Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Professoras Sergipanas e o Modelo Presbiteriano de Educação Feminina no Brasil Tropical

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1043/el.v11n18p67-83

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/index 

downloadpdf

Ester F. V. B. C. Nascimento1

 

Resumo: Este texto analisa o processo de formação de professoras sergipanas no Instituto Ponte Nova, no período de 1906, ano de sua fundação, a 1937, ano em que sofreu modificações administrativas. Partindo de documentos do Instituto Ponte Nova, de depoimentos, de livros autobiográficos escritos por ex-alunos do colégio e de documentos da Missão Central do Brasil, foi possível reconstruir a trajetória de algumas sergipanas que se tornaram professoras e fizeram de sua profissão a missão de suas vidas. O repertório de suas memórias expressa suas experiências, as quais são reveladoras de seu grupo, da vida social de seu tempo, sendo possível trabalhar com as representações que elas fizeram de si mesmas, de suas práticas, das práticas de outros agentes, da escola e dos processos que as constituíam. Na perspectiva da Nova História Cultural e da História da Educação, este trabalho tem como recorte teóricometodológico Max Weber (2004), Norbert Elias (1993), Roger Chartier (1990), Denice Catani (1997), Nascimento (2007), os quais oferecem categorias de análise como cultura, cadernos escolares, representação, docência, gênero e projeto educacional presbiteriano norte-americano.

Palavras-chave: Educação feminina – Educação presbiteriana – Professoras sergipanas

 

Abstract: This text analyses the training process for female teachers from Sergipe at Instituto Ponte Nova, from 1906, year of its foundation, to 1937, when it underwent administrative changes. Through documents from the Instituto Ponte Nova, testimonials, autobiographical works written by its former students and documents from Brazil Central Mission, it was possible to rebuild the trajectories of some women from Sergipe who became teachers and made their profession the mission of their lives. The repertoire of their memories expresses their experiences, which reveal their group’s profile, the social life at that time. Therefore, it is possible for the researcher to work with the representations those female teachers made of themselves, their teaching practices, other professionals’ practices, the school and from the processes that were part of them. Written in the perspective of the New Cultural History and the History of Education, this work has as its theoretical and methodological cut Max Weber (2004), Norbert Elias (1993), Roger Chartier (1990), Denice Catani (1997), Nascimento (2007), who offer analysis categories such as culture, school books, representation, teaching, gender, and North American Presbyterian educational project.

Key words: Women’s education – Presbyterian education – Female teachers from Sergipe

 

1 Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Coordena o Núcleo de Pós-Graduação em Educação da Universidade Tiradentes. É líder do Grupo de Pesquisa Histórica das Práticas Educacionais/Unit. É membro do Grupo de Estudos e Pesquisas de História da Educação/UFS e do Grupo de Ciências da Religião/UFS. E-mail: ester.fraga@uol.com.br.

 

Literatura Citada

CENTRAL BRAZIL MISSION. Minutes of the Meetings of the Central Brazil Mission, 1897-1938. Aracaju, Acervo particular da Autora, 2001.

CATANI, Denice et alli. Docência, memória e gênero: estudos sobre formação. São Paulo: Escrituras, 1997.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1990.

DANTAS, Olda. Depoimento escrito em dezembro de 2004. Simão Dias, SE.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

FREITAS, Anamaria G. B. de. Vestidas de azul e branco: um estudo sobre as representações de ex-normalistas (1920-1950). São Cristóvão: Grupo de Estudos em História da Educação/NPGED/UFS, 2003.

GALVÃO, Sancha dos Santos. Saudosas memórias; memórias da vida de uma professora evangélica no sertão. Rio de Janeiro: Swedenborg, 1993.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

HILSDORF [BARBANTI], Maria Lúcia Spedo. Escolas americanas de confissão protestante na Província de São Paulo: um estudo de suas origens. São Paulo: USP/Faculdade de Educação, 1977. Dissertação de mestrado.

LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na sala de aula. In: DEL PRIORE, Mary (org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 1997. p. 443-481.

O PURITANO, São Paulo: Arquivo Histórico Presbiteriano, 1907.

NASCIMENTO, Ester Fraga Vilas-Bôas Carvalho do. Educar, curar, salvar. Uma ilha de civilização no Brasil tropical. Maceió/Aracaju: Edufal/Unit, 2007.

NASCIMENTO, Os missionários da educação e o Instituto Ponte Nova. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, n. 5, p. 111-126, 1º sem. 2005.

NASCIMENTO, A escola americana; origens da educação protestante em Sergipe (1886-1913). São Cristóvão: Grupo de Estudos e Pesquisas em História da Educação/ NPGED/UFS, 2004.

NUNES, Clarice & CARVALHO, Marta Maria Chagas de. Historiografia da educação e fontes. Cadernos ANPED, Belo Horizonte, n. 5, p. 7-64, 1993.

REVISTA DAS MISSÕES NACIONAIS, Arquivo Histórico Presbiteriano, São Paulo, 1911.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

 

Entrevistas

ALMEIDA, Belamy M. de. 2004. Entrevista concedida à autora em Salvador, 19 de agosto de 2004.

VALVERDE, Ana Shirley Chagas. Entrevista concedida à autora em Aracaju, 7 de outubro de 2004.