Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Interlocução como Experiência de Formação Docente

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v17n2p7-19

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Renata C. B. Cunha1 & Ana M. F. Aragão2

 

Resumo: Este texto discute a interlocução estabelecida entre pesquisadoras e equipes escolares no contexto de um projeto de formação continuada de professores e de pesquisa colaborativa decorrente de um convênio firmado entre uma universidade estadual paulista e a Secretaria Municipal de Educação de uma cidade do interior do Estado de São Paulo. Assume-se que, na relação entre universidade e escola, todos os envolvidos no trabalho são capazes de relacionar informações do campo da prática e do campo da teoria, de modo a fundamentar suas ações e seus pensamentos. O estabelecimento de vínculos de confiança entre pesquisadoras da universidade e profissionais das escolas foi um dos maiores desafios para a constituição desta pesquisa. Apresenta-se esse processo de aproximação tomando como material de análise a comunicação eletrônica trocada com as equipes gestoras, o que permite às autoras deste trabalho discutir algumas peculiaridades da pesquisa colaborativa e da formação centrada nas necessidades dos profissionais da escola. A análise da troca de e-mails entre pesquisadoras e equipes gestoras evidenciou a importância das relações interpessoais construtivas como base do trabalho coletivo e a contribuição da interlocução entre universidade e escola a favor da reflexividade docente e como oportunidade para mobilizar conhecimentos no referido contexto.

Palavras-chave: formação de professores; pesquisa colaborativa; relações interpessoais

 

Abstract: This paper discusses the established dialogue between researchers and school teacher teams in the context of an ongoing teachers training and a collaborative research based upon a partnership agreement between a Public University and the Municipal Education Department in a city in the state of Sao Paulo. It is assumed that all those involved in the university–school relation can connect information from the practical and theoretical fields and hence ground their actions and thoughts about it. Establishing a trustful relationship between the University researchers and the school teachers was one of the major challenges in this work. This approach process took as its analysis material the electronic mails exchanged between the researchers and the management team which allowed the researchers to discuss some peculiarities of this collaborative research and training focused on the needs of school professionals. The analysis of these emails highlighted the importance of constructive interpersonal relations as the base for the collective work as well as the contribution for a collective dialogue between University and school promoting teaching reflection and an opportunity to mobilize knowledge in that context.

Key words: teacher training, collaborative research; interpersonal relations

 

1 Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação na Universiddade Metodista de Piracicaba (UNIMEP) renata_bcunha@yahoo.com.br
2 Professora na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas anaragao@terra.com.br

 

Literatura Citada

ALARCÃO, I. Escola reflexiva e supervisão: uma escola em desenvolvimento e aprendizagem. Porto: Ed. Porto, 2000.

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. 11. ed. Campinas, SP: Papirus, 2004.

ARAGÃO,A. M. F. Reflexividade coletiva: indícios de desenvolvimento profissional docente. 507p. Tese (Livre-docência) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2010.

BAKHTIN,M. Para uma filosofia do ato. Trad. Carlos Alberto Faraco e Cristóvão Tezza. Austin: University of Texas Press, 1993.

CANÁRIO,R. A escola: o lugar onde os professores aprendem. In: MOREIRA, A. et al. Supervisão na formação: Actas do I Congresso Nacional de Supervisão. Aveiro: Ed. da Universidade, 1999. p.11-19.

CANÁRIO,R. A experiência portuguesa dos Centros de Formação das Associações de Escolas. In: MARIN, A. J. (Org.). Educação Continuada. Campinas, SP: Papirus, 2000. p.63-88.

CORREIA,J. A. Inovação pedagógica e formação de professores. Rio Tinto: ASA, 1991.

CUNHA, R. C. O. B.; PRADO, G. V. T. Formação centrada na escola, desenvolvimento pessoal e profissional de professores. Revista de Educação PUC-Campinas, Campinas, n. 28, p. 103-113, jan./jun. 2010.

DURAND,M.; SAURY, J.; VEYRUNES, P. Relações fecundas entre pesquisa e formação docente: elementos para um programa. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 125, p. 37-62, maio/ago. 2005.

FUJIKAWA, M. M. A escrita como pretexto de reflexão da prática pedagógica e como estratégia de intervenção na formação de professores. In: PRADO, G. V. T.; SOLIGO, R. (Org.). Porque escrever é fazer história: revelações, subversões, superações. Campinas, SP: Alínea, 2007. p.233-244.

JOSSO, M. C. Caminhar para si. Porto Alegre: EDIPURS, 2010.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MAHONEY, A. A.; ALMEIDA, L. R. O ouvir ativo: recurso para criar um relacionamento de confiança. In: ALMEIDA, L. R.; PLACCO, V. M. N. S. (Org.). As relações interpessoais na formação de professores. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2004. p.65-78.

OLIVEIRA, M. L. R. O papel do gestor pedagógico intermédio na supervisão escolar. In: ALARCÃO, I. (Org.). Escola reflexiva e supervisão: uma escola em desenvolvimento e aprendizagem. Porto: Porto Editora, 2001. p.43-54.

PIMENTA, S. G. Pesquisa-ação crítico-colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 521-539, set./dez. 2005. http://dx.doi.org/10.1590/s1517-97022005000300013

PLACCO, V. M. N. S.; SOUZA, V. L. T. Desafios ao coordenador pedagógico no trabalho coletivo na escola: intervenção ou prevenção? In: PLACCO, V. M. N. S.; ALMEIDA, L. R. (Org.). O coordenador pedagógico e os desafios da educação. São Paulo: Loyola, 2008. p.25-36.

ROGERS, C. Liberdade para aprender em nossa década. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

SADALLA, A. M. F. A.; SÁ-CHAVES, I. S. C. Constituição da reflexividade docente: indícios de desenvolvimento profissional coletivo. Revista ETD – Educação Temática Digital, Campinas,v. 9, n. 2, p. 189-203, jun. 2008.

SOLIGO, R. Venho por meio desta... In: PRADO, G. V. T.; SOLIGO, R. (Org.). Porque escrever é fazer história: revelações, subversões, superações. Campinas, SP: Alínea, 2007. p.323-362.

ZEICHNER, K.; DINIZ-PEREIRA, J. E. Pesquisa dos educadores e formação docente voltada para a transformação social. Cadernos de Pesquisa, v. 35, n. 125, p. 63-80, maio/ ago. 2005.

ZEICHNER, K. Para além da divisão entre professor-pesquisador e pesquisador acadêmico. In: GERALDI, C. M. G.; FIORENTINI, D.; PEREIRA, E. M. A. (Org.). Cartografias do trabalho docente: professor(a)-pesquisador(a). Campinas, SP: Mercado de Letras, 1998. p.207-236.