Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Transtornos Alimentares e Conceitos Socioculturais

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v11n28-29p49-55

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/saude/index 

downloadpdf

Marilene de O. Leite1 & Marcelle C. G. Pereira2

 

Resumo: Os transtornos alimentares são caracterizados por alterações do comportamento alimentar, que se constituem de quadros dramáticos e potencialmente fatais. Possuem uma etiologia multifatorial, composta de predisposições genéticas, socioculturais e vulnerabilidades biológicas e psicológicas. Entre os fatores predisponentes estão os conceitos socioculturais caracterizados pela extrema valorização do corpo magro e as práticas indiscriminadas de emagrecimento para obtenção do peso corporal ditado como o ideal pela sociedade e pelos meios de comunicação. Esses fatores causam profundas mudanças na vida humana, em razão das quais as pessoas estão perdendo a sua identidade de forma violenta, e isso faz com que elas transformem seus hábitos e valores, causando riscos à sua saúde e perda de qualidade de vida.

Palavras-chave: transtornos alimentares – meios de comunicação – dieta – imagem corporal.

 

Abstract: Eating disorders are characterized by changes in eating behavior, which reveal a dramatic picture of potentially fatal diseases. They have a multifactorial etiology, consisting of genetic and sociocultural predisposition, and biological, and psychological vulnerabilities. Among the predisposing factors are the sociocultural concepts, characterized by extreme enhancement of a thin body, the indiscriminate practices of weight loss to achieve a body figure that is dictated as ideal by society and the media. Therefore, profound changes in human life can be observed which provoke the loss of people’s identity in a violent change of habits and values, and causing health risks and loss of their quality of life.

Key words: eating disorders – media – diet – body image.

 

1 Coordenadora do Curso de Nutrição Centro Universitário de Barra Mansa (Ubm/RJ).
2 Graduada em Nutrição Centro Universitário de Barra Mansa (Ubm/RJ).

 

Literatura Citada

Pedro MD, Rodrigues LVC, Couri GR, Guimarães M. Transtornos do comportamento alimentar: uma abordagem da compulsão alimentar periódica caracterizada por anormalidade comportamental. Revista Científi ca da FAMINAS. 2007 Jan/Abr;3(1):81.

Faria SP, Shinohar H. Transtornos Alimentares. InterAÇÃO. 1998 Jan/Dez;2:51-73.

Ballone GJ. Transtornos Alimentares. PsiqWeb, Internet, revisto em 2007. Disponível em: <http://www.psiqweb.med.br/>.

Freitas S, Gorenstein C, Appolinário JC. Instrumentos para avaliação dos transtornos alimentares. Rev. bras. psiquiatr. 2002 Dez;24:34-8.

Andrade Â, Bosi MLM. Mídia e subjetividade: impacto no comportamento alimentar feminino. Rev. Nutr. 2003 Jan/Mar;16(1):117-25.

Poulain JP, Proença RPC. O espaço social alimentar: um instrumento para o estudo dos modelos alimentares. Rev. Nutr. 2003 Jul/Set;16(3):245-56.

Serra GMA, Santos EM. Saúde e mídia na construção da obesidade e do corpo perfeito. Ciênc. saúde coletiva. 2003;8(3):691-701.

Fabrício BF. Mulheres emocionalmente descontroladas: identidades genereficadas na mídia comtemporânea. D.E.L.T.A. 2004;20(2):235-63.

Serra GMA. Saúde e nutrição na adolescência: o discurso sobre dietas na revista Capricho [Dissertação]. São Paulo (SP): Mestrado Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; 2001.

Grant CL, Fodor IG. Adolescent attitudes toward body image and anorexic behavior. Adolescence. 1986;21:269-81.

Kaplan KM, Wadden TA. Childhood obesity and self-esteem. J Pediatr. 1986;109:367-70.

Nunes MA, Olinto MTA, Barros FC CARMEY S. Infl uência da percepção do peso e do índice de massa corporal nos comportamentos alimentares anormais. Rev. bras. psiquiatr. 2001;23(1):21-7.

Magnoni D, Cukier C. Perguntas e respostas em nutrição clínica. São Paulo: Roca; 2001.

Fiates GMR, Salles RK. Fatores de risco para o desenvolvimento de distúrbios alimentares: um estudo em universitárias. Rev. Nutr. 2001;14:3-6.

Morgan CM, Vecchiatti IR, Negrão AB. Etiologia dos transtornos alimentares: aspectos biológicos, psicológicos e sócio-culturais. Rev. bras. psiquiatr. 2002;24(3):18-23.

Nunes fi lho EP, Bueno JR, Nardi AE. Psiquiatria e Saúde Mental – Conceitos Clínicos e Terapêuticos Fundamentais. 2ª ed. São Paulo: Atheneu; 2000.

Assunção SSM, Cordás TA, Araújo LASB. Atividade física e transtornos alimentares. Rev. psiquiatr. clín. (São Paulo).2002;29(1):4-13.

Baptista AP, Pandini EV. Distúrbios alimentares em freqüentadores de academia. Revista Digital. Buenos Aires. 2005 Mar; 10(82).

Mcardle WD, Katch FI, Katch VL. Nutrição para o desporto e o exercício. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2001.

Souto S, Ferro-Bucher, JSN. Práticas indiscriminadas de dietas de emagrecimento e o desenvolvimento de transtornos alimentares. Rev. Nutr. 2006 Nov/Dez;19(6):693-704.

Krause MM, Kathleen ML. Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 9ª ed. São Paulo: Roca; 1998.