E, Rodrigues Júnior AS, Demarco FF. Threeyear clinical performance of composite restorations placed by undergraduate dental students. Braz Dent J 2011; 22(2):111-16.

Poloniato M, Oliveira ME, Miranda Jr WG. Avaliação da microinfiltração da evolução de um sistema adesivo. Rev ABO Nac 2003; 11(6):363-67.

Li H, Burrow MF, Tyas MJ. The effect of thermocycling regimes on the nanoleakage of dentin bonding systems. Dent Mater 2002; 18(3):189-96.

International Standards Organization. ISO Standard 11405:2003: dental materialstesting of adhesion to tooth structure. Geneva: The Organization; 2003.

Simas MS, Costa EL, Alves CMC, Lopes FF, Costa JF. Efeito do substrato e do tipo de adesivo dental na microinfiltração em restaurações de resina composta. Odontol Clín.-Cient 2011; 10(1):43-7.

Medeiros Martins V, Cavalcanti AL, Barbosa ECS, Myaki SI. Avaliação in vitro da microinfiltração em cavidades classe II de molares decíduos utilizando diferentes sistemas adesivos. Rev Odontol UNESP 2006; 35(3):119-23.

Cavalcanti AL. Avaliação in vitro na interface da parede gengival das caixas proximais em cavidades classe II de molares decíduos, restaurados com resina composta auto fotopolimerizável [Dissertação de Mestrado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da USP; 1997.

Hakimeh S, Vaidyanathan J, Houpt ML, Vaidyanathan TK, Von Hagen S. Microleakage of compomer class V restorations: Effect of load cycling, thermal cycling, and cavity shape differences. J Prosth Dent 2000; 83(2):194-203.

Cavalcanti AL, Chelotti A. Avaliação in vitro da microinfiltração em cavidades classe II de molares decíduos, restaurados com resina composta auto e fotopolimerizável. Ver Odontol Univ São Paulo 1999; 13(2):167-71.

Bullard RH, Leinfelder KF, Russel CM. Effect of coefficient of thermal expansion on microleakage. J Am Dent Assoc 1988; 7(116):871-74.

Nunes MCP, Franco EB, Pereira JC. Microinfiltração marginal: análise crítica da metodologia. Salusvita 2005; 24(3):469-85.

Zanata RL, Palma RG, Navarro MFL. Avaliação in vitro da microinfiltração emcavidades de classe V restauradas comdiferentes combinações de resinas compostas e cimento de ionômero de vidro. Rev Odontol Uni São Paulo 1998; 12(2):113-19.

Gordan VV, Vargas MA, Cobb DS, Denehy GE. Evaluation of acidic primers in microleakage of class II composite resin restorations. Oper Dent 1998; 23(5):244-49.

Bussadori SK, Muench A. Microinfiltração em dentes decíduos em função de materiais restauradores e condicionamento ácido. Ver Odontol Univ São Paulo 1999; 13(4):369-73.

Cilli R, Araújo MAJ. Posterior condensable composite resins: microleakage studies. Pós- Grad Rev Fac Odontol 2000; 3(1):113-7.

Carvalho RM. Adesivos dentinários: fundamentos e aplicação clínica. Rev Dent Rest 1998; 1(2):62-95.

Ghersel ELA, Guedes-Pinto AC, Ciamponi AL. Influência do modo de armazenamento na microinfiltração de dentes decíduos restaurados com diferentes sistemas adesivos: estudo in vitro. Pesqui Odontol Bras 2001; 15(1):29-34.

Rossomando KJ, Wendt SL. Thermocycling and well times in microleakage evaluation for bonded restorations. Dent Mater 1995; 11(1):47-51.

Veronezi MC, Aquira I, Bastos MTAA, Franco EB. Influência da ciclagem térmica e do método de avaliação na determinação da microinfiltração em restaurações de resina composta. Rev Fac Odont Lins 2002; 14(1):9-18.

Santos AB, Pederiva AC, Diegoli NM. Influência da termociclagem na resistência flexural de compósitos. Rev Gaúcha Odontol 2005; 53(1):54-58.

Gouvêa CVD, Couto CF, Souza FN, Sales PVT, Silva LE, Barros RN. Estudo do efeito da termociclagem na resistência à fratura de uma resina composta nanoparticulada e duas resinas compostas microhíbridas. Odontol Clín.-Científ 2008; 7(4):321-24.

Bijella MB. Avaliação in vitro da microinfiltração marginal em restaurações classe II, confeccionadas com um cimento de ionômero de vidro modificado por resina, uma resina composta “semicondensável” e uma resina composta “condensável”. [Dissertação de Mestrado], São Paulo: Faculdade de Odontologia de Bauru; 2000.

Donassollo TA, Leivas LL, Moura FRR,De Marco FF. Microinfiltração em esmalte com o emprego de diferentes agentes adesivos. Ver Odonto Ciênc 2002; 17(38):339-44.

Davidson CL, Feilzer AJ. Polymerization shrinkage and polymerization shrinkage stress in polymer based restoratives. J Dent 1997; 25(6):436-40.

Prati C, Chersoni S, Cretti L, Mongiorgi R. Marginal morphology of class V composite restorations. Am J Dent 1997; 5(10):231-36.

Pacheco GF, Salgado IO. Microinfiltração marginal nas paredes cervicais de restaurações diretas com resinas compostas em dentes posteriores. Rev Bras Odontol 2002; 59(5):347-50.