crosscheckdeposited

A Introdução do Empreendedorismo na Educação Brasileira: Primeiras Considerações

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1043/el.v15n26p77-94

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/index 

downloadpdf

Silvana A. Souza1

 

Resumo: O presente estudo apresenta os resultados de uma pesquisa documental e teórica sobre a introdução do empreendedorismo como componente curricular na educação brasileira. Constata- -se que esse fato vem ocorrendo progressivamente no Brasil, na educação básica e no ensino superior, como tema transversal ao currículo, como formação complementar ou como disciplina obrigatória, em escolas públicas e privadas. Já há, também, iniciativas na esfera do legislativo federal no sentido de que o empreendedorismo torne-se disciplina obrigatória no currículo da educação básica. O fundamento teórico do ensino de empreendedorismo nas escolas é a teoria do capital humano, que instrumentaliza e subordina os processos de formação humana aos interesses imediatos da acumulação, em nome do desenvolvimento econômico e social.

Palavras-chave: Empreendedorismo, pedagogia empreendedora, empreendedorismo e educação.

 

Abstract: This study brings the results of a desk and theoretical research on the introduction of entrepreneurship as a curricular component in Brazilian education. It appears that this fact is occurring progressively in Brazil, both in basic and higher education, as a cross-curricular subject, as additional training or as a compulsory subject in public and private schools. There are also federal initiatives aiming at turning entrepreneurship a compulsory subject in the basic education curriculum. The theoretical foundation of teaching entrepreneurship in schools is the human capital theory, which equips and subordinates the process of human formation to the immediate interests of accumulation, on behalf of economic and social development.

Key words: Entrepreneurship, entrepreneurial pedagogy, entrepreneurship and education

 

1 Doutora em Educação e professora da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

 

Literatura Citada

ACURCIO, M. R. B.; ANDRADE, R. C. O empreendedorismo na escola. Porto Alegre: Artmed, 2005.

BASÍLIO, P. Pequenos empresários: redes pública e particular ensinam empreendedorismo em sala de aula. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. 1-4. Caderno Classificados/Empregos, 27 mai. 2012.

BOURDIEU, P. Contrafogos 2. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional da Educação. Parecer CNE/CEB n.º 13/2010. Brasília, DF. Diário Oficial da União de 6 set. 2010, Seção 1, Edição Extra, p. 3.

BRASIL. Secretaria de assuntos estratégicos da presidência da República. Ipea. Comunicado n.º 75 - Gastos com a política social: alavanca para o crescimento com distribuição de renda. Brasília: Ipea, 2011.

COLÉGIOS ANGLO-AMERICANO. Projetos institucionais. Formando empreendedores. Rio de Janeiro. 2012. Disponível em: <http://www.angloamericano.edu.br/sitephp/beta/colegio/index.php?in=3> Acesso em: 13 jun. 2012.

DOLABELA, F. O segredo de Luísa. Rio de Janeiro: Sextante, 2008.

DOLABELA, F. Oficina do empreendedor. São Paulo: Cultura, 1999.

DOLABELA, F. Oficina do empreendedor: ensino universitário de empreendedorismo. Belo Horizonte, 2012a. Disponível em: <http://fernandodolabela.wordpress.com/servicos-oferecidos/oficina-do-empreendedor/>. Acesso em: 25 mai. 2012.

DOLABELA, F. Pedagogia empreendedora. São Paulo: Cultura, 2003.

DOLABELA, F. Pedagogia empreendedora: ensino de empreendedorismo na educação básica. 2012b. Disponível em: <http://fernandodolabela.wordpress.com/servicos-oferecidos/pedagogia-empreendedora/>. Acesso em: 25 mai. 2012.

DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo na prática: mitos e verdades do empreendedor de sucesso. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

DORNELAS, J. C. A. Jogo dupla empreendedora. São Paulo. 2012. Disponível em: <http://www.josedornelas.com.br/jogo-dupla-empreendedora/> Acesso em: 25 mai. 2012.

DRUCKER, P. Inovação e espírito empreendedor. São Paulo: Pioneira, 1986.

EICHENBERG, F. Entrevista concedida por Christian Laval: A escola não é uma empresa. Sinapse Folha on-line. 24/06/2003. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/sinapse/ult1063u463.shtml> Acesso em: 10 abr. 2012.

FRAZINI, D. Q.; SELA, V. M.; SELA, F. E. R. Ensino do empreendedorismo na educação básica: estudo da metodologia “Pedagogia empreendedora” de Fernando Dolabela. In: PREVIDELLI, J. J.; SELA, V. M. (Orgs.). Empreendedorismo e educação empreendedora. Maringá: Unicorpore, 2006.

JUNIOR ACHIEVEMENT-BRASIL. A Junior Achievement. Institucional. Porto Alegre, 2012. Disponível em: <http://www.jabrasil.org.br/ja/index.php?option=com_content&id=3507&&task=view&Itemid=76&menu_pai=73> Acesso em: 6 jun. 2012.

MARX, K. O capital. 15. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996. v. 1.

MINTO, L. W. Verbete: teoria do capital humano. Campinas. 2006. Disponível em: <http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/glossario/verb_c_teoria_%20do_capital_humano.htm>. Acesso em: 3 jun. 2012.

PARO, V. H. Parem de preparar para o trabalho!!! Reflexões acerca dos efeitos do neoliberalismo sobre a gestão e o papel da escola básica. In: PARO, V. H. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã, 2001.

PREVIDELLI, J. J.; SELA, V. M. (Org.). Empreendedorismo e educação empreendedora. Maringá: Unicorpore, 2006.

SCHULTZ, T. W. O valor econômico da educação. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

UNIVERSIA. Projeto oferece MBA para 4.4 mil gestores de escolas estaduais. 2012. Disponível em: <http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2012/04/10/922439/projeto-oferece-mba-4-4-mil-gestores-escolas-estaduais.html>. Acesso em: 25 mai. 2012.