Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Influência do Fator Socioeconômico no Comportamento dos Adolescentes em Relação à Saúde Bucal

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1000/odonto.v16n31p53-61

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/O1/index 

downloadpdf

Ana F. Granville-Garcia1, José E. de Lorena Sobrinho2, Jennyfer C. Araujo2, Valdenice A. de Menezes3 & Edja M. de M. de B. Costa1

 

Resumo: O objetivo deste estudo foi analisar o comportamento do adolescente em relação aos hábitos de higiene oral e a influência da variável socioeconômica no município de Caruaru-PE. Para isso foram entrevistados com um formulário semi-estruturado com perguntas abertas e fechadas, 279 alunos, 139 de uma escola pública e 140 de uma escola particular no ano de 2006. O teste estatístico utilizado foi o Qui-quadrado. O cirurgião-dentista foi à principal fonte de informação sobre doenças bucais (80,2%). O número de escovações diárias, apresentou diferença significativa entre os dois tipos de escola, sendo que a maioria recebeu orientações do cirurgião-dentista sobre o assunto (96,1%) e um menor número quanto ao tipo de escova (58,1%), porém estes últimos sem diferença significativa. 94,9% respondeu que há situações em que demoram mais na escovação (p<0,05), sendo que as respostas ao sair e a ao sentir mau hálito apresentaram diferença signicativa entre os dois tipos de escola. Um percentual de 66,1% relatou fazer uso do fio dental (p<0,05) e recebeu orientação do cirurgiãodentista quanto ao assunto (63,3%), p>0,05. O período da última consulta ao cirurgião-dentista (menos de um ano, 62,2%), a prevenção (52,2%) e a obturação (21%) como motivo da consulta foram os dados que apresentaram diferença significativa entre os dois tipos de escola. Estudos regionais, com vistas a contribuir com a implementação de programas em saúde bucal, na tentativa de reversão dos índices insatisfatórios, assim como possibilitar a elaboração de indicadores de saúde bucal na adolescência se fazem necessários.

Palavras-chave: adolescente; estudo transversal; saúde bucal

 

Abstract: The objective of this study was to analyze the behavior of adolescents in respect to the habits of oral hygiene and the influence of the socioeconomic variable in the city of Caruaru-PE. 279 students were interviewed with a semi-structured form, with open and closed questions, 139 from a public school and 140 from a private school, in 2006. The statistical test used was the Chi-square. The dental surgeon was the main source of information on mouth diseases ( 80.2%). The number of daily brushing presented a significant difference in each type of school, the majority receiving orientation from the dental surgeon on the subject (96.1%) and a smaller number on the type of toothbrush (58.1%), although these without a significant difference. 94.9% answered that there are situations in which they take longer brushing (p>0.05), but the answers when going out and halitosis showed a significant difference in the two types of school. A percentage of 66.1% reported to use dental floss (p<0.05) and received orientation from the dental surgeon on the subject (63.3%), p>0.05. The period of the last consult to the dental surgeon (less than a year, 62.2%), prevention (52.2%) and fillings (21%) as motive for the consult were the data that presented significant difference in the types of school. Regional studies, with the intent of contributing to the implementation of oral health programs, attempting to reverse unsatisfactory indexes, as well as to make possible the elaboration of oral health indicators in adolescence are necessary.

Key words: adolescent; transversal study; oral health

 

1 Professora Doutora I de Odontopediatria do Departamento de Odontologia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).
2 Alunos de Graduação da Faculdade Odontologia de Caruaru, Associação Caruaruense de Ensino Superior (FOC/ASCES)
3 Professora Adjunto IV de Odontopediatria da Faculdade Odontologia de Pernambuco, Universidade de Pernambuco; Professora de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia de Caruaru, Associação Caruaruense de Ensino Superior (FOC/ASCES).

