Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Terapia Floral no Controle do Estresse do Professor Enfermeiro

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v12n31p31-42

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/saude/index 

downloadpdf

Samira H. Botelho1 & Maria T. Soratto2

 

Resumo: O presente estudo teve como objetivo identificar a contribuição da terapia floral no controle do estresse do professor enfermeiro. Trata-se de uma pesquisa de abordagem quantitativa do tipo ensaio clínico randomizado, cuja amostra final foi composta de 14 professores de enfermagem, os quais foram divididos em dois grupos de sete participantes: um recebeu a intervenção por meio da utilização da fórmula floral e o outro, somente a fórmula com brandy sem os florais, sendo denominado grupo controle. Aplicou-se questionário antes e após o uso da terapia floral, para conhecer a opinião dos trabalhadores de enfermagem sobre a utilização do floral no processo de cuidado ao cuidador. Utilizou-se o teste de detecção do estresse baseado em Baccaro1, para averiguar o nível de estresse dos professores antes e após a utilização da referida terapia. Em relação aos resultados do teste aplicado ao grupo controle, o nível de estresse intenso que apresentavam 71,43% dos professores diminuiu para 28,57% após a utilização da terapia floral. No que condiz aos objetivos propostos, pôde-se observar a contribuição de maneira positiva dessa terapia para o controle do estresse do professor enfermeiro, pois faz despertar em cada um a essência do cuidar de si mesmo, ou seja, cuidar do seu corpo e de sua alma.

Palavras-chave: docente; enfermeiro; estresse; florais.

 

Abstract: The present study aimed to identify the contribution of floral therapy stress management teacher nurse. This is a quantitative research approach of randomized clinical trial, whose final sample consisted of 14 nursing teachers, which were divided into two groups of seven participants: one group received the intervention through the use of formula and other floral only the formula with floral brandy without being called control group. A questionnaire was applied before and after the use of flower essence therapy, to know the opinion of nursing staff on the use of floral in the process of care to the caregiver. We used the test to detect stress-based Baccaro1, to determine the stress level of teachers before and after use of this therapy. Regarding the results of the test applied to the control group, the level of intense stress that 71.43% of teachers had decreased to 28.57% after the use of flower essence therapy. In that match the proposed objectives, we could observe a positive contribution of this therapy for stress management teacher nurse because awakens in each of the essence of caring for yourself, or take care of your body and his soul.

Key words: teacher; nurse; stress; floral. 

 

1 Enfermeira graduada em Enfermagem pela Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (UNESC). E-mail: samibotelho@hotmail.com.
2 Professora do curso de Enfermagem e Fisioterapia da UNESC, mestre em Educação (Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL – Tubarão – SC), especialista em Terapia Floral pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), especialista em Plantas Medicinais pela Faculdade Bagozzi, Paraná, e graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC – SC. E-mail: guiga@unesc.net.

 

Literatura Citada

Baccaro A. Vencendo o Estresse: como detectá-lo e superá-lo. Ed. 6ª. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

Rossi AM, Perrewé P, Sauter S [org]. Stress e qualidade de vida no trabalho. São Paulo: Atlas; 2005.

Codo W [coord.]. Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Vozes; 2002.

Barreto MA. Oficio, Estresse e Resiliência: desafios do professor universitário. [Tese de Doutorado] Natal (RN): Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2007

De-Souza Márcia M., Garbeloto Milene, Denez Karin, Eger-Mangrich Iriane. Avaliação dos efeitos centrais dos florais de Bach em camundongos através de modelos farmacológicos específicos. Rev. bras. farmacogn. [serial on-line]. 2006 Set [acesso 29/maio/2010]; 16(3): 365-371. doi

Neves LCP, Selli L, Junges, R. A integralidade na Terapia Floral e a viabilidade de sua inserção no Sistema único de Saúde. O Mundo da Saúde. [serial on-line]. 2010 [acesso 31/maio/2010]; 34 (1):57-64. Disponível: http://www.saocamilo-sp.br/pdf/mundo_saude/.../07_original_integridade

Lipp MEN. Manual do inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

Soratto M.T. A Percepção do Professor Universitário acerca do Stress. [Dissertação Mestrado em Educação] Tubarão (SC): Universidade do Sul de Santa Catarina, 2006.

Witter GP. Produção científica e estresse do professor. In: Lipp MEN [org]. O stress do professor. Campinas: Papirus; 2002. p.127-134.

Morillejo EA; Muñoz CP. Fatores de Risco em Trabalhadores da Saúde. Rev. Téc-cien Enfermagem, 2004; 2(9): 138-45.

Bach E. Os Remédios Florais do Dr. Bach. SP: Pensamento, 2006.

Monari CLR. Participando da Vida com os Florais de Bach: uma visão mitológica e prática. SP: Roca, 2002.

Kaminski P; Katz R. Repertório das Essências Florais. SP: Triom, 2003.

White I. Essências Florais Australianas. Ed. 2ª. SP: Triom, 1998.

Schor N. As doenças que você tem e não sabe. São Paulo: MG, 2005.

Saad M. et al. Espiritualidade baseada em evidências. Acta Fisiátrica. 2001. 8(3):107-112.