Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

As Ciências Sociais e a Filosofia1

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1043/el.v10n16p19-36

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/index 

downloadpdf

Pierre Bourdieu

 

Resumo: Tomando a Filosofia e sua história por objeto, a Sociologia pode oferecer uma contribuição ao esforço desta disciplina para se liberar dos limites que a determinam. A Filosofia tende a solucionar a antinomia da historicidade e da verdade procedendo, por meio do comentário, a uma atualização das obras passadas, o que supõe uma negação mais ou menos completa da historicidade. As três maneiras de tratar explicitamente esta antinomia – a revelação originária (Heidegger), a construção retrospectiva das filosofias passadas como possibilidades teóricas (Kant) e a dialética que ultrapassa e conserva (Hegel) – têm em comum a recusa da história. Uma verdadeira história social, que recolocasse a Filosofia no campo da produção cultural e no campo social em seu conjunto, permitiria compreender as filosofias e sua sucessão para além da “filosofia filosofante da história”, ao mesmo tempo em que permitiria aos filósofos do presente liberar-se do impensado instituído que está inscrito em sua herança.

Palavras-chave: Filosofia e Ciências Sociais; história social da Filosofia; campo de produção cultural

 

Abstract: By taking Philosophy and its history as object, Sociology can contribute to the efforts of Philosophy to free itself from the constraints that determine it. Philosophy tends to resolve the antinomy of historicity and truth by updating past Works through commentary. This presupposes more or less complete denial of historicity. Such refusal is common to the three waysof explicitly dealing with such antinomy: the primal revelation (Heidegger), the retrospective construction of past philosophies as theoretical possibilities (Kant), and the Dialectics which transcends and conserves (Hegel). A genuine social history that relocated philosophy in the field of cultural production and in the social field as a whole would make it possible to understand philosophies and their succession as something other than the “philosophizing philosophy of history” and, at the same time, would enable present-day philosophers to free themselves from the established “un-thought” inscribed into their heritage.

Key words: Philosophy and Social Sciences; social history of philosophy; field of cultural production

 

1 “Les sciences sociales et la philosophie”, publicado originalmente in Actes de la Recherche en Sciences Sociales, 47-48: 45-52, jun. 1983. Tradução de José Luiz Fiorin. Revisão de Ana Paula Hey e Afrânio Mendes Catani. Revisão técnica de José Carlos Durand.