 

Literatura Citada

ASSIS, S.G.; AVANCI, J.Q.; SILVA C.M.F.P.; MALAQUIAS, J.V.; SANTOS, N.C.; OLIVEIRA, R.V.C. A representação social do ser adolescente: um passo decisivo na promoção da saúde. Ciênc Saúde Coletiva, v. 8, n. 3, p. 669-678, jul/set,2003. https://doi.org/10.1590/S1413-81232003000300002

Brasil. Projeto SB Brasil. Condições de Saúde Bucal da População Brasileira 2002-2003. Ministério da Saúde, Brasil.[periódico na Internet]. 2004. [acessado 2008 Jan 14]:[67p]. Disponível em: http://www.cfo.org.br/download/pdf/relatorio_sb_brasil_2003.pdf

BRANCO, L.M.; HILÁRIO, M.O.E.; CINTRA, I.P. Percepção e satisfação corporal em adolescentes e a relação com seu estado nutricional Rev Psiquiatr Clín. v. 33, n. 6, p. 669-679, nov/dez, 2006. https://doi.org/10.1590/S0101-60832006000600001

CAMPOS, J.A.D.; ZUANON, A.C.C. Educação em saúde: aspectos relevantes apontados por adolescentes. Ciênc. Odontol. Bras. v.7, n. 2, p.55-60, abr/jun, 2004.

CHOR, D. FAERSTEIN, E. Um enfoque epidemiológico da promoção da saúde: as idéias de Geoffrey Rose. Cad. Saúde Pública, v.16, n.1, p. 241-244, jan./mar., 2000  https://doi.org/10.1590/S0102-311X2000000100025

CRUZ, G. M.; SALVADOR, M. S.; DRUMOND, M. M. Satisfação do usuário adolescente em relação a um programa de saúde bucal escolar: um estudo qualitativo. Arq. odontol., v. 41, n. 2, p. 109-122, mar/abr, 2005.

ELIAS, M.S.;CANO, M.A.T.; MESTRINER JÚNIOR W.; FERRIANI, B.G.C. A importância da saúde bucal para adolescentes de diferentes estratos sociais de Ribeirão Preto. Rev Lan Am Enfermagem, v; 9, n. 1, p.88-95, jan, 2001.

FERNANDES,M.L.M.F. Análise comparativa das percepções em saúde bucal de adolescentes grávidas e não grávidas: um ponto de partida para a promoção em saúde bucal. Belo horizonte, 2002 198p. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Minas Gerais.

FERREIRA, M.A.;ALVIM, N.A.T.; TEIXEIRA M.L.O; VELOSO, R.C. Saberes de adolescentes: estilo de vida e cuidado à saúde. Texto Contexto – Enferm., v. 16, n, 2, p. 217-224, jun., 2007. https://doi.org/10.1590/S0104-07072007000200002

FLORES, E.M.T.L.; DREHMER, T. M. Conhecimentos, percepções, comportamentos e representações de saúde e doença bucal dos adolescentes de escolas públicas de dois bairros de Porto Alegre. Ciênc Saúde Coletiva, v.8, n.3, p. 743-752, jul/set, 2003. https://doi.org/10.1590/S1413-81232003000300008

FRANKFORT-NACHIMIAS C.; NACHIMIAS, D. Research methods in the social sciences. 4th ed. Edward Arnold, 1992. 144p. 

Fundação InstitutoBrasileiro de Geografia e Estatística. Assistência médica Sanitária, 2002. Rio de Janeiro: IBGE; 2003.

GARCIA, P.P.N.S.;CAMPOS, J.A.D.B.; NOGUEIRA,I.; DOVIGO, L.N. Conhecimento de Saúde Bucal em Escolares: Efeito de um Método de Auto-Instrução. Rev. Odontol UNESP, v. 33, n.1, p.41-46, jan/fev, 2004.

GOMES G. C.; CARAMASCHI S. Valorização de beleza e Inteligência por adolescentes de diferentes classes sociais. Psicol. estud., v.12, n.2, p. 109-122, maio/ago., 2007.

