Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Educação em Saúde para o Autocuidado do Paciente Após Cirurgia Cardíaca

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v11n28-29p37-47

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/saude/index 

downloadpdf

Ana C. V. de Andrade1 & Maria T. Soratto2

 

Resumo: O objetivo deste trabalho é mostrar como a educação em saúde pode subsidiar o autocuidado do paciente após cirurgia cardíaca, em nível de atenção primária, nas Unidades Saúde da Família, o qual necessita de uma atenção especial após o procedimento cirúrgico, para que sua reabilitação seja favorável e ele possa realizar o autocuidado. É por meio da educação em saúde que o enfermeiro pode promover o autocuidado valendo-se da troca de experiências com o paciente. O estudo foi realizado em instituição hospitalar e unidades de saúde abrangente à área de domicílio do paciente. Participaram do estudo enfermeiras e pacientes submetidos à cirurgia cardíaca. Sendo uma pesquisa de caráter qualitativo, realizouse entrevistas com os participantes e consultas de enfermagem com os pacientes. Por intermédio de estratégias, consultas de enfermagem, grupos terapêuticos e visitas domiciliares, o profissional de enfermagem pode realizar a educação em saúde, para que o paciente, após a cirurgia cardíaca, possa realizar o autocuidado. A assistência depende do trabalho em equipe, e o comprometimento deve ser de todos, no sentido de realizarem ações integradas para a melhoria da saúde e qualidade de vida desse paciente.

Palavras-chave: educação em saúde – autocuidado na reabilitação – programa saúde da família – cirurgia cardíaca.

 

Abstract: The objective is to show how health education can support self-care of patients after cardiac surgery in Public Health Centers. These patients need special attention after the surgery, so that their rehabilitation is favorable and they can perform self-care. It is through health education that nurses can promote self-care drawing upon the exchange of experiences with the patient. The study was conducted in the hospital and health centers in the area where the patients live. Nurses and patients who had gone through cardiac surgery participated in the study. As a qualitative research, interviews were performed with the participants as well as consultations with patients.Through strategies, nursing visits, home visits and group therapy, nurses can provide health education, so that the post-cardiac-surgery patient can perform self-care.Assistance depends on teamwork, and everyone must commit to it, so that integrated actions are carried out for the improvement in patients’ health and quality of life.

Key words: health education – rehabilitation self-care – family health program – cardiac surgery.

 

1 Enfermeira Curso de Enfermagem Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (Unesc/SC).
2 Mestre em Educação, enfermeira e professora do Curso de Enfermagem Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul/SC). Curso de Fisioterapia e Enfermagem Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (Unesc/SC).

 

Literatura Citada

Santos ZM de S, Oliveira VLM. Consulta de Enfermagem ao cliente transplantado cardíaco: impacto das ações educativas em saúde. Rev bras enferm. Brasília. 2004 Nov/Dez;57(6):654-57.

Ceretta LB. A Educação em Saúde na prática profi ssional do Enfermeiro. Criciúma, 8 de outubro de 2004. 13 p. Apostila de Educação em Saúde. Curso de Enfermagem. UNESC.

Minayo MC de S, Deslandes SF, Cruz Neto O, Gomes R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes; 2002.

Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Resolução 196/96. [Acesso em 2007 Nov 30]; Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pob/v17s1/a06v17s1.pdf.

Leopardi MT. Entre a moral e a técnica: ambigüidades dos cuidados da enfermagem. Florianópolis: UFSC; 1994, p. 43-82 (série Enfermagem – REPENSUL).

Magnan C, Oliverira BG, Gontijo ED. Representações, mitos e comportamentos do paciente submetido ao implante de marcapasso na doença de Chagas. Cad. Saúde Pública. 2007Jul;23(7):1624-32.

Juliani CMCM, Ciampone MHT. Organização do sistema de referência e contra-referência no contexto do Sistema Único de Saúde: a percepção dos enfermeiros. Rev Esc Enferm. USP. [periódico na Internet]. 1999 Dez (acesso em 2008 May 22); 33(4):323-33. Disponível em: http://www.ee.usp.br/reeusp/upload/pdf/465.pdf.

Horr L. Conselho regional de enfermagem de Santa Catarina. Coren Santa Catarina. 7ª ed. Florianópolis; 2008. p. 38-55.

Giacomozzi CM, Lacerda MR. A prática da assistência domiciliar dos profissionais da estratégia de saúde da família. Texto & contexto enferm. Florianópolis. [periódico na Internet]. 2006 Out./Dez (acesso em 2007 Dec 2); 15(4):645-53. Disponível em: http://redalyc.uaemex.mx/redalyc/pdf/714/71415413.pdf.

Leopardi MT. Teoria e método em assistência de Enfermagem. Florianópolis: Soldasoft; 2006. p. 241-252.

Faria EM, Leopardi MT. O método OTDP. Criciúma; 2003:4. Apostila de Metodologia de Assistência de Enfermagem. Curso de Enfermagem. UNESC. (ampliação CERETTA, Luciane Bisognin; SCHWALM, Magada Tessmann. 2008).

Fox VJ. Educação do paciente e planejamento da alta. In: Alexander EL, Meeker MH, Rothrock JC. Cuidados de enfermagem ao paciente cirúrgico. 10ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1997. p. 196-228.

Brasil. A Estratégia Saúde da Família. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Atenção Primária e Promoção da Saúde. In: ______ Brasília: CONASS; 2007. p. 74-97.

Smeltzer SC, Bare BG. Brunner e Suddart: Tratado de Enfermagem médico-cirúrgica. 10ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2002. p. 38-48 e 571-613.