Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

“Nós Somos a Dobradiça da Porta”: Notas Preliminares Sobre as Mulheres na Bola de Neve Church

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-0985/mandragora.v18n18p81-106

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MA/index 

downloadpdf

Eduardo M. de A. Maranhão Filho1

 

Resumo: Apresento aqui alguns dos discursos da Bola de Neve Church (BDN) referentes às fiéis desta agência, especialmente em relação aos papéis de gênero desempenhados por estas. Para tanto, enfatizo, inicialmente, algumas das características desta agência evangélica, praticante de uma forma de gerenciamento de mercado que chamo de marketing de guerra santa. Destaco algumas das formas da identidade e discurso – móveis e derretidos – da BDN, identificando a (aparentemente) ambígua articulação entre fundamentalismo/policiamento das práticas sexuais e afetivas e flexibilização de usos e costumes. Mostro que há um duplo sentido envolvendo as negociações de papéis de gênero das mulheres, em que a submissão ao marido floresce ao lado de formas de liderança feminina na agência religiosa.

Palavras-chave: Bola de Neve Church; marketing religioso; identidade religiosa; discurso religioso; gênero e religião.

 

Abstract: This paper approaches some of the Bola de Neve (BDN) Church’s discourses about the female members of this agency, especially regarding their gender role. Thus, I emphasize some of the features of this evangelical agency that practices a form of market management which I call holy war marketing. I highlight some of the forms of the church’s – moving and melted – identity and discourse, identifying the ambiguous relationship between fundamentalism / policing of sexual and affective practices and the flexibility of customs and traditions. I show that there is a double sense involving the negotiations of gender roles of women, in which submission to her husband flourishes alongside with forms of female leadership in the religious agency.

Key words: Bola de Neve Church; religious marketing; religious identity, religious discourse, gender and religion.

 

1 Doutorando em História Social pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), especialista em Marketing e Comunicação Social pela Fundação Cásper Líbero. Contato: edumeinberg@gmail.com.

 

Literatura Citada

AGIER, Michel. Distúrbios identitários em tempos de globalização. Mana Estudos de Antropologia Social, v. 7, n. 2, p. 7-33, 2001.

BÍBLIA DE JERUSALÉM. São Paulo: Paulus, 2004.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1992.

CAMPOS, Leonildo Silveira. Teatro, templo e mercado: organização e marketing de um estabelecimento neopentecostal. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

CAMPOS, Leonildo Silveira. Pentecostalismo: entre o desprezo e a recuperação do corpo. Tempo e presença, ano 19, n. 296, p. 14-16, nov.-dez. 1997.

CASTRO, Ana Lúcia de. Culto ao corpo e sociedade. Mídia, estilos de vida e cultura de consumo. São Paulo: Annablume / Fapesp, 2007.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CODO, Wanderley; SENNE, Wilson A. O que é corpo (latria). São Paulo: Brasiliense, 2004.

COSTA, Márcia Regina da. Os carecas de Cristo e as tribos urbanas do underground evangélico. In: BLASS, Leila Maria da Silva; PAIS, José Machado. Tribos urbanas: produção artística e identidades. São Paulo: Capes / Annablume, 2004.

DANTAS, Bruna Suruagy do Amaral. Sexualidade e neopentecostalismo: representações de jovens da igreja evangélica Bola de Neve. 2006. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, São Paulo.

FERREIRA, Diego. Entrevista sobre a Célula UFSC da BDN: Entrevista [03 set. 2012]. Entrevistador Eduardo Meinberg de Albuquerque Maranhão Filho, Florianópolis.
FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1981.

FRESTON, Paul. Breve história do pentecostalismo brasileiro. In: ANTONIAZZI, Alberto (Org.). Nem anjos nem demônios: interpretações sociológicas do pentecostalismo. Petrópolis: Vozes, 1994. p. 67-159.

FRIGERIO, Alejandro. O paradigma da escolha racional. Mercado regulado e pluralismo religioso. Tempo Social, São Paulo, v. 20, n. 2, p. 17-39, 2008. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-20702008000200002

GUERRA, Lemuel. As influências da lógica mercadológica sobre as recentes transformações na Igreja Católica. REVER, n. 2, p. 1-23, 2003.

