Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Trabalho do Professor Formador e o Contexto Institucional: Desafios e Contribuições para o Debate

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1043/el.v10n15p99-116

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/index 

downloadpdf

Laurizete F. Passos1

 

Resumo: Trazer questões que têm provocado a olhar para o trabalho dos professores que atuam nos cursos de Licenciatura e formam outros professores, a partir de eixos de análise pouco explorados, como as questões institucionais e as condições de trabalho desses professores é objetivo deste artigo. Tomaram-se como inspiração as constatações decorrentes de algumas revisões e análises sobre o estado do conhecimento no campo da formação dos professores que têm sido realizadas nos últimos anos. No âmbito dessas temáticas, o segmento mais ausente nos levantamentos refere-se aos docentes do ensino superior. Os estudos sobre a compreensão que têm sobre seu trabalho, sobre seus alunos e sobre as instituições onde trabalham têm sido escassos. Nesse contexto, entende-se que essa voz pouco presente nas pesquisas deve ser trazida e analisada, pois é parte decisiva na compreensão que se almeja sobre o trabalho desses professores: ouvir e dar a voz ao professor deve ser parte decisiva na construção de pesquisas sobre a temática.

Palavras-chave: cursos de licenciatura; trabalho do professor; condições de trabalho; docentes do ensino superior; formação de professores

 

Abstract: To bring questions that have called the attention to the teachers which work in the college graduation and graduate other teachers, from the analysis of a little explored axis, as the institutional questions and the work conditions of those teachers is the aim of this article. The inspiration was the findings about some reviews and analysis about the state of knowledge in the qualification of teachers area that has been done in the last few years. In the ambit of these themes, the segment less absent in the surveys refer to the teachers of Universities or Colleges. The studies about comprehension that they have about their work, about their students and about the institution where they work have been very meagre. In this context we shall understand that this voice a little present in researches, should be brought and analyzed, because this is a decisive part in the comprehension that we aim about the work of those teachers: to listen and to give voice to the teacher should be a decisive part in the formulation of research about this theme.

Key words: university graduation course; teacher’s work; conditions of work; university and college teachers; qualification of teachers

 

1 Professora da PUC de São Paulo – Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática e professora aposentada da Unesp de Rio Claro.

 

Literatura Citada

ANDRÉ, M.; ROMANOWSKI, J. O tema Formação de Professores nas dissertações e teses.In: ANDRÉ, M. Formação de Professores no Brasil (1990-1998). Brasília: MEC/ Inep/Comped, 2002.

BRZEZINSKI, I.; GARRIDO, E. Análise dos trabalhos do GT Formação de Professores: o que revelam as pesquisas do período 1992-1998. In: Revista Brasileira de Educação. Campinas: Autores Associados, n. 18, 2001.

CARVALHO, J.M.; SIMÕES, R. H. Formação inicial de professores: uma análise dos artigos publicados em periódicos nacionais. In: ANDRÉ, M. Formação de Professores no Brasil (1990-1998). Brasília:MEC/ Inep/Comped, 2002.

ANTUNES, R. (org.). A Dialética do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

BOSI, A.P. A precarização do Trabalho Docente no Brasil: novas e velhas formas de dominação capitalista (1980-2005). Revista Universidade e Sociedade, n. 38, jun/2006

BALL, STEPHEN. Profissionalismo, Gerencialismo e Performatividade. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 126, p 539-564, set/dez, 2005.

CORREIA, J. A.; MATTOS, M. Do poder à autoridade dos professores: o impcto da globalização na descontrução da profissionalidade. In: VEIGA, I. P. A.; CUNHA, M.I. Desmitificando a profissionalização do magistério. Campinas: Papirus, 2002.

CUNHA, Maria Isabel. Formatos avaliativos e concepção de docência Campinas: Autores Associados, 2006.

DIAS-DA-SILVA, MUZZETI, H. F. Política de formação de professores no Brasil: as ciladas da reestruturação das licenciaturas. Perspectiva. Florianópolis, v. 23, n. 2, jul/dez. 2005.

DIAS-DA-SILVA, MUZZETI, H. F. Licenciaturas Light – resultados das lutas concorrenciais no campo universitário? Contexto e Educação. Ijuí, v.1, n.1, jan/jun. 2006.

ESTEVE, J. M. O mal-estar docente – a sala de aula e a saúde dos professores. Santa Catarina: Edusc, 1999.

EVANGELISTA, O.; SHIROMA, E. Profisssionalização – da palavra à política. In: Formação de professores – perspectivas educacionais e curriculares. Porto: Porto, 2003.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional – formar-se para a mudança e incerteza. Coleção questões da nossa época, v. 77. São Paulo: Cortez, 2000.

KUENZER, A.Z. As políticas de formação: a constituição da identidade do professor sobrante. Educação e Sociedade. Campinas, ano XX, n. 68, dez. 1999.

LUDKE, M. Avaliação institucional: formação de docente pra o ensino fundamental e médio (as licenciaturas). Cadernos Crub, v.1,n.4, Brasília, 1994.

LUDKE, M; BOEING, L.A. Caminhos da profissão e da profissionalidade docentes. Educação e Sociedade. Campinas, v. 25, n. 89, p. 1159-1180, 2004.

MAUÉS. O. C. A Reforma da Educação Superior e o Trabalho Docente. Congresso Redestrado. Rio de Janeiro, 2006. CD-ROM.

MIZUKAMI, M.G.N. Aprendizagem da docência: professores formadores. Revista E-Curriculum. São Paulo, v. 1, n. 1. dez-jul, 2005-2006.

PEREIRA, J.E.D. Formação de professor: pesquisas, representações e poder. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

PÈREZ GÒMES, A.I. A cultura escolar na sociedade neo-liberal. Porto Alegre:Artmed, 2001.

PASSOS, L.F.; LIMA, E. F. Formação de Professores no Brasil: análise das pesquisas apresentadas no Grupo de Trabalho Formação de Professores da ANPED. XIV Colóquio Afirse – Lisboa, 16 a 18 fev. 2006 (mimeo).

ROLDÃO, M.C. Função docente – natureza e construção do conhecimento profissional. Caxambu:Anped, 2006 (mimeo).

SACRISTÁN, J.G. Consciência e ação sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, A. Profissão Professor. Portugal: Porto, 1991.

SAMPAIO, M. M; MARIN, A. A precarização do trabalho docente e seus efeitos sobre as práticas curriculares. Educação e Sociedade. Campinas, v. 25, n. 89, p. 1203-1226, 2004.

SILVA JÚNIOR, J. R.; SGUISSARDI, V. A nova lei de educação superior: fortalecimento do setor público e regulação do privado/mercantil ou continuidade da privatização e mercantilização do público? Revista Brasileira de Educação. Campinas, n. 29, p.5-27, jul-ago, 2005.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARDIF, M. Trabalho docente – elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes, 2005.

TORRES, R.M. Que (e como) é necessário aprender? Campins: Papirus, 1995.

VENTORIM, S. A formação do professor pesquisador na produção científica dos Encontros Nacionais de Didática e Prática de Ensino: 1994-2000. MG: UFES. (mimeo).