Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Deus é Brasileiro! Mas que Brasileiro?

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-0985/mandragora.v15n15p26-34

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MA/index 

downloadpdf

André S. Musskopf1

 

Resumo: Este artigo investiga o modo como Deus é representado em músicas populares brasileiras. Dá uma introdução geral sobre a cultura brasileira mostrando como a religião é parte das construções identitárias de brasileiros e brasileiras e como ela é marcada pela multiplicidade, pelo sincretismo e pela hibridação. Analisa, então, duas músicas populares que fazem afirmações explícitas sobre “quem Deus é” e como estas afirmações estão relacionadas com construções de gênero masculinas tradicionais. Finalmente, o artigo discute como questões de masculinidade e religião têm sido abordadas em estudos recentes e aponta para a necessidade de outras formas de imaginar Deus que estejam relacionadas com a experiência das pessoas.

Palavras-chave: Masculinidade – Imagens de Deus – Religião – Cultura popular – Música popular brasileira.

 

Abstract: This article investigates how God is represented in the Brazilian pop music. It gives a general introduction on the Brazilian culture showing how religion is part of the identitarian constructions of Brazilian man and women and how it is marked by multiplicity, syncretism, and hybridization. It then analyses two popular songs that make explicit statements about “who God is” and how such statements are related to traditional masculine gender constructions. Finally, thearticle discusses how issues of masculinity and religion have been approached in recent studies and points to the need for other ways of imagining God that are related to the people’s experience.

Key words: Masculinity – Images of God – Religion – Popular culture – Brazilian popular music.

 

1 Doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia, São Leopoldo/RS. Bolsista CNPq. Autor de “Uma brecha no armário: Propostas para uma Teologia Gay” (CEBI, 2005) e “Talar Rosa: Homossexuais e o Ministério na Igreja” (Oikos, 2005). asmusskopf@hotmail.com.

 

Literatura Citada

BASTIDE, Roger. Brasil, terra de contrastes. São Paulo: DIFEL, 1979.

BÍBLIA e masculinidade. Coordenação de Maria Soave Buscemi. Petrópolis: Vozes, 2005. (Estudos biblicos; v. 86); Revista de Interpretação Bíblica Latino-Americana (RIBLA), Petrópolis: Vozes, 2007.

BOFF, Leonardo. A voz do arco-íris. Rio de Janeiro: Sextante, 2004.

CALVANI, Carlos E. B. Teologia e MPB: um estudo a partir da Teologia da Cultura de Paul Tillich. São Bernardo do Campo: Umesp, 1998.

CANEVACCI, Massimo. Sincretismos: uma exploração das hibridações culturais. São Paulo: Studio Nobel/ Instituto Italiano de Cultura/ Instituto Cultural ÍItalo-Americano, 1996.

CARDOSO, Nancy; EGGERT, Edla; MUSSKOPF, AndréS. A graça do mundo transforma deus. Porto Alegre: Universitária Metodista, 2006.

CHAUÍ, Marilena. Brasil – Mito fundador e sociedade autoritária. 5. imp. São Paulo: Perseu Abramo, 2004.

DACANAL, J. H. Origem e função dos CTGs. In:

GONZAGA, Sergius (org.). Nós, os gaúchos. Porto Alegre: Universidade/UFRGS, 1992, p. 81-90.

DAMATTA, Roberto. O que faz o brasil, Brasil?. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.

DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis; para uma sociologia do dilema brasileiro. 6. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

GUTFRIEND, I. A historiografia sul-riograndense e o mito do gaúcho brasileiro. In: GONZAGA, Sergius (org.). Nós, os gaúchos. Porto Alegre: Universidade/UFRGS, 1992, p. 148-152.

LOURO, Guacira. Um corpo estranho; ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004

MANDRÁGORA/Núcleo de Estudos Teológicos da Mulher na América Latina, ano XII, n. 12, São Bernardo do Campo, UMESP-Curso de Pós-graduação em Ciências da Religião, 2006.

MURARO, Rose Marie; BOFF, Leonardo. Feminino e masculino; uma nova consciência para o encontro das diferenças. 4. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2002.