GRAÇA, T.C.A. Importância da Saúde Bucal na Adolescência: Um estudo no IEPIC. Niterói, 2000. 96p. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Odontologia, Universidade Federal Fluminense.

GUSHI, L.L.; SOARES, M.C.; FORNI, T.I.B.; VIEIRA, V.; WADA, R.S.; SOUSA, M.L.R. Cárie dentária em adolescentes de 15 a 19 anos de idade no Estado de São Paulo, Brasil, 2002. Cad Saúde Pública, v.21,n,5, p. 1383-1391, set/out, 2005. https://doi.org/10.1590/s0102-311x2005000500010

JOLLY, K.; WEISS,J.A.; LIER, R. Understanding adolescent voice as a guide for nursing practice and research. Ssues Compr Pediatr Nurs. v. 30, n.,1-2, p. 3-13, Jan/Jun, 2007.

LISBOA, I. C.; ABEGG, C. Hábitos de higiene bucal e uso de serviços odontológicos por adolescentes e adultos do Município de Canoas, Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde, v.15, n.4, p.29-39, dez, 2006.

MALTZ, M.; SILVA,B.B. Relação entre cárie, gengivite e fluorose dental e nível socioconômico em escolares. Rev Saúde Pública, v. 35, n. 2, p. 170-176, abr, 2001. https://doi.org/10.1590/S0034-89102001000200011

MANFREDINI, M. A.Planejamento em saúde bucal. In: PEREIRA & colab. Odontologia em Saúde Coletiva: planejando ações e promovendo saúde. Artmed, 2003. 440p.

MacGREGOR, I,D,M,; BALDING, J.W.; REGIS, D. Motivation for dental hygiene in adolescents. Int J Paed Dent, v. 7, n. 4, p.,235-241, Dec, 1997.

MacGREGOR, I.D.M.; BALDING, J.W.; REGIS, D. Flossing behavior in English adolescents. J Clin Periodontol, v. 25, n. 4, p. 291-196, abr, 1998. https://doi.org/10.1111/j.1600-051X.1998.tb02443.x

PACE, M. A.; GRIGOLETTO, J. C.; BERTOLDI, R. C.; POLACHINI, N.G.T.W.; BREGAGNOLO, J. C. Hábitos de higiene oral de famílias cadastradas em programa de saúde da família de Ribeirão Preto – SP. Cad. Saúde Coletiva, v. 14, n. 1, p. 49-62, abr/jun, 2006.

PINTO, L. R.; BONAN, R.F.; GARCIA, P.P.R.S. Conhecimento sobre cárie e doença periodontal: Avaliação de adolescentes pertencentes à rede privada de ensino. Rev. Odontol UNESP, v. 33,n. 3, p. 137-142, set/out, 2004.

SANTOS, N.C.N.; ALVES, T.D.B.; FREITAS, V.S.; JAMELLI, S.R.; SARINHO, E.S.C. A saúde bucal de adolescentes: aspectos de higiene, de cárie dentária e doença periodontal nas cidades de Recife, Pernambuco e Feira de Santana, Bahia. Ciênc Saúde Coletiva, v. 12, n.5, p. 1155-1166, set/out, 2007. https://doi.org/10.1590/S1413-81232007000500012

SHEIHAM A. ; MOYSÉS S.J. O papel dos profissionais de saúde bucal na promoção de saúde: In BUISCH, Y. P. Promoção de saúde bucal na clínica odontológica. ArtesMédicas, 2000. 359p.

STOJANOWSKA, E. Effects of beauty and style of selfpresentation on women’s and men’s interpersonal attractiveness. Stud Psychol. v. 41, n. 4, p. 147-167, jul/aug,2003.

ZCHWARZ, N. Assessing frequency reports of mundane behaviours: contribution of cognitive psychology to questionnaire constructions. In: HENDINCK, C.; CLARCK, M.S. Research methods in personality and social psychology. Sage Publications, 1990. 150p.