crosscheckdeposited

Política de Memória da Teologia da Cruz de Martinho Lutero: Reflexões a Partir da Mimesis de Paul Ricoeur

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-3828/caminhando.v17n1p135-145

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CA 

downloadpdf

Vitor C. Souza

 

Resumo: Ao longo da história do pensamento cristão, diversas interpretações foram atribuídas ao evento da crucificação de Cristo. Comumente, pensou-se em Cristo como vítima expiatória. A Teologia da Cruz, de Martinho Lutero, enfatiza o paradoxo da cruz e apresenta uma reflexão teológica que insere a condição humana na história e interpreta a narrativa da crucificação de Cristo para a sua época. O objetivo deste artigo é refletir acerca da política de memória que a Teologia da Cruz propõe ao pensamento cristão.

Palavras-chave: Teologia da cruz; Martinho Lutero; política de memória; bode expiatório; theologia crucis

 

Abstract: Several interpretations have been assigned to the event of Christ’s crucifixion throughout the history of Christian thought. Usually, Christ has been considered as a scapegoat. Martin Luther’s Theology of the Cross emphasizes the paradox of crucifixion and presents a theological reflection that inserts the human condition in history and interprets the narrative of the crucifixion for its own time. The aim of this paper is to reflect the politics of memory that is proposed to the Christian thought by the Theology of the Cross.

Key words: Theology of the Cross; Martin Luther; politic of memory; Scapegoat; theologia crucis

 

Literatura Citada

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. São Paulo: Editora Forense Universitária, 2008.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes defazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

COMTE-SPONVILLE, André. O espírito do ateísmo: introdução a uma espiritualidade sem Deus. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2007.

EBELING, Gerhard. O pensamento de Lutero. São Leopoldo: Sinodal, 1986.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. São Paulo: MartinsFontes, 2001.

FILORAMO, Giovanni; PRANDI, Carlo. As Ciências das Religiões. São Paulo: Paulus, 1999.

GIRARD, René. A violência e o sagrado. São Paulo: Paz e Terra, 1990.

GIRARD, René. O bode expiatório. São Paulo: Paulus, 2004.

GIRARD, René. Um longo argumento do princípio ao fim. Rio de Janeiro: Topbooks, 2006.

HIGUET, Etienne Alfred. A Crucifixão de Matthias Grünewald à luz de uma teologia protestante da imagem. São Bernardo do Campo. In: Correlatio. São Bernardo do Campo: Editora Metodista, v. 8, n.16 (2009), p. 74-94.

McGRATH, Alister E. Luther’s Theology of the Cross: Martin Luther’s Theological Breakthrough. San Francisco: Wiley-Blackwell, 1990.

NOBUKUNI, Atsushi e YASUDA, Rijin. Do nome sagrado (Myôgô ni tsuite). Entrevista com Paul Tillich. Intérprete: R. de Martino. Tradução e organização: Rev. Prof. Dr. Ricardo Mário Gonçalves. In: Correlatio. São Bernardo do Campo: Editora Metodista, vol. 1, n. 2 (2002). Disponível em: <http://www.metodista.br/ppc/correlatio/correlatio02/do-nome-sagrado-myogo-ni-tsuite/>. Acesso em: jan 2009.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Editora Unicamp, 2007.

RICOEUR, Paul. Ensaios sobre interpretação bíblica. São Paulo: Novo Século,2004.

RICOEUR, Paul. Introduccion a la simbolica del mal. Buenos Aires: Ediciones Megápolis, 1976.

RICOEUR, Paul. O conflito das interpretações: ensaios de hermenêutica. Rio deJaneiro: Imago, 1978.

RICOEUR, Paul. O mal: um desafio à filosofia e à teologia. Campinas: Papirus, 1998.

OTTO, Rudolf. O sagrado: aspectos irracionais na noção do divino e sua relação com o racional. São Leopoldo: Sinodal/EST; Petrópolis: Vozes, 2007. ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, s/d, pp. 113-122.

WESTHELLE, Vitor. O Deus escandaloso: o uso e abuso da cruz. São Leopoldo: Editora Sinodal, 2008.