Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Comunicação e Branding: Reflexões e Desafios para o Marketing Educacional

DOI: http://dx.doi.org/10.15599/0104-4834/cogeime.v19n37p21-31

https://www.redemetodista.edu.br/revistas/revistas-cogeime/index.php/COGEIME/index 

downloadpdf

Ana C. B. Endo1

 

Resumo: Pensar a comunicação como função estratégica tem sido uma mudança crucial na concepção de algumas organizações, até mesmo para garantir sua sobrevivência. Com isso em vista, o presente artigo enfoca o trabalho de algumas instituições de ensino que já criaram um sistema de inteligência a partir de pesquisas de mercado como forma de conhecer melhor a concorrência e preparar estratégias para atuar nesse cenário, aumentando a eficiência na dinâmica de negócios, agregando valor, expandindo a marca e influenciando no posicionamento institucional. Para tanto, discorre sobre os diversos atores e públicos da instituição. Por fim, discute o conceito de branding e aborda o caso do Instituto Mackenzie e seu “Mackenzie Day”, evento que permite a abertura do campus para mostrar sua estrutura universitária.

Palavras-chave: Branding, marca, instituições de ensino

 

Abstract: Thinking of communication as a strategic function has been a crucial change in the design of some organizations, even to ensure their survival. With that in mind, the present paper focuses on the work of some educational institutions that have already created an intelligence system based on market research as a way to get to know their competitors better and prepare strategies to act in this scenario, increasing efficiency in the business dynamics, adding value, expanding the brand, and influencing the institution’s position in the market. To this end, it focuses on the institution’s various actors and audiences. Finally it discusses the concept of branding and approaches the case of Mackenzie Institute and its “Mackenzie Day”, when the campus is opened to show the university’s structure.

Key words: Branding, brand, educational institutions

 

1 É jornalista, com especialização em Marketing e mestrado em Comunicação Integrada pela Universidade Metodista de São Paulo. É docente convidada do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu da PUC-SP e da Metodista. Atua há 12 anos com marketing educacional e, atualmente, responde pela Gerência de Marketing e Relacionamento do Instituto Presbiteriano Mackenzie. E-mail: ana.endo@mackenzie.br

 

Literatura Citada

BALDISSERA, R. Estratégia, comunicação e relações públicas. Intercom, 2001.

BARICHELLO, E. Comunicação e comunidade do saber. Santa Maria: Palotti, 2001.

BUENO, W. C. Comunicação e gestão empresarial: cenários contemporâneos. Communicare, São Paulo, Faculdade Cásper Líbero / Paulus, 1o sem. 2002.

BUENO, W. C. Uma cultura de comunicação para a universidade brasileira. Disponível em: <http://www.comtexto.com.br/>. Acesso em: 1º jul. 2011.

BUENO, W. C. Comunicação Empresarial: teoria e pesquisa. São Paulo: Manole, 2003.

COBRA, M; BRAGA; R. Marketing educacional: ferramentas de gestão para instituições de ensino. São Paulo: Cobra, 2004.

CORRADO, F. M. A força da comunicação. São Paulo: Makron Books, 1994.

CURVELLO, João José Azevedo. Legitimação das assessorias de comunicação nas organizações. Duarte, Jorge et al. Assessoria de Imprensa e relacionamento com a mídia. São Paulo: Atlas, 2002.

DAMANTE, N.; NASSAR, P. Gerando comunicação excelente. 2003. Disponível em <http://www.portal-rp.com.br/bibliotecavirual/relacoespublicas/0082.htm/>. Acesso em: DUARTE, J. (Org.). Assessoria de imprensa e relacionamento com a mídia: teoria e técnica. São Paulo: Atlas, 2002.

ENDO, A. C. B. As marcas de uma universidade comunitária na comunicação integrada: a Unisinos. 2005. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo.

ENDO, A. C. B. A gestão da comunicação integrada em instituições de ensino confessionais sem fins lucrativos. Revista de Educação do Cogeime, São Paulo, Ano 12, n. 23, 2003.

FRANÇA, F. Públicos: como identificá-los em uma nova visão estratégica. São Caetano do Sul: Difusão, 2004.

GOMES, P. Rico aceita melhor publicidade em escola. Folha de S. Paulo, Cotidiano, C4, 23 mai. 2011.

GONSALES, F. I. Branding e cultura: antigos modelos e novas perspectivas de diálogo. 2009. Monografia (Pós-Graduação lato sensu em Gestão de Projetos Culturais e Organização de Eventos) - Cellacc, USP.

GUIMARÃES, R. Branding e essência de marca. Meio & Mensagem. Opinião. 30 mai. 2011.

KOTLER, P.; ARMSTRONG, G. Princípios de marketing. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

KOTLER, P.; FOX, K. Marketing estratégico para instituições educacionais. São Paulo: Atlas, 1994.

KUNSCH, M. Planejamento de relações públicas na comunicação integrada. São Paulo: Summus, 2003.

KUNSCH, M. Relações públicas e modernidade: novos paradigmas na comunicação organizacional. São Paulo: Summus, 1997.

LINDEBORG, Richard.“Excellent Communication”. In: Public Relations Quarterly, nº 39, Spring 1994.

MIHAILIDIS, B.; POMARO, J. C. O revestimento dos produtos: marca e embalagem. In: YANAZE, M. Gestão de marketing e comunicação: avanços e aplicações. São Paulo: Saraiva, 2010.

RABAÇA, C. A. e BARBOSA, G. Dicionário de Comunicação. São Paulo: Ed. Campus, 2001.

REIS, M. C. S. Comunicação e mudança organizacional: uma interlocução instrumental e constitutiva. Organicom, ano 1, n. 1, ago. 2004. Disponível em: <http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/organicom/article/viewFile/5715/5173>. Acesso em: jul. 2011.

SANTOMAURO, A. C. Música digital como estratégica de comunicação. Proxxima, 23 mai. 2011.

TAVARES, M. C. A força da marca: como construir e manter marcas fortes. São Paulo: Harbra, 1998.

THAYER, L. Comunicação: fundamentos e sistemas na organização, na administração, nas relações interpessoais. Trad. Esdras do Nascimento e Sônia Coutinho. São Paulo: Atlas, 1976.