Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Trabalho, Tecnologia e Lazer na Sociedade Contemporânea

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v20n50p73-84

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Arsênio F. Novaes Netto1, Nelson C. Marcellino2 & Dalila A. Corrêa3

 

Resumo: Este ensaio busca discutir o papel do trabalho diante da lógica destrutiva do capitalismo contemporâneo globalizado. No modo de produção capitalista, o trabalho se organiza de acordo com os interesses e as necessidades do capital, segundo a racionalidade instrumental. As inovações tecnológicas, resultantes das potencialidades humanas, têm avançado a partir das últimas décadas de forma exponencial à custa da dominação e do sofrimento dos trabalhadores mais qualificados, com longas e exaustivas jornadas diárias à disposição da empresa e sacrifício ao convívio familiar. As consequências dessa realidade são ainda mais perversas: a acumulação do capital provoca a desativação de postos de trabalho assalariado, com o aumento do desemprego estrutural; a indução ao consumismo como um dos alicerces para a manutenção da economia; a falsa vinculação entre mercadoria e felicidade. Apesar do fracasso de forças estruturadas de propostas socializantes, continuam as manifestações libertárias de grupos e de pensadores em busca da valorização da identidade do ser humano. O lazer faz parte desse contexto, pois não pode ser entendido de forma isolada, sem relacioná-lo a outras esferas da vida social, em especial o trabalho.

Palavras-chave: trabalho, tecnologia, lazer, sociedade contemporânea.

 

Abstract: This paper aims to discuss the role of work in face of the destructive logic of contemporary global capitalism. The Capitalist mode of production still follows the original formula: work is organized according to the Capital’s interests and needs and the logic of instrumental rationality. In the last decades, technological innovations, resulting from human potentialities, have advanced exponentially, at the expense of the more qualified workers’ domination and suffering, through long and exhaustive working hours and the sacrifice of family life. Nonetheless, the consequences of such reality are even more perverse: if, on the one hand, it allows for the accumulation of capital, on the other hand it causes the deactivation of jobs, thus contributing to the increase in structural unemployment. In addition, there is an induction of consumerism as one of the bases for the maintenance of Economy and the false link between commodities and happiness. Despite the failure of structured forces with socializing ideas, there are still libertarian manifestations by groups and thinkers seeking to value the identity of the human being. Leisure is part of this context, for it cannot be understood in isolation, unrelated to other spheres of social life, especially work.

Key words: work, technology, leisure, contemporary society.

 

1 Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep). arsênio.novaes@gmail.com
2 Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep). bcnarcel@unimep.br
3 Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep). dacorrea@unimep.br

 

Literatura Citada

ADORNO, T.W. Palavras e Sinais. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

ANDERSON, P. Modernidade e Pós-Modernidade. São Paulo: Jorge Zahar Editor, 1999.

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho, 9 ed. São Paulo: Boitempo Editorial, 2007.

AQUINO, T. Suma Teológica. Vol. 3. São Paulo: Loyola, 2003.

ASSMANN, H. e HINKELAMMERT, F. A Idolatria do Mercado. Ensaio sobre Economia e Teologia. São Paulo: Vozes, 1989.

BERMAN, M. Tudo que é sólido desmancha no ar. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BÍBLIA DE ESTUDO ALMEIDA. Sociedade Bíblica do Brasil. Baueri, 1999.

BOSCH, D.J. Transforming Mission. Paradigm Shifts in Theology of Mission, New York: Orbis Books, 1992.

BOTTOMORE, T. (Editor). Dicionário do Pensamento Marxista. Tradução: Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

CHANLAT, J.F. Modos de gestão, saúde e segurança no trabalho. In: DAVEL, E. & VASCONCELOS, J. “Recursos” humanos e subjetividade. Petrópolis: Vozes, 1996.

CHAUÍ, M. Escritos sobre a universidade. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

CLEMENTE, A. C. Um panorama da modernidade: origens, formação e perspectivas, in Impulso. Piracicaba: Editora UNIMEP, 2001. Vol.12, N. 29, 1, p.85-91.

DE GRAZIA, S. Of time, work and leisure. New York: Vintage, 1994.

DE MASI, D. A emoção e a regra. Rio/Brasília: J. Olympio/UNB, 1999a.

DE MASI, D. A sociedade pós-industrial. São Paulo: Senac, 1999b.

DE MASI, D. Desenvolvimento sem trabalho. São Paulo: Esfera, 1999c.

DE MASI, D. O ócio criativo. 3. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2000.

DE MASI, D. A economia do ócio. 2. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2001a.

DE MASI, D. O futuro do trabalho. 6. ed. Rio de Janeiro/Brasília: José Olympio/UNB, 2001b.

DUMAZEDIER, J. Sociologia empírica do lazer. São Paulo: Perspectiva, 1973a.

DUMAZEDIER, J. Lazer e cultura popular. São Paulo: Perspectiva, 1973b.

