Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Educação e Superpopulação Relativa: Notas sobre a Re(Produção) Escolar no Capitalismo Brasileiro

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v17n2p21-31

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Davisson C. C. Souza1

 

Resumo: Este artigo trata da relação entre educação e superpopulação relativa. Tal conceito, desenvolvido por Marx para explicar a relação entre a pobreza e a acumulação capitalista, não tem sido explorado nas análises educacionais marxistas. O presente trabalho faz uma caracterização de tal categoria e expõe suas formas de manifestação atuais, com base nas três modalidades clássicas (latente, estagnada e flutuante), além do pauperismo e do lumpemproletariado. A partir do estudo do caso brasileiro, analisa como se processa a produção e a reprodução escolar do exército de operários de reserva no capitalismo. Em seguida, tece algumas considerações sobre alguns dados educacionais para fundamentar o caráter de classe da inserção escolar no ensino básico e superior no Brasil. Para tanto, apresenta uma análise crítica do acesso à escolaridade no país, tendo como base diferentes clivagens (ensino público e privado, ensino diurno e noturno, educação de jovens e adultos, etc.). Dialogando com as teorias liberais e crítico-reprodutivistas, propõe um modelo interpretativo da relação entre educação e classes sociais. Ademais, sugere algumas reflexões teóricas sobre a relação entre formação escolar e a reprodução de uma população sobrante no capitalismo brasileiro. Por fim, apresenta uma interpretação acerca da relação entre a manifestação crônica da superpopulação relativa na estrutura social e os baixos indicadores educacionais no país.

Palavras-chave: educação; classes sociais; superpopulação relativa; teorias crítico-reprodutivistas; Brasil

 

Abstract: This paper approaches the relationship between education and relative overpopulation. This concept, developed by Marx to explain the relationship between poverty and the capitalist accumulation, has not been explored in the Marxist educational analyses. The present work characterizes this category and exposes its present forms of manifestation, based on the three classical types of relative surplus population (latent, stagnant and floating), besides pauperism and lumpenproletariat. From the Brazilian case study, it examines how the school production and reproduction of an army  of reserve laborers in capitalism is processed. Then, it considers some educational data to substantiate the class character in school access in basic and higher education in Brazil. To do so, it presents a critical analysis of school access in the country, based on different divisions (private and public school education, daytime and evening courses, etc.). In dialogue with liberal and critical reproductive theories, it proposes an interpretative model on the relationship between education and social classes. Finally, it brings some theoretical considerations on the relationship between formal education and the reproduction of spare overpopulation in Brazilian capitalism, and presents an interpretation about the relationship between the chronic manifestation of relative overpopulation in the social structure and the country’s low educational indicators.

Key words: Education; Social classes; Relative overpopulation; Critical reproductive theories; Brazil

 

1 Professor e Doutor .Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Departamento de Ciências Sociais – campus Guarulhos davisson.souza@unifesp.br

 

Literatura Citada

ALTHUSSER, Louis. Sobre a reprodução. (“Ideologia e aparelhos ideológicos do Estado: notas para uma pesquisa”, p. 253-294). Petrópolis-RJ: Vozes, [1969]1999.

BAUDELOT, Christian; ESTABLET, Roger. La escuela capitalista. Madrid-España: Siglo Veintiuno Editores, [1970]1975.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino (livro 1: “Fundamentos de uma teoria da violência simbólica”, p. 15- 75). Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves Editora, [1970]1975.

DURKHEIM, Émile. Educação e sociologia. 11. ed. (p. 33-91) São Paulo: Melhoramentos; Rio de Janeiro: Fundação Material Escolar, 1978.

ENGELS, Friedrich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2008.

FRIGOTTO, Gaudêncio. “A relação da educação profissional e tecnológica com a universalização da educação básica”. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 28, n. 100, p. 1129-1152, out. 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302007000300023

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. (“A formação dos intelectuais”, p. 3-23; “A organização da escola e da cultura”, p. 117-127; “Para a investigação do princípio educativo”, p. 129-139; “Notas esparsas”, p. 141-151) Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

INEP/MEC. ResumoTécnico - Censo Escolar 2010. Brasília-DF, 2010.

INEP/MEC. ResumoTécnico - Censo da Educação Superior 2009. Brasília-DF, 2009.

LENIN, Vladimir Ilitch. Propaganda e agitação. Moscou-URSS: Edições Progresso, 1984.

MANACORDA, Mario Alighiero. Marx e a pedagogia moderna. (2ª. Ed. rev.). Campinas- SP: Alínea Editora, 2010.

MANNHEIM, Karl. “‘Planificação democrática’ e educação” (p. 343-356). In: PEREIRA, Luiz e FORACCHI, Marialice (Org.). Educação e Sociedade. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1977.

MARX, Karl. O Capital. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Textos sobre educação e ensino. São Paulo: Centauro, 2004.

SAVIANI, Dermeval.“Educação socialista, pedagogia histórico-crítica e os desafios da sociedade de classes” (p. 223-274). In: LOMBARDI, Claudinei; SAVIANI, Dermeval (Org.). Marxismo e educação. Campinas-SP: Autores Associados/ Histedbr, 2005.

SAVIANI, Dermeval.Escola e democracia, 41ª ed. Campinas: Autores Associados 2009.

SNYDERS, Georges. Escola, classe e luta de classes. Lisboa-Portugal: Moraes Editores, [1976]1977.

SCHULTZ, Theodor.O valor econômico da educação. Rio de Janeiro: Zahar Editores, [1963]1967.

SOUZA, Davisson de. Sindicalismo e desempregados no Brasil e na Argentina de 1990 a 2002: unidade e fratura entre o exército de operário ativo e de reserva. Tese (Doutorado em Sociologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo (FFLCH/USP), 2010.

WEBER, Max. Ensaios de Sociologia. (cap. VIII: “Burocracia”, p. 229-282). Rio de Janeiro: Zahar, 1978.