Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Revolução Microeletrônica e a Ressignificação do Vínculo Professor-Aluno

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v20n49p43-52

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Antônio Á. S. Zuin1

 

Resumo: Este artigo tem como objetivo investigar o modo como os alunos expressam sua aversão quanto à profissão de ensinar por meio do controle das novas tecnologias. Parte-se do pressuposto de que os alunos manifestam seu descontentamento de forma inédita. Se antes temiam fazê-lo em sala de aula em virtude de sofrerem algum tipo de retaliação, hoje rompem espetacularmente esse silêncio por meio dos comentários postados nas comunidades virtuais do Orkut ou do site de compartilhamento de vídeos e imagens chamado YouTube. Esse rompimento precisa ser compreendido na sociedade na qual os indivíduos eletronicamente se tornaram publicidade de si mesmos, fato esse que remete à necessidade de se compreender as mudanças históricas ocorridas na relação entre indústria cultural e publicidade. Concluísse que a relação entre professor e aluno adquire novas características de identidade, justamente em decorrência do modo como as novas tecnologias medeiam o chamado vínculo pedagógico de ambos, tanto dentro quanto fora das instituições escolares..

Palavras-chave: indústria cultural, revolução microeletrônica, novas tecnologias, teoria crítica

 

Abstract: The aim of the article is to investigate the way students express their aversion towards teachers through new technologies. It starts from the presumption that students currently manifest their aversion in a way unheard of before. If they would not show it during classes for fear of some type of retaliation, nowadays they pectacularly break the silence through the comments posted in online communities on Orkut or by sharing videos and images in broadcasting website You Tube. This disruption must be understood in a society in which the individuals become electronically publicities of themselves. This fact refers to the need for understanding the historical changes that happened between cultural industry and publicity. We conclude that the teacher-student relationship acquired new characteristics in their respective identities because of the way new technologies mediate the so called pedagogic connection of both in and outside schools.

Key words: cultural industry, microelectronic revolution, new technologies, critical theory

 

1 Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) dazu@ufscar.br

 

Literatura Citada

ADORNO, T. W. “Tabus a respeito do professor”. In: ZUIN, A., PUCCI, B. & RAMOS-DE-OLIVEIRA, N. Adorno: o poder educativo do pensamento crítico. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. p.157-176

ADORNO, T. W.Teoria da Semiformação. In: Pucci, B., Zuin, A. & Lastória, L. Teoria crítica e inconformismo: novas perspectivas de pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2010.

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de janeiro: Jorge Zahar editor, 1986.

ADORNO, T. W.; SIMPSON, G. “Sobre música popular”. In: Cohn, G. (Org.) Theodor W. Adorno, coleção grandes cientistas sociais, São Paulo: editora Ática, 1986. P.115-147

ANÔNIMO. A canção dos Nibelungos. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BRADBURY, R. Fahrenheit 451. Rio de Janeiro: Editora Globo, 2011.

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

FREUD, S. O Mal-Estar na Civilização, Novas Conferências Introdutórias à Psicanálise e outros Textos (930-1936), São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

GIBSON, W. Neuromancer. São Paulo: editora Aleph, 2008.

HELLMANN, K. U. Soziologie der Marke. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 2003.

HUXLEY, A. Admirável mundo novo. Rio de Janeiro: Cia. Brasileira de Divulgação do Livro, 1969.

KAFKA, F. Um médico rural. São Paulo: editora Brasiliense, 1990.

KANT, I. (1996) Sobre a Pedagogia. Piracicaba: editora da Unimep, 1996.

KRACAUER, S. De Caligari a Hitler: uma história psicológica do cinema alemão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar editor, 1988.

MARCUSE, H. A ideologia da sociedade industrial: o homem unidimensional. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1986.

MENCHEN, D. “Aluna é suspensa após postar lições no Facebook”. In: Folha de São Paulo, Caderno Ribeirão, p.11, 14/06/2011.

TÜRCKE, C. Sociedade excitada: filosofia da sensação. Campinas: editora da Unicamp, 2010.