Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Eficiência de um Grupo de Sala de Espera na Adesão do Aleitamento Materno Exclusivo

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1000/odonto.v19n38p123-129

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/O1/index 

downloadpdf

Camila M. B. Fragelli1, Fernanda G. D. Salomão2, Fabiana de L. Vazquez2, Gustavo A. M. Brandão3, Marcelo de C. Meneghim4 & Antonio C. Pereira4

 

Resumo: Introdução: o aleitamento materno é a estratégia isolada que mais previne mortes infantis, além de promover a saúde da mãe e do bebê. Existem evidências que o leite materno é o alimento ideal para o crescimento e desenvolvimento dos lactentes, além de ser responsável por benefícios importantes à mãe no pós-parto. É recomendado pelo Ministério da Saúde que o aleitamento materno seja exclusivo nos seis primeiros meses de vida do bebê. Objetivo: este estudo determinou se houve validade das ações em grupos de sala de espera com gestantes, na adesão da amamentação exclusiva. Metodologia: a coleta de dados foi realizada na comunidade rural da cidade de São Carlos, SP, Brasil, utilizando um questionário semi-estruturado elaborado com parâmetros na Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno nas Capitais Brasileiras e no Distrito Federal PPAM-CDF, 2007, sendo aplicado durante o primeiro mês do lactente e depois de realizado o acompanhamento mensal da nutriz com objetivo de monitorar a amamentação exclusiva. Resultados: dentre os fatores de desmame precoce ou opção pela complementação alimentar, 60% das puérperas relataram motivos oriundos de crendices populares e 20% o fim da licença maternidade. Conclusão: o estudo demonstrou maior período de adesão ao aleitamento materno exclusivo por parte das nutrizes que freqüentaram o grupo de sala de espera, e as mesmas, demonstraram acerca dos benefícios da amamentação para a mãe e filho, maiores conhecimentos do que as que não participaram.

Palavras-chave: Educação em Saúde; Aleitamento Materno; Promoção da Saúde.

 

Abstract: Introduction: breastfeeding is the strategy that most prevents child deaths, in addition to health promoting of mother and baby. There is evidence that human breast milk is the ideal food for the growth and development of infants, responsible for important benefits to the mother in the postpartum period. It is recommended by the Ministry of health that breastfeeding is exclusive in the first six months of the infant's life. Aim: this study determined if there was validity of actions in groups of waiting room with pregnant women, the accession of exclusive breastfeeding. Methodology: collection of data was performed in the rural community of the city of São Carlos, SP, Brazil, using a semi-structured questionnaire prepared with parameters used in the “Research of the Prevalence of Breastfeeding in the Brazilian Capital Cities and the Federal District PPAM-CDF, 2007”, being applied during the first month of the infant and after the monthly monitoring of the nursing mother with the objective of monitoring the exclusive breastfeeding. Results: among the factors of early weaning or choice of complementary feeding, 60% of mothers reported reasons from popular superstitions and 20% the end of maternity leave. Conclusion: the study demonstrated a greater period of membership to the exclusive breastfeeding on the part of the mothers who have attended the group of the waiting room, and the same, demonstrated about the benefits of breastfeeding for the mother and son, greater knowledge of what the who did not participate in it.

Key words: Health Education; Breastfeeding; Health Promotion.

 

1 CD, Residente da Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade, Centro de Ciências Biológicas da Saúde, UFSCar, São Carlos, SP, Brasil.
2 CD, Me, Aluna do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, UNICAMP, Piracicaba, SP, Brasil.
3 CD, Me, Dr, Departamento de Saúde Coletiva, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, UNICAMP, Piracicaba, SP, Brasil.
4 CD, Me, Dr, Professor Titular, Departamento de Odontologia Social, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, UNICAMP, Piracicaba, SP, Brasil.

 

Literatura Citada

1. Ministério da Saúde. Saúde Dentro de Casa. Programa de Saúde da Família. Brasília. Fundação Nacional de Saúde, 1994.

2. Ciconi VCR, Venancio SI, Escuder ML. Avaliação dos conhecimentos de equipes do Programa de Saúde da Família sobre o manejo do aleitamento materno em um município da região metropolitana de São Paulo. Rev Bras Saúde Mater Infant 2004; 4(2): 193-202. https://doi.org/10.1590/S1519-38292004000200010

3. Monteiro CA, Rea M, Victora C. Can infant mortality be reduced by promoting breastfeeding? Evidence from São Paulo city. Health Policy Plan 1990; 5:23-29. https://doi.org/10.1093/heapol/5.1.23

4. Palmer G. The politics of breastfeeding. Pandor Press, 1993.

5. Faleiros J. Avaliação do impacto de um programa de puericultura na promoção da amamentação exclusiva. Cad Saúde Pública 2005; 21(2):482-489. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2005000200014

6. Sena MCF, Silva EF, Pereira MG. Prevalência do aleitamento materno nas capitais brasileiras. Rev Assoc Med Bras 2007; 53(6): 520-524. https://doi.org/10.1590/S0104-42302007000600020

7. Venâncio SI, Monteiro CA. A tendência da amamentação no Brasil nas décadas de 70 e 80. Rev Brasileira de Epidemiologia 1998; 1: 40-49. https://doi.org/10.1590/s1415-790x1998000100005

8. Albernaz E, Victora CG. Impacto do aconselhamento face a face sobre a duração do aleitamento exclusivo. Rev Panam Salud Publica 2003; 14(1): 14-17. https://doi.org/10.1590/S1020-49892003000600004

9. De Oliveira MI, Camacho LA, Tedstone AE. Extending breastfeeding duration through primary care: a systematic review of prenatal and postnatal interventions. J Hum Lact 2001; 7: 326-43. https://doi.org/10.1177/089033440101700407

10. Guise JM, Palda V, Westhoff C, Chan BK, Helfand M, Lieu TA. The effectiveness of primary care-based interventions to promote breastfeeding: systematic evidence review and meta-analysis for the US Preventive Services Task Force. Ann Fam Med 2003; 1: 70-78. https://doi.org/10.1370/afm.56

11. Caldeira AP, Aguiar GN, Magalhaes WAC, Fagundes GC. Conhecimentos e práticas de promoção do aleitamento materno em Equipes de Saúde da Família em Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Cad Saúde Pública 2007; 23(8): 1965-1970. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007000800023

12. Teixeira RT, Veloso CR. O grupo de sala de espera: território de práticas e representações em saúde. Texto e Contexto Enfermagem 2006; 15(2): 320-325. https://doi.org/10.1590/S0104-07072006000200017