Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Educação, Formação Docente e Representações Sociais

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1043/el.v13n22p217-237

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/index 

downloadpdf

Marília C. G. Duran1

 

Resumo: O estudo baseado na teoria fundada por Serge Moscovici (1961/1976) articula-se com o Projeto “Representações Sociais do Trabalho Docente”, coordenado pelo CIERS-Ed/FCC, trazendo, parcialmente, resultados desenvolvidos durante o estágio pós-doutoral da autora. O interesse da pesquisa consistiu no exame de representações sociais sobre a profissão docente, evocadas por estudantes de cursos de formação inicial de professores – professores em formação –, com o objetivo de problematizar as ideias que podem estar circulando no universo consensual de tais cursos, com o entendimento de que a escolha da carreira docente ocorreu num passado recente, podendo revelar uma adesão descomprometida à atividade docente ou identificar-se com uma escolha deliberada, associada ao mundo do trabalho. A discussão se organizou com a utilização do software Alceste, conjugada com a análise clássica de conteúdo, com respostas sobre a opinião da família, dos amigos e do próprio estudante a respeito da escolha profissional, pelo grau de popularização ou de aceitação da escolha profissional e pelo grau de resistência a tal escolha. A terceira fase da pesquisa consistiu no desenvolvimento de entrevistas, com questões abertas, orientando a construção das trajetórias vividas pelos sujeitos da formação no curso de Pedagogia, na perspectiva de compreender como vão sendo construídas representações sobre o trabalho docente e sobre os cursos que formam professores, em contextos de “Cursos que formam professores”. É nessa direção que se evidencia, mais fortemente, a contribuição deste artigo. Foram entrevistados dez alunos do último semestre do curso de Pedagogia da instituição em que se desenvolveu a pesquisa.

Palavras-chave: Cursos que formam professores – Representações sociais – Função de resistência

 

Abstract: The present study, which is based in Sege Moscovici’s (1961/1976) theory, is articulated with the “Social representations in the Teacher’s work” Project, coordinated by CIERS-Ed/FCC. The partial results were developed during the author’s post-doctoral stage. The research focused on the social representations of the teaching profession, raised by students in the initial courses of the teacher education – teacher training – in order to discuss ideas that may be circulating in the consensual universe of such courses, with the understanding that the option for the teaching career occurred in the recent past, perhaps revealing an uncompromised adherence to the teaching profession or the identification with a deliberate choice linked to the world of work. The discussion wasorganized using the Alceste software, combined with the classicalanalysis of content, with the family, the friends and the student’s answers about the career choice, the career’s degree of popularity or acceptance, and the degree of resistance to it. The third phase of the research was the development of openquestion interviews, guiding the construction of the subjects’ trajectories in the Pedagogy course, in order to understand how representations are being built on the teachers’ work and on the teacher training courses. This is where this paper’s contribution is more evident. The ten students interviewed belonged to the last semester of the Pedagogy course in the institution where the research was performed.

Key words: Teacher training courses – social representations – Resistence function

 

1 Mestre e Doutora em Educação (Psicologia da Educação) pela PUC/SP. Profª Titular da Universidade Metodista de São Paulo. Docente pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado). Cnpq-Universal

 

Literatura Citada

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1995.

BAUER, Martin. A popularização da ciência como “imunização cultural”: a função da resistência das representações sociais. In: GUARESCHI, Pedrinho & JOVCHELOVITCH, Sandra (orgs.). Textos em representações sociais. 9. Ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Lisboa, DIFEL, 1989.

CUNHA, Maria Izabel & LEITE, D. Estruturas de poder e decisões pedagógicas na universidade. Campinas: Papirus, 1996.

DURAN, Marília Claret Geraes. Representações Sociais de professores em formação sobre profissão docente. In: SOUSA, Clarilza Prado de; PARDAL, Luiz Antonio; VILLAS BOAS, Lucia P.S.(orgs.). Representações Sociais sobre o trabalho docente. Portugal: Universidade de Aveiro, abr. 2009.

DURAN, Marília Claret Geraes. Ser Professor Universitário: Entre saberes, relatos autobiográficos e percursos de formação. In: PASSEGGI, M. da C.;

BARBOSA, T. M. N. (orgs). Narrativas de formação e saberes biográficos. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008. P.141-156.

BARBOSA, T. M. N. (orgs). Narrativas de educadores: como são vividos os contextos escolares. Múltiplas Leituras. V1, p.1 – 12, 2008. (Portal de Publicações on line) http://www.metodista.br/ppc/multiplas-leituras/multiplas-leituras-01/narrativas-deeducadores-como-sao-vividos-os-contextos-escolares/

FERNANDES, Ana Lúcia Cunha. Resenha do livro Manifesto a favor dos pedagogos de Houssaye, Jean; Soetard, Michel; Hameline, Daniel E Fabre,Michel. Porto Alegre: Artmed Editora. 120p. 2004 (resenhado em 2006).

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise de conteúdo. Brasília: Plano Editora, 2003.

IALAGO, Ana Maria; DURAN, Marilia Claret G. Formação de professores de inglês no Brasil. Revista Diálogo Educacional (PUCPR). V.8, p. 55-70, 2008.

JODELET, Denise. Representaciones sociais. Trad. Lucy Magalhães. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

JODELET, Denise. Loucuras e representações sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

JODELET, Denise. Les représentations sociales: un domaine en expansion. Paris: PUF, 1989.

MACHADO, Laêda Bezerra. Representações sociais, educação e formação docente: tendências e pesquisas na IV Jornada Internacional. Educação em foco. Recife. P.1-10, 2008.

MARKOVÁ, Ana. Dialogicidade e representações sociais: as dinâmicas da mente. Petropolis, RJ: Vozes, 2006.

MOSCOVICI, Serge. Introducción. In: MOSCOVICI, Serge. Psicologia Social, I: influencia y cambio deactitudes; individuo y grupos. Barcelona, Buenos Aires, México: Ediciones Paidós, 1991 (p.17-37).

MOSCOVICI, Serge. A representação social da Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigação em psicología social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003. (Diálogo entre Serge Moscovici e Ivana Marková).

PIMENTA, Selma Garrido. Apresentação à edição brasileira. In: CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002, p. 11-27.

SAMPAIO, Maria das Merces Ferreira; MARIN, Alda Junqueira. Precarização do trabalho docente e seus efeitos sobre as práticas curriculares. Educação & Sociedade. Campinas, v. 25, n.89, p.1203-1225, set.-dez, 2004.

SPINK, Mary Jane (org.). O conhecimento no cotidiano: As representações sociais na perspectiva da psicologia social. São Paulo: Brasiliense, 2004.

VALLE, Ione Ribeiro. Carreira do magistério: uma escolha profissional ou deliberada? Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.87, n.176- 187, mai/ago. 2006/7.