LEMOS, Carolina Teles. Mobilidade religiosa e suas interfaces com a intimidade e a vida cotidiana. In: OLIVEIRA, Pedro A. Ribeiro; MORI, Geraldo de. Mobilidade religiosa: linguagens, juventude, política. São Paulo: Paulinas, 2012.

MACHADO, Maria das Dores Campos. Representações e relações de gênero em grupos pentecostais. Estudos Feministas, v. 13, n. 2, p. 387-396, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2005000200012

MACHADO, Maria das Dores Campos; BARROS, Myriam Lins. Gênero, geração e classe: uma discussão sobre as mulheres das camadas médias e populares do Rio de Janeiro. Estudos Feministas, v. 17, n. 2, mai.-ago. 2009.

MALYSSE, Stéphane. Em busca dos (h)alteres-ego: olhares franceses nos bastidores dacorpolatria carioca. In: GOLDEMBERG, Miriam (Org.). Nu & vestido: dez antropólogos revelam a cultura do corpo carioca. Rio de Janeiro: Record, 2007.

MALYSSE, Stéphane. Um ensaio de antropologia visual do corpo ou como pensar em imagens o corpo visto? In: LYRA, Bernadette; GARCIA, Wilson. Corpo e imagem. São Paulo: Arte e Ciência, 2002.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. A Bola de Neve avança, o Diabo retrocede: preparando davis para a batalha e o domínio através de um marketing de guerra santa em trânsito. REVER – PUC/SP, no prelo a.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. Anotações sobre a “inclusão” de travestis e transexuais a partir da mudança de prenome e nome social. História Agora, no prelo b.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. Apresentando o conceito de entre- -gêneros. História Agora, v.2, n.13, 2012a.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. Apresentando um marketing de guerra santa em trânsito e rasurando conceitos. História Agora, v.1, n.12, 2012b.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. Caia Babilônia: análise de uma canção religiosa a partir do contexto, poética, música, performance e silêncio. Revista Brasileira de História das Religiões, Ano V, n. 13, 2012c.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. “Inclusão” de travestis e transexuais através do nome social e mudança de prenome: diálogos iniciais com Karen Schwach e outras fontes. Oralidades – Revista de História Oral da USP, n. 11, São Paulo, 2012d.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. “É dando-se à igreja que se recebe a graça de Deus”: discurso econômico em uma igreja neopentecostal. In: MIRANDA, Daniela da Silveira et al. (Orgs.). O gênero em diferentes abordagens discursivas. São Paulo: Paulistana, 2011a.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. “Falaram que Deus ia me matar, mas eu não acreditei”. Intolerância religiosa e de gênero no relato de uma travesti profissional do sexo e cantora evangélica. História Agora, v.2, n. 12, 2011b.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. “In Jesus we trust”: anglicismos na Bola de Neve Church. Tempos Acadêmicos (UNESC), no prelo c.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. “Jesus me ama no dark room e quando faço programa”: narrativas de um reverendo e três irmãos evangélicos acerca da flexibilização do discurso religioso sobre sexualidade na ICM (Igreja da Comunidade Metropolitana). Polis & Psique, v. 1, edição especial, 2011c.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. “Marketing de Guerra Santa”: da oferta e atendimento de demandas religiosas à conquista de fiéis-consumidores. Horizonte – PUC/MG, v. 10, n. 25, p. 201-232, jan.-mar. 2012e.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. “Na casa de Deus não tem feijão queimado”. Usos do discurso derretido na Bola de Neve Church (BDN). Teologia Acadêmica,v.1, n.1, no prelo d.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. Neopentecostalismo de supergeração. História Agora, v. 1, n. 10, p. 342-362, 2010b.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. O corpo e o esporte como estratégias de marketing da Bola de Neve Church. Oralidades – Revista de História Oral da USP, v. 7, p. 35-52, jan.-jun. 2010a.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. ‘Promíscuo é o indivíduo que fazmais sexo que o invejoso’. Entrevista sobre gênero e sexualidade com Cristiano Valério, reverendo da ICM. História Agora, v.2, n.13, 2012f.

MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque. Sensualidade e interdição do desejo na Bola de Neve Church. Via Teológica, v. 18, p. 147-169, 2009.

MARIANO, Ricardo. Neopentecostalismo: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 1999.

