Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Religião e Organizações: Antagonismo Aparente, Proximidade Latente. Uma Reflexão Sobre a Economia de Comunhão

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v19n48p73-84

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Elisabete S. Siqueira1 & Valéria R. E. Spers2

 

Resumo: Durante o século XX, as organizações foram alvo de mudanças significativas tanto do ponto de vista formal quanto simbólico. Sendo consideradas como uma promessa de vida melhor, as empresas frustraram as expectativas da sociedade, expondo seus dirigentes a questionamentos sobre a relevância da atuação social delas. Este artigo propõe uma análise do papel da religião sob a ótica interna das empresas, como amenizadora dos conflitos organizacionais, e em relação à sociedade, como uma forma de oferecer aos indivíduos um quadro de referências valorativas que transcendem a finitude terrestre e estimulam o comprometimento por parte dos dirigentes e de suas organizações com um projeto mais amplo. A análise toma por base o percurso da economia de comunhão e suas relações com as organizações e a sociedade, buscando identificar suas contribuições no sentido de promover mudanças, sobretudo na dimensão valorativa do processo organizacional.

Palavras‑chave: religião – cultura organizacional – simbolismo organizacional.

 

Abstract: During the 20th century, organizations were the target of significant changes, both from the formal and symbolic point of views. As a promise of a better life, they frustrated society’s expectations. Their leaders started being questioned about the relevance of their social actions. This text offers an analysis of role of religion as a soothing agent of organizational conflicts from the perspective of companies, and, as a way of providing individuals with a frame of valorative references that transcend the worldly finitude and promote the commitment of leaders and organizations to a wider project, from the perpective of society. The analysis is based on the course of communion economy and its relationship with organizations and the society, seeking to identify its contributions to changes, mainly in the valorative dimension of the organizational process.

Key words: religion – organizational cu lture – organizational symbolism.

 

1 Universidade Federal Rural do Semi Árido/RN betebop@uol.com.br
2 Universidade Metodista de Piracicaba/SP vrueda@unimep.br

 

Literatura Citada

ARAÚJO, N.G.; CARRETEIRO, T.C. Cenários Sociais e Abordagem Clínica. São Paulo: Escuta, 1992.

BARBOSA, L. Igualdade e Meritocracia: a ética do desempenho nas sociedades modernas. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1999.

CALDAS, M.; WOOD JR., T. “Identidade organizacional”. In: Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 6‑17, jan.‑mar./1997.

CHAUI, M. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 1997.

COSTA, R. et al. Economia da Comunhão. 2. ed. São Paulo: Cidade Nova, 1998.

FREITAS, M.E. de. “Contexto social e imaginário e organizacional moderno”. RAE – Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 40, n. 2, p. 6‑15, abr.‑jun./2000.

GALLAGHER, J. Chiara Lubich: uma mulher e sua obra. Vargem Grande Paulista: Cidade Nova, 1998.

HARVEY, D. Condição Pós‑Moderna. 5. ed. São Paulo: Loyola, 1992.

KOTLER, P. Marketing para organizações que não visam o lucro. São Paulo: Atlas, 1978.

MANZINI‑COVRE, M. “Compreensão da organização: identidade ou identificações?”. In: SPERS, V.R.E. et al. Administração: evolução, desafios e tendências. São Paulo: Cobra, 2001.

MANZINI‑COVRE, M. No Caminho de Hermes e Sherazade: cultura, cidadania e subjetividade. Taubaté: Vogal, 1996.

MARTELLI, S. A Religião na Sociedade Pós‑Moderna: entre secularização e dessecularização. São Paulo: Paulinas, 1995.

MELO NETO, F.P. de; FROES, C. Responsabilidade Social & Cidadania Empresarial: a administração do terceiro setor. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1999.

MENEZES, P. A Crise do Passado. São Paulo: Experimento, 1994.

MORAIS, J.F.R. de. Filosofia da Ciência e da Tecnologia: introdução metodológica e crítica. 5. ed. Campinas: Papirus, 1988.

MORGAN, G. Imagens da Organização. São Paulo: Atlas, 1996.

MORIN, E. Introdução ao Pensamento Complexo. 3. ed. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

MOTTA, P.R. Gestão Contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. 13. ed. Rio de Janeiro: Record, 2002.

RAMOS, A.G. A Nova Ciência das Organizações: uma reconceituação da riqueza das nações. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1981.

SORGI, A. “Economia de comunhão: uma proposta e reflexões para uma cultura da partilha, a cultura do dar”. In: Cadernos Humanidade Nova. São Paulo: Cidade Nova, 1992.

WEBER, M. Ensaios de Sociologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1982.