DUMAZEDIER, J. A revolução cultural do lazer nos centros urbanos. Cadernos de lazer, São Paulo, SESC/Brasiliense, v. 1, p. 43-52, 1977.

DWYER, T. Vida e morte no trabalho. Campinas: Ed. Unicamp; Rio de Janeiro: Ed. Multiação, 2006.

ELIAS, N. Sobre o tempo. Jorge Zahar: Rio de Janeiro, 1998.

ELIAS, N. O processo civilizador: formação do estado e civilização. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993. v. 2.

FERREIRA, M.C. Atividade, categoria central na conceituação de trabalho em ergonomia. Laboratório de Ergonomia. Universidade de Brasília – UnB, 1997.

FISCHER, R.M. Mudança e Transformação organizacional. In: As pessoas na organização. São Paulo: Gente, 2002.

FOURASTIÉ, J. A produtividade. 2. ed. São Paulo: Difusão Européia do livro, 1961.

FOURASTIÉ, J. A grande esperança do século XX. São Paulo: Perspectiva, 1971.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

FROMM, E. Psicanálise da sociedade contemporânea. 7ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1974.

FROMM, E. Análise do Homem. São Paulo: Zahar, 1981.

GIDDENS, A. A modernidade sob um signo negativo: questões ecológicas e políticas da vida. Para além da esquerda e da direita. São Paulo: UNESP, 1997.

HORKHEIMER, M. & ADORNO, T.W. Textos Escolhidos. São Paulo: Nova Cultural,1989, Col. Os Pensadores.

LAFARGUE, P. O direito à preguiça. Lisboa: Estampa, 1970.

LE GOFF, J. História e Memória. Campinas: Editora Unicamp, 1992.

MARCELLINO, N.C. Lazer e trabalho, no cotidiano da sociedade pós industrial, a partir da obra de Domenico De Masi, publicada no Brasil. Licere, Belo Horizonte, volume, n.7, 2004, p.73-85.

MARX, K. O Capital. Vol. 1/1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1971.

MICHELAZZO, J.C. Heidegger e a questão da técnica moderna. In: Fenomenologia e Análise do Existir. São Bernardo do Campo: UMESP, 2000, p. 96-116.

MILLS, W. A nova classe média: white collar. Rio de Janeiro: Zahar, 1969.

POLANYI, K. A grande transformação: as origens da nossa época. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

REALE, G. e ANTISERI, D. História da Filosofia. Vol. 2. Do Humanismo a Kant. Capítulo XIV, item 9. David Hume: O fundamento arracional da moral. São Paulo: Paulinas,1990.

ROUSSEAU, J-J. Discurso sobre as Ciências e as Artes. Vol. II, p.179-214. São Paulo: Ed. Nova Cultural, 1999.

RUSSEL, B. Elogio do Lazer. Rio de Janeiro: Zahar, 1977.

SGUISSARDI, V. e SILVA JÚNIOR, J.R. Trabalho intensificado nas federais: Pós-graduação e produtivismo acadêmico. São Paulo: Xamã Editora, 2009.

VEBLEN, T. A teoria da classe ociosa. São Paulo: Pioneira, 1965.

WEBER, M. Ensaios de Sociologia. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, 1979

WEBER, M. A ética protestante e o espírito capitalista. São Paulo: Cia. das Letras, 2004.

 

Periódicos

LIMA, R. Tragédia na virtude. In: Revista Veja, ed. 2042, p.78, jan./2008.

ONAGA. M. Por que trabalhamos tanto? In: Revista Exame, 20/jan./2006, 59 ed. Ano 40, p.22-19.

PEREIRA, H. É registrado mais um suicídio na Foxconn; quando isso vai acabar? 19/Nov./2010b. <http://macmagazine.com.br/?s=suicídio+foxconn>. Acesso: 19/mar./2011.

PEREIRA, R. Endividados e sem planejamento: uma estatística que preocupa. In: Folha de S. Paulo, Seção Finanças Pessoais, 24/mai./2010a. Acesso:19/set./2010

SARAMAGO, J.E O mundo se transformou numa comédia de enganos. In: Linha Direta, SINEPEs. Ano 3, n° 33, 3/dez./2000, pp. 24-26. Fontes Eletrônicas

DEMO, P. Educação profissional: Desafio da competência humana para trabalhar. Mar/2011. Disponível em: <http://www.projetoe.org.br/tv/prog02/html/ar_02_01.html>. Acesso: 20/abril/2011.

MARCELLINO, N.C. Contribuições de autores clássicos modernos e contemporâneos para os estudos do lazer. Licere, Belo Horizonte, volume 13, n.4, 2010. Disponível em: <http://www.anima.eefd.ufrj.br/licere/pdf/licereV13N04_ar2.pdf>. Acesso em: 20/abril/2011.

VALLE, L. Ética e Trabalho na Sociedade Contemporânea. In: Trabalho Necessário. 3, 2005.<http://www.buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=W08124>. Acesso: 25/abr./2010.