Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Importância da Abordagem Precoce no Tratamento Odontológico de Pacientes com Necessidades Especiais

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1000/odonto.v19n38p45-51

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/O1/index 

downloadpdf

Ana L. B. M. de Oliveira1 & Elisa M. A. Giro2

 

Resumo: Introdução: os pacientes portadores de necessidades especiais requerem um tratamento odontológico diferenciado devido às limitações determinadas por sua deficiência. A qualidade da higiene bucal está relacionada ao quadro clínico do paciente, tendo os indivíduos com problemas de motricidade e inteligência, a higiene bucal comprometida. Objetivo: realizar uma revisão da literatura a respeito da importância da abordagem precoce no tratamento odontológico de pacientes com necessidades especiais. Metodologia: a revisão de literatura foi realizada por meio de levantamento bibliográfico no Pubmed e Bireme. Estudos epidemiológicos da condição de cárie e doenças gengivais de pacientes com necessidades especiais demonstram índice de cárie e problemas periodontais elevados. Desse modo, é importante que haja profissionais capacitados e abordagem multidisciplinar adequada, para suprir as barreiras impostas durante o seu atendimento, como a ansiedade dos pais, problemas sistêmicos, discriminação, entre outras. Conclusão: a busca por auxílio, o mais cedo possível, resulta em maior cooperação frente ao tratamento odontológico, e na aquisição de cuidados que se perpetuam por toda a vida do paciente. Um programa de promoção de saúde bucal voltado especificamente a esses pacientes, envolvendo orientações de higiene bucal, dieta, controle de placa, motivação e interação dos pacientes com o profissional, a família e a sociedade, mostra-se como o melhor caminho.

Palavras-chave: Odontologia; Prevenção e Controle; Saúde Bucal.

 

Abstract: Introduction: the patients with specials necessities need a singular dentistry treatment because they have limitations due to theirs deficiency. The quality of oral health is related to the clinical situation of patient. The individuals with motor and understanding problems have poor oral health. Aim: this study aimed to review the literature about the importance of the early dentistry treatment of pacients with specials necessities. Methodology: the review of literature was made through the Pubmed and Bireme. Studies about dental caries and periodontal disease of patients with specials necessities had shown high index of caries and periodontal disease. Therefore it is important that there are capacity professionals and multidisciplinary treatment. It is necessary to supply the dificulties of treatment like anxiety of parents, systemic problems and discrimination. Conclusion: the early treatment results in good coperation during the treatment, and the aquisition of cares for all life. The best way is a program of oral health with instructions about diet, oral hygiene, control of bacterials, motivation and interaction between patients and professionals.

Key words: Dentistry; Prevention & Control; Oral Health.

 

1 CD, Me, Pós-graduanda do Departamento de Clínica Infantil, Faculdade de Odontologia de Araraquara, UNESP, Araraquara, SP, Brasil.
2 CD, Me, Dr, Professora Assistente, Departamento de Clinica Infantil, Faculdade de Odontologia de Araraquara, UNESP, Araraquara, SP, Brasil.

 

Literatura Citada

1. Mugayar LRF. Pacientes portadores de necessidades especiais. 1. ed. São Paulo: Pancast; 2000.

2. Resende VLS, Castilho LS, Souza ECV, Jorge WV. Atendimento odontológico a pacientes com necessidades especiais. In: 8º Encontro de Extensão da UFMG: 2005 Belo Horizonte. Anais do 8º Encontro de Extensão da UFMG; 2005. p. 1-6.

3. Guedes-Pinto AC. Odontopediatria. 1. ed. São Paulo: Editora Santos; 1988

4. Toledo AO, Bezerra ACB. Odontologia preventiva para excepcionais. In: Fourniol Filho A. Pacientes especiais e a Odontologia. 1. ed. São Paulo: Santos; 1998. p. 423-32.

5. Schmidt MG. Pacientes especiais: portadores de deficiências neuropsicomotoras. In: Corrêa MSNP. Odontopediatria na primeira infância. 1. ed. São Paulo: Santos; 2001. p. 645-63.

6. Sampaio EF, César FN, Martins MGA. Perfil odontológico dos pacientes portadores de necessidades especiais atendidos no Instituto de Previdência do Estado do Ceará. Rev Bras Prom Saúde 2004; 17(3): 127-34. https://doi.org/10.5020/18061230.2004.p127

7. Gupta DP, Chowdhury R, Sarkar S. Prevalence of dental caries in handicapped childrens of Calcutta. J Indian Soc Pedod Prev Dent 1993; 11(1): 23-7.

8. Zarzar PMPA, Rosenblatt A. A beneficência e a atenção odontológica às crianças portadoras da síndrome de Down na cidade de Recife. Arq Odontol 1999; 35(1/2): 39-49.

9. Duailibi SE, Duailibi MT. Odontologia para pacientes especiais- Uma nova visão sobre conceito e classificação em pacientes especiais. Rev Paul Odontol 1998; 20(2): 28-33.

10. Cançado Figueiredo M, Carvalho e Silva SR, Preto Guimarães F, Araújo VP. Perfil de pacientes con necesidades especiales. Bol Asoc Argent Odontol Ninos 2003; 32(1): 8-11

11. Novaes MSP. Atenção odontológica integral a deficientes auditivos: uma proposta [Tese de Doutorado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia de da USP; 1997.

12. Abreu MHNG, Castilho LS, Resende VL. Assistência odontológica a indivíduos portadores de deficiências: o caso da Associação Mineira de Reabilitação e Escola Estadual João Moreira Salles. Arq Odontol 2001; 37(2): 153-61.

13. Abreu MHNG, Paixão HH, Resende VLS. Controle de placa bacteriana em portadores de deficiências físicas: avaliação de pais e responsáveis. Arq Odontol 1999; 35(1/2): 27-37.

14. Tomita NE, Fagote BF. Programa educativo em saúde bucal para pacientes especiais. Odontol Sociedade 1999, 1(1/2): 45-50

15. Amaral AM, Silva AM, Araújo ES, Seniuk F, Santos IR, Maciel IC, et al. Trabalhando com a família do amigo especial. Divulg Saúde Debate 2000; 19: 64-6.

16. Marchioni SAE. Investigação sobre o uso do condicionamento pelos alunos de odontologia no atendimento a deficientes mentais. Infanto Rev Neuropsiquiatr Infanc Adolesc 1998; 6(3): 127-33.

17. Uemura ST, Ramos L, Esposito D, Uemura AS, Boccia MF, Mugayar LRF. Motivação e educação odontológica em pacientes especial. RGO 2004; 52(2): 91-100.

18. Magalhães MHCG, Becker MM, Ramos MS. Aplicação de um programa de higienização supervisionada em pacientes portadores de paralisia cerebral. RPG 1997; 4(2): 109-13.

19. Grunsven MFV, Cardoso EBT. Atendimento odontológico em crianças especiais. Rev Assoc Paul Cir Dent 1995; 49(5): 364-70.