MUSSKOPF, André S. Identidade masculina e corporeidade - uma abordagem queer. In: _____.; STRÖHER, Marga J. (orgs.) Corporeidade, etnia e masculinidade – Reflexões do I Congresso Latino-Americano de Gênero e Religião. São Leopoldo: Sinodal, 2005, p. 89-107.

_____.; _____. (orgs.) Corporeidade, etnia e masculinidade – Reflexões do I Congresso Latino-Americano de Gênero e Religião. São Leopoldo: Sinodal, 2005.

NOLASCO, Sócrates A. Masculinidade: reflexões contemporâneas. In: Revista Cultura Vozes, n. 5, 1993a, p. 71-80.

NOLASCO, Sócrates A. O mito da masculinidade. 2. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1993b.

NOLASCO, Sócrates A. O primeiro sexo e outras mentiras sobre o segundo. Rio de Janeiro: BestSeller, 2006.

OLIVEIRA, P. P. A construção social da masculinidade. Belo Horizonte/Rio de Janeiro: UFMG/IUPERJ, 2004.

PARKER, Richard G. Corpos, prazeres e paixões: a cultura sexual no Brasil contemporâneo. São Paulo: BestSeller, 1991.

SCHULTZ, Adilson. Deus está presente – o diabo está no meio. Tese (Doutorado). São Leopoldo: EST/IEPG, 2005

SOUZA, Jessé. A modernização seletiva: uma reinterpretação do dilema brasileiro. Brasília: UnB, 2000.

SULLIVAN, Nikki. A critical introduction to queer theory. New York: New York University Press, 2003.

STRÖHER, Marga J.; DEIFELT, Wanda; MUSSKOPF, André S. À flor da pele: ensaios sobre gênero e corporeidade. São Leopoldo: Sinodal/CEBI, 2004.

TRAVANCAS, Isabel. De Pedro Pedreiro ao Barão daRalé: o trabalhador e o malandro na música de Chico Buarque de Holanda. n/d. Disponível em: <http://www.unicamp.br/siarq/sbh/artigo_isabel_travancas.pdf>.

TURNER, William B. A genealogy of queer theory. Philadelphia: Temple University Press, 2000.

VAINFAS, Ronaldo. Trópico dos pecados: moral, sexualidade e inquisição no Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

 

Artigos da Internet

GUAPOS. O patrão das tradições gaúchas Manoelito Savaris lidera cruzadas em nome dos costumes. 2006. Disponível em: <http://www.guapos.com.br/2006/noticia.php?cdnoticia=287> – ‘O patrão das tradições gaúchas Manoelito Savaris lidera cruzadas em nome dos costumes’>. Acesso em: 05 abr. 2008.

JOVEM PAN. A vida do Papa João Paulo II marcada pela fé. n/d. Disponível em: <http://jovempan.uol.com.br/jpamnew/destaques/atualidade/papa/vida.php>. Acesso em: 05 abr. 2008.

MAIA, F. Legislativo deverá votar dia 1o inclusão da Expointer no patrimônio histórico. 2006. Disponível em: < http://www.al.rs.gov.br/ag/NOTICIAS.ASP?txtIDMATERIA=154654&txtIdTipo%20Materia=3>. Acesso em: 05 abr. 2008.

MANSUR, A. Baixaria no desfile. 2002. Disponível em: <http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT396558- 1662,00.html>. Acesso em: 05 abr. 2008.

MUIR, H. Tantalising evidence hints Universe is finite. 2003 Disponível em: <http://www.newscientist.com/article.ns?id=dn4250>. Acesso em: 05 abr. 2008.

NEVES, F. U2 clama pelo hexa e leva 70 mil ao delírio no Morumbi. 2006 Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u58094.shtml>. Acesso em: 05 abr. 2008.

RIO GRANDE. As cinco músicas que melhor traduzem a alma gaúcha. n/d. Disponível em: <http://www.riogrande.com.br/cultura/musica_preferidas.htm>. Acesso em: 05 abr. 2008.

VERMELHO. Pátria de chuteiras. 2006. Disponível em: <http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=3609> Acesso em: 05 abr. 2008.

ZERO HORA. Os 20 gaúchos do século. n/d (disponível em: <http://www.paginadogaucho.com.br/pers/20mais.htm> Acesso em: 05 abr. 2008). Filme DIEGUES, Cacá. Deus é brasileiro. Columbia/Tristar, 2002.