Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Edith Stein: Concepções de Ser Finito e Ser Eterno, Significados e Manifestações

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-3828/caminhando.v16n2p127-141

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CA 

downloadpdf

Jéferson L. Azeredo

 

Resumo: O contexto filosófico na qual viveu Edith Stein reflete em seu pensamento na reflexão do Ser finito e do Ser Eterno (Deus). A partir da concepção de Ser finito, como ser dotado de essência e existência numa unidade temporal, ela constrói sua reflexão fenomenológica-antropológica. Cada ser humano é singular, possui uma consciência que vai se revelando (se descobrindo) na medida em que se relaciona com o Outro (indivíduo), que lhe vem como um “espelho” de seu próprio eu. Mas, ao refletir sobre si mesmo, surgem perguntas que lhe causa angústia: De onde vim? Para onde vou? Quem sou? Com esses questionamentos, o Ser humano, descobre sua situação-limite, sua finitude, abrindo possibilidade à uma existência capaz de lhe sustentar o Ser. Nesta abertura, que se chama filosofia religiosa ou filosofia cristã na qual Edith Stein contribui, é que se torna possível o manifestar-se de Deus, esta, numa abertura de fé do Ser humano, em que Deus o busca numa experiência mística, confortando-o e dando-lhe novo sentido à sua vida.

Palavras-chave: Ser finito; Ser eterno; situação-limite; fenomenologia.

 

Abstract: The philosophical context in which Edith Stein lived in his thinking reflects the thinking of Being finite, the Eternal Being (God). From conception to be finite, as being endowed with essence and existence in a unit time, she builds her anthropological-phenomenological reflection. Every human being is unique, has a consciousness that reveals itself (if discovered) in so far as it relates to other (individual), it comes as a “mirror” of his own self. But, reflecting on itself, questions which causes him anguish: Where did I come? Where am I going? Who am I? With these questions, the human being discovers their situation limit their finitude, opening the possibility of a life can you sustain this opening Ser, which is called philosophy of religion or Christian philosophy in which Edith Stein contributes is that it is possible the manifestation of God, that, in an opening of faith of the human being, where God seeks a mystical experience, comforting him and giving new meaning to his life.

Key words: Finite being; Eternal Being; situation limit; phenomenology.

 

Literatura Citada

ALVES, E. F. “Edith Stein: da cátedra filosófica aos horrores da câmara de gás”. In: Grande Sinal, Petrópolis, vol. 41, n. 2, p. 133-150 (mar./abril. 1999).

ALVES, E. F. “Edith Stein: Trechos de sua autobiografia”. In: Grande Sinal, Petrópolis, vol. 41, n. 2, p. 151-162 (mar./abril. 1999b);

BELLO, A. A. A fenomenologia do Ser humano. São Paulo: EDUSC, 2000.

CAPALBO, C. Fenomenologia e ciências humanas. 3. ed. Londrina: UEL, 1996.

CAPALBO, C. Fenomenologia e ciências humanas. 3. ed. Crítica, Londrina, 15, p. 133- 137, maio. 1999.

CARVALHO, J. M. O homem e a filosofia: pequenas meditações sobre existência e cultura. Porto Alegre: Edipucrs, 1998.

GARCIA, A. T. Edith Stein e a formação da pessoa humana. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2003.

NABUCO, M. A. Edith Stein. Petrópolis: Vozes, 1955.

PADOVANI, H. História da filosofia antiga à medieval. Petrópolis: Jorge Zahar, 1970.

PIAZZA, W. O. Introdução à fenomenologia religiosa. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1976.

SCIADINI, P. Edith Stein: perder para ganhar. Fortaleza: Shalom, 1999.

STEIN, E. Na força da cruz. 2. ed. São Paulo: Cidade Nova, 1987.

STEIN, E. O mistério do natal. São Paulo: EDUSC, 1999.

STEIN, E. Ser finito y ser eterno: ensayo de una ascensión al sentido del ser. México: Fondo de Cultura Económica, 1994.

STEIN, E. A mulher: sua missão segundo a natureza e a graça. São Paulo: EDUSC, 1996.

STEIN, E. A ciência da cruz. 3. ed. São Paulo: Loyola, 2002.