MONTES, Maria Lúcia. As figuras do sagrado entre o público e o privado. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz. História da vida privada no Brasil. São Paulo: Schwarcz, 2000. v. 4.

NOGUEIRA, Sebastiana Maria. A glossolalia (falar em línguas) no cristianismo doprimeiro século e o fenômeno hoje. Anais do II Encontro Nacional do GT História das Religiões e Religiosidades. Revista Brasileira de História das Religiões, v. 1, n. 3, 2009. Disponível em: http://www.dhi.uem.br/gtreligiao/pub.html. Acesso em: 10 jan. 2010.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. O discurso religioso. In: ORLANDI, Eni Pulcinelli (Org.). A linguagem e seu funcionamento. As formas do discurso. Campinas: Pontes, 1987.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. As formas do silêncio. No movimento dos sentidos. Campinas: Unicamp, 2007.

PEREIRA, José Carlos. Religião e exclusão social. A dialética da exclusão e inclusão nos espaços sagrados da Igreja Católica. Aparecida: Santuário, 2009. Presbítero André. In: X Generation de malas prontas. Bola de Neve Church Floripa, 28 set. 2008, CD, Faixa 2.

REVISTA CRISTA. n. 1. Disponível em: <http://www.boladenevechurch.com.br/index2.php?secao=crista>. Acesso em: 07 jan. 2010.

ROSADO-NUNES, Maria José Fontelas. O impacto do feminismo sobre o estudo das religiões. Cadernos Pagu, v. 16, 2001.

SANT’ANNA, Denise Bernuzzi de. Corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea. São Paulo: Estação Liberdade, 2001.

SANT’ANNA, Denise Bernuzzi de. É possível realizar uma história do corpo? In: SOARES, Carmen Lúcia. Corpo e história. Campinas: Autores Associados, 2001.

SEVCENKO, Nicolau. A corrida para o século XXI: no loop da montanha russa. São Paulo: Schwarcz, 2001.

SILVA, Eliane Moura da. Fundamentalismo evangélico e questões de gênero. In: SOUZA, Sandra Duarte de (Org.). Gênero e religião no Brasil. Ensaios feministas. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2006.

SILVA, Tomaz Tadeu Teoria cultural e educação: um vocabulário crítico. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

SIMMEL, Georg. Philosophie de la modernité. La femme, la ville, l’individualisme. Paris: Payot, 1989.

SLONGO, Leonardo Kessler. Entrevista sobre a Célula UFSC da BDN: Entrevista [03 set. 2012]. Entrevistador Eduardo Meinberg de Albuquerque Maranhão Filho, Florianópolis.

SOUZA, Sandra Duarte de. Gênero e trânsito religioso entre mulheres e homens evangélicos do ABC Paulista. In: PERETTI, Clélia (Org.). Para onde caminhamos? Teologia, gênero e expressões. Curitiba: Champagnat, 2011.

SOUZA, Sandra Duarte de. Religião e secularização. In: SOUZA, Sandra Duarte de (Org.).Gênero e religião no Brasil. Ensaios feministas. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2006.

 

Sites

BOLA DE NEVE. Histórico da BDN. Disponível em: http://www.boladeneve.com/quemsomos. Acesso em: 20 mar. 2012.

BOLA DE NEVE. Portal da BDN (versão até 2010) Bola de Neve Church. Disponível em: <http://www.boladeneve.com>. Acesso em: 07 jan. 2010.

BOLA DE NEVE CHURCH. News (a). Disponível em: <http://www.boladenevechurch.com.br/admin/conteudos/images/news_090217-3.jpg>. Acesso em: 03 mai. 2009.

BOLA DE NEVE CHURCH. News (b). Disponível em: <http://www.boladenevechurch.com.br/admin/conteudos/images/news_081024.jpg>. Acesso em: 03 mai. 2009.

BOLA DE NEVE CHURCH. Ministérios, Disponível em: <http://www.boladenevechurch.com.br/index2.php?secao=ministerios>. Acesso em: 20 mai. 2009

MULHERES DA BOLA. Culto de mulheres, s/d, Disponível em: <http://www.mulheresdobola.com.br/palavra/respeitando-as-diferencas-edificando-o-lar.html>. Acesso em: 12 jul